Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações!

Revisado por

Dermatologia graduada pela Unicamp

Especialista do Dicas de Saúde

Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações que todos devem conhecer. Além disso, a cistina é um aminoácido que desempenha um papel especial na composição de moléculas de proteína e também é abundante na queratina do cabelo e na pele. Se você quiser saber mais sobre este composto, nós convidamos você a continuar lendo.

Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações
Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações

Lembre-se que este é um artigo estritamente informativo, por isso você não deve ser orientado a tomar qualquer medicação, caso contrário você deve consultar o seu médico de confiança que irá determinar as indicações apropriadas para você.

O que é Cistina?

A cistina é um aminoácido que contém enxofre. Faz parte da pele, cabelo, ossos e tecido conjuntivo.

É composto de duas moléculas de cisteína (outro enxofre contendo ácido amino e é muito semelhante), na verdade, ela é considerada a forma mais estável de cisteína, embora ambos possam ser convertidos uns nos outros, se necessário.

A forma usual administrada é a N-acetilcisteína proveniente do aminoácido L-cisteína.

Para que Serve:

Como sua função é fazer parte das proteínas, incluindo a queratina a cistina é essencial para o cabelo. Quando há uma falta pode aparecer queda de cabelo, falta de vigor e vitalidade, ao mesmo tempo em que se nota sintomas de fraqueza nas unhas e envelhecimento da pele. Na verdade, afeta todo o tecido conjuntivo, portanto, podemos indicar que ela serve para:

  • Desintoxicar o organismo.
  • Melhore a função hepática.
  • Trate as condições pulmonares
  • Remova o muco do trato respiratório.
  • Aumentar a regeneração da pele.
  • Bloquear a ação de oxidantes nos tecidos

Alimentos Ricos em Cistina:

Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações
Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações

Aqui está a lista de alimentos Ricos em Cistina:

  • Ovos
  • Carne de porco, frango, pato.
  • Peixes como atum, pescada, tamboril.
  • Leite
  • Iogurte
  • Fígado de vaca

Sementes:

Cereais como:

Existem muitos alimentos ricos em cistina, embora alguns sejam mais interessantes do que outros. Especialmente se você quer para melhorar a sua dieta, enquanto você aumentar os níveis deste aminoácido no corpo que você deve comer mais Brócolis ou tomar outros alimentos ricos em aminoácidos e vitaminas que têm nutrientes semelhantes ao composição de levedo de cerveja. Você também pode aumentar o consumo de feijão verde e Gérmen de Trigo.

Mas além de fazê-lo desta maneira, existe também a possibilidade de evitar a sua deficiência de através de suplementos na forma de cápsulas, pílulas ou comprimidos. Então nós os indicamos.

Benefícios da Cistina Para Saúde:

Agora, vamos dar uma olhada nas principais propriedades da cistina para saúde, condicionamento físico e aconselhamento para os consumidores.

1. Possui Ação Antioxidante e Desintoxicante:

A atividade antioxidante da glutationa depende da ação química do grupo contendo a cistina sulfúrica, o que torna a disponibilidade sua um fator crítico para a produção e eficácia da glutationa. Portanto, os níveis de cistina são fatores limitantes na taxa e quantidade de glutationa produzida pelo organismo.

Na sua ausência, baixos níveis de glutationa levarão a nenhum reparo do dano oxidativo e podem ter sérias consequências, especialmente no fígado.

A síntese de cistina endógena ocorre como parte de outro aminoácido, a metionina, que é um aminoácido essencial, ou seja, é comprado apenas a partir do alimento. A síntese ocorre apenas quando há disponibilidade de Ácido Fólico, Vitamina B6 e Vitamina B12, portanto, a falta desses nutrientes também pode implicar em sua deficiência.

Alimentos ricos em metionina incluem carnes e aves, peixes, ovos, laticínios, Quinoa, Semente de Gergelim, castanha do Brasil, entre outros. No entanto, a metionina também pode ser convertida em homocisteína, um parâmetro sanguíneo que tem sido considerado um fator de risco para o desenvolvimento da aterosclerose. Portanto, a suplementação de metionina é contraindicada.

Desta forma, a ingestão de cistina como suplemento alimentar é uma fonte segura de metionina para manter os níveis adequados de glutationa e, consequentemente, a eficácia do sistema de defesa do corpo.

A falta de glutationa pode contribuir ainda mais para o desenvolvimento de demência e esclerose múltipla, devido à falta de remoção de toxinas do corpo.

2. Fortalece o Sistema Imunológico:

Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações
Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações

Desempenhando um papel fundamental na formação e ação da glutationa, ela contribui para a manutenção do sistema de defesa, inibindo a inflamação e estimulando a produção de leucotrienos, substâncias que atuam na defesa exercida pelos macrófagos, que são células do sistema imune muito importante na defesa contra organismos invasores.

Um estudo de 2009 mostrou que, além de reduzir o estresse oxidativo, a cistina é capaz de reduzir o processo inflamatório em indivíduos com algum tipo de doença, promovendo uma aceleração da cicatrização sem efeitos colaterais.

3. Melhora a Pele e Cabelo:

A cistina é muito presente na alfa-queratina, a proteína básica para a construção de unhas, cabelos e pele. O fornecimento adequado de cisteína garante a matéria-prima para o corpo sintetizar alfa-queratina em quantidades adequadas para manter sua saúde e vitalidade.

Além disso, ela, juntamente com as vitaminas E e C e o Selênio, ajuda a proteger a pele, mantendo os genes de defesa ativos e evitando os efeitos prejudiciais dos raios ultravioleta sobre o DNA celular, o que pode levar ao câncer de pele.

Este aminoácido também pode ser útil no tratamento de certos tipos de acne. Um deles quando o tratamento da acne com peróxido de benzoíla causa ainda mais inflamação, uma combinação de L-cisteína com ácido alfa-lipóico reduz a vermelhidão e coceira das espinhas. O outro, no caso da acne induzida por altos níveis de testosterona, devido à síndrome do ovário policístico, em que a cistina torna as células da pele mais sensíveis ao estrogênio e menos à testosterona.

Como ela não é o único fator que interfere na saúde da pele e nas ligações, o importante é manter sempre um nutriente rico em todos os nutrientes, incluindo proteínas, minerais e vitaminas.

4. Luta Contra a Osteoporose:

A osteoporose é uma doença grave que ocorre principalmente em idosos, levando à reabsorção do tecido ósseo, o que leva à perda de densidade óssea e alto risco de fratura.

A suplementação com cistina provou ser útil no tratamento da osteoporose principalmente em mulheres idosas. A pesquisa mostrou uma diminuição na atividade dos osteoclastos, células responsáveis ​​pela reabsorção óssea e um aumento na síntese de colágeno, minimizando dois fatores importantes na osteoporose.

5. Ajuda no Ganho de Massa Muscular:

Como todos os aminoácidos, este é um dos elementos constituintes das proteínas. Os músculos, por sua vez, são basicamente feitos de fibras de proteína. Portanto, um suprimento adequado de cistina também ajuda a ganhar massa muscular e força, sendo amplamente utilizado por atletas e entusiastas do fitness.

Outros Benefícios da Cistina:

A cistina também é importante no metabolismo lipídico e é uma molécula essencial na construção e manutenção de membranas celulares e bainhas de mielina ao redor do axônio dos neurônios e garantindo a transmissão nervosa adequada. As membranas celulares e a bainha de mielina protegem contra danos externos e a ação dos radicais livres. Portanto, a cistina pode ser um aliado na prevenção de doenças degenerativas, como a doença de Parkinson.

Ela também pode neutralizar o envenenamento por cobre e proteger as células de outras substâncias prejudiciais pelo fumo. Outra ação importante seria a recuperação muscular após esforço físico e tecido após lesões ou cirurgia. O corpo também a usa para produzir taurina, outro aminoácido.

A N-acetilcisteína contribui para a melhora e quebra de fleuma e muco em doenças como bronquite, fibrose cística e alergias. As fibras de colágeno que mantêm a viscosidade do muco, se ligam através dos pontos contendo enxofre em seus aminoácidos, na presença de cisteína livre, o enxofre se liga a ele, quebrando as fibras e reduzindo sua adesão entre si. Isso facilita a eliminação.

Suplementos de Cistina:

Ela é amplamente usada como um suplemento alimentar na forma de acetilcisteína (NAC) ou L-cisteína, cisteína, porque é mais facilmente absorvida pelo corpo em comparação com cistina.

Além disso, o seu excesso tem sido associada com uma doença rara que causa a acumulação de cristais de cistina, formação de pedras nos rins, de modo que também se optou pela integração, sob a forma de cisteína, embora as duas moléculas são facilmente interconvertite do corpo.

A forma N-acetil é usada para melhorar a absorção da molécula pelo corpo. A dose diária recomendada de L-cisteína é entre 250 mg e 1500 mg.

Deficiência de Cistina:

Nos casos raros de deficiência pode ocorrer inchaço, letargia, lesões de pele, a deficiência do sistema imunitário e susceptibilidade a danos causados ​​por toxinas do metabolismo de substâncias pelo fígado e os radicais livres.

Uma vez que a suplementação de cistina, quer na forma de L-cisteína N-acetil-cisteína, pode também trazer alguns riscos, é importante ter sempre de parecer médico antes de iniciar o tratamento com este tipo de suplemento.

Possíveis Efeitos Colaterais:

Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações
Cistina: O que é, Benefícios, Alimentos e Contraindicações

O uso de cistina pela alimentação não deve reproduzir reações adversas. No caso de incorporá-lo em comprimidos ou qualquer outro tipo de suplemento nutricional, é possível detectar os seguintes efeitos colaterais:

Contraindicações:

  • Alergia à L-cistina.
  • Cistinose
  • Sangue analítico e urina.
  • Menores de 14 anos
  • Gravidez
  • Amamentação
  • Intolerância à sacarose.
  • Hipersensibilidade ao amido de milho.

Cistinose é uma contraindicação, porque esta doença provoca o acúmulo do aminoácido no corpo, especialmente em órgãos vitais que formam pedras ou pedras no rim.

Também no fígado, pâncreas e olhos podem ser detectados em excesso, com a possibilidade de produzir anormalidades no cérebro e no funcionamento dos glóbulos brancos.

Como a cistina é uma forma química, as pessoas hipersensíveis na forma levogira devem evitar seu consumo, uma vez que sofreriam os efeitos colaterais de uma alergia alimentar.

Se você vai fazer um exame de sangue ou urina, você deve dizer ao médico que você está tomando. Isso pode causar resultados incongruentes.

Mulheres grávidas ou lactantes devem consultar antes de começar a tomá-lo. Não há estudos clínicos com dados confiáveis, por isso, é o médico quem deve indicar a conveniência ou não de incluí-lo nesse período.

Nos casos em que você compra cistina em comprimidos, você deve verificar sua composição. É muito provável que os comprimidos sejam feitos com sacarose. Se você é alérgico ou sofre de alguma intolerância a este ingrediente, você tem contra-indicado nesta forma comercial. Da mesma forma, a maioria também inclui amido de milho.

0/5 (0 Reviews)
Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Wanessa Matos

Drª. Wanessa Matos
Dermatologista formou-se em Medicina na Unicamp e na mesma instituição realizou sua residência em Dermatologia, obtendo o título de especialista. Atua nas áreas de dermatologia clínica, cirúrgica e estética. Além disso, é sócio titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia, com registro no Conselho Regional de Medicina e Associação Médica Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Glutationa: O que é, Benefícios e Efeitos Colaterais

Curcumina

Curcumina: O que é, Propriedades, Benefícios e Efeitos Colaterais!