Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças Doenças e Tratamentos

Cobreiro – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Cobreiro – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos e muito mais é o que você vai aprender a partir de agora, então continue conosco e desvende tudo sobre o Cobreiro, doença essa que é tão comum entre os brasileiros. Além disso, o Cobreiro é uma erupção cutânea dolorosa.

Ele pode surgir na face ou em outra parte do corpo. Popularmente é conhecido com o nome de Cobreiro. O vírus do Cobreiro é o mesmo que provoca a catapora (varicela). Depois que uma pessoa que teve catapora se recupera, o vírus permanece adormecido no corpo. Mas, geralmente em um momento de queda da imunidade, ele pode reativar-se e causar os desagradáveis sintomas do Cobreiro. A doença é bastante comum.

O que é o Cobreiro: O herpes zoster, popularmente chamado de Cobreiro, é uma infecção causada pelo mesmo vírus que causa a varicela (catapora), que fica adormecido no organismo e “desperta” por diferentes motivos. O Cobreiro ocorre quando o vírus se reativa, quase sempre porque o sistema imunológico se desequilibra devido a certas doenças, como o câncer, o HIV, ou por situações como um transplante de órgãos, falta de vitaminasestresse, nervoso ou ansiedade excessiva.

A manifestação do Cobreiro inicia, na maioria dos casos, de forma dolorosa, com formigamento, ardor e prurido (coceira) no local, acompanhados ou não de febre, dores de cabeça e mal-estar geral. Depois, o local da coceira fica avermelhado e surgem pequenas erupções bolhosas cheias de líquido transparente ou levemente amarelado. Geralmente as lesões seguem a linha de um nervo e são comuns na região torácica, cervical, facial, lombar e sacral. Outra característica é que as lesões aparecem frequentemente em apenas um lado do corpo.

O quadro pode durar entre uma e quatro semanas. Depois disso, forma-se uma crosta nas erupções até que elas desapareçam, mas as marcas ficam por toda a vida. Quando as bolhas secam pode ocorrer um episódio de neuralgia pós-herpética, que é uma dor aguda, pulsante e incômoda na região de vez em quando. O Cobreiro só afeta pessoas que já contraíram o vírus Varicella-zoster, como dito anteriormente, causador da catapora, doença muito frequente em crianças.

Transmissão do Cobreiro: Assim como a varicela, a transmissão do Cobreiro ocorre pelo contato direto, pessoa-pessoa, através do contato com as secreções produzidas pelas bolhas do indivíduo infectado. O Cobreiro pode aparecer em situações de estresse, exposição solar, ou alguma baixa no sistema imunológico.

Causas de Cobreiro: Quando somos expostos ao vírus Varicella-Zoster pela primeira vez, o que ocorre habitualmente durante a infância, desenvolvemos a catapora, que é uma doença que se caracteriza por erupções avermelhadas por todo o corpo e febre. Após uma ou duas semanas de sintomas, o nosso sistema imunológico consegue controlar a infecção na pele, fazendo com que o Cobreiro seja curada.

O problema é que essa cura dos sintomas não é necessariamente uma cura do vírus. Durante a fase inicial da catapora, o vírus invade as terminações nervosas da pele e migra até algumas cadeias de gânglios localizadas próximo à medula espinhal e ao cérebro, conseguindo, assim, permanecer “escondido” do sistema imunológico por períodos que podem durar décadas. O paciente, portanto, cura-se da catapora, mas permanece infectado pelo vírus Varicella-Zoster pelo resto da vida.

Em geral, isso não é um problema, pois toda vez que o vírus tenta sair do seu esconderijo nos gânglios nervosos, o nosso sistema imunológico, que agora possui anticorpos específicos contra o vírus Varicella-Zoster, consegue impedi-lo. O paciente mantém o vírus encurralado, não apresentando nenhum sintoma, nem sendo capaz de transmiti-lo para outras pessoas. Logo, se por uma lado não conseguimos nos livrar de vez do vírus, por outro o nosso sistema imunológico é competente o suficiente para impedir que o vírus volte a nos atacar.

Entretanto, a nossa batalha contra o Varicella-Zoster depende de um sistema imunológico forte. O vírus pode ficar décadas à espreita, à espera de um vacilo dos anticorpos para voltar a se multiplicar. Isso significa que basta uma queda na nossa imunidade para o vírus conseguir se manifestar novamente. A reativação do Varicella-Zoster não provoca um novo quadro de catapora, mas sim uma doença diferente, que é chamada de Cobreiro.

Fatores de Risco Para o Cobreiro: Como já referido, para ter Cobreiro é necessário já ter tido catapora em algum momento da vida. Até 20% dos pacientes com história de catapora na infância apresentarão pelo menos um episódio de Cobreiro, que surge, geralmente, após os 50 anos. Entre os pacientes com mais de 85 anos essa taxa sobe para mais de 50%. O Cobreiro surge quando há uma queda nas defesas imunológicas. Entre os fatores de risco podemos citar:

Sintomas de Cobreiro: O primeiro sintoma de Cobreiro, geralmente é uma dor unilateral, queimação ou sensação de formigamento. Tanto a dor como queimação podem ser grave e geralmente ocorre antes de aparecer qualquer erupção do Cobreiro. Na maioria das pessoas, são formadas manchas na pele, seguidas por bolhas bem pequenas. Quando as bolhas de Cobreiro se rompem, formam pequenas úlceras e depois secam e formam crostas, que se dividem em cerca de duas a três semanas. Raramente a pessoa fica com alguma cicatriz.

  • A erupção geralmente envolve uma área estreita da coluna vertebral, ao redor da parte frontal da área da barriga ou do peito.
  • A erupção pode acontecer no rosto, olhos, boca e orelhas.

Outros sintomas que o Cobreiro pode causar:

  • Dor abdominal
  • Febre e calafrios
  • Sensação geral de mal-estar
  • Úlceras genitais
  • Dor de cabeça
  • Dores nas articulações
  • Inchaço dos gânglios linfáticos

Cobreiro também pode apresentar fraqueza muscular, erupção na pele e dor que envolve diferentes partes da face caso a Cobreiro afete um nervo facial. Os sintomas podem incluir:

  • Dificuldade em mover alguns dos músculos faciais;
  • Queda da pálpebra (ptose);
  • Perda de audição;
  • Perda de movimento dos olhos;
  • Problemas em sentir sabores;
  • Problemas de visão.

Contágio do Cobreiro: Para evitar o contágio do vírus do herpes zóster, não é recomendável tocar na ferida do individuo que esteja infetado, e caso esteja presente na boca não é recomendável beber do mesmo copo, ou partilhar qualquer tipo de objeto que tenha entrado em contato com a ferida. Lembre-se que se uma pessoa nunca teve catapora, se alguma vez entrar em contato com o vírus herpes zóster, mesmo sendo adulta, não terá o Cobreiro mas sim a catapora.

Tratamentos Para Cobreiro: Os Remédios caseiros e populares para tratar o Cobreiro são:

  • Ferva algumas folhas de dente de leão em um litro de água durante quinze minutos. Beba três xícaras por dia.
  • Aplique água oxigenada sem diluir sobre cada uma das bolhas, para isso, use um conta gotas desinfetado ou um algodão.
  • Misture meia cenoura fervida e picada em água e obtenha uma pasta, semelhante a um purê. Aplique como cataplasma nas regiões afetadas pelo Cobreiro.
  • Ferva cinquenta gramas de verbena em um copo de água por cinco minutos. Estenda a verbena sobre um pano e coloque na pele, na região afetada. Repita sempre que o pano secar.
  • Ferva duas porções de folhas de azeda-miúda (Rumex acetosa) em um litro de água durante dez minutos. Retire do fogo, deixe esfriar e empape um pano na infusão para aplicá-lo nas bolhas.
  • Ferva um punhado de folhas de bardana em meio litro de água por cinco minutos. Retire do fogo, deixe esfriar, empape um pano de algodão e aplique na região afetada. Deixe atuar por meia hora.
  • Beba várias xícaras de chá com bálsamo de limão durante o dia para aproveitar suas propriedades antivirais. Isso ajudará a prevenir a propagação do vírus a outras partes do corpo. Guarde as bolsinhas de chá na geladeira e aplique nas bolhas.
  • Coloque farinha de aveia ou amido de milho em um pouco de água, de forma que fique uma mistura líquida. Lave as lesões com essa água por pelo menos vinte minutos. Repita o tratamento todos os dias antes de dormir, ele ajudará a aliviar a coceira.
  • Aplique um curativo adesivo úmido nas erupções quando estiverem em um estágio avançado. Cuidado para não fixar a parte adesiva sobre uma das bolhas! Molhe uma toalha com água fria, retorça e deixe alguns minutos na região até que a temperatura regule.
  • Faça um creme com sementes de pimentão picante e gel de babosa (ou utilize um creme pronto que contenha esses ingredientes). Além de adicionar pimentão à dieta diária para aproveitar as vantagens da capsaicina (em farmácias é possível encontrar alguns cremes que contenham esse último ingrediente).
  • Uma planta muito boa é a melissa, que é potente e efetiva para curar o Cobreiro ou herpes zoster de forma natural. Tem efeitos calmantes, analgésicos e antiespasmódicos. Prepare uma infusão com uma boa quantidade dessa erva e deixe esfriar até ficar morna. Aplique na região com um algodão ou um pano, pelo menos quatro vezes por dia. Se beber o chá de melissa será possível combater o mal-estar associado ao problema (como a febre ou a dor generalizada).
  • Outra planta medicinal eficaz para tratar o Cobreiro é a unha-de-gato. Não é recomendada para mulheres grávidas e é um potente antiviral e anti-inflamatório. Prepare uma infusão e repita os mesmos passos indicados para a melissa.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.