Riboflavina: Alimentos, Benefícios, Para que Serve e Como Usar!

Revisado por

Graduado em Nutrição!

Especialista do Dicas de Saúde

Riboflavina: Alimentos, Benefícios, Para que Serve e Como Usar de forma correta. Além disso, a Riboflavina (Vitamina B2) é uma das vitaminas presentes no complexo B, que é um conjunto de substâncias fundamentais para que nosso corpo se mantenha equilibrado e saudável. Cada uma tem uma função específica no organismo e isso não é diferente no caso dela, que se enquadra no grupo exatamente pelo seu papel.

Riboflavina

Assim como qualquer nutriente, a Riboflavina é importante em todos os sentidos e sua deficiência pode ser percebida em poucos meses de baixa ingestão. Porém, os casos costumam ser bem raros, já que uma alimentação equilibrada em boa parte do tempo é capaz de suprir as necessidades diárias do nutriente.

Riboflavina – O que é?

A Riboflavina é uma vitamina hidrossolúvel do complexo B, também conhecida como vitamina B2. Essa vitamina é facilmente absorvida e a quantidade eliminada depende da necessidade de cada organismo e pode ser acompanhada da perda de proteína. Assim como as outras vitaminas do complexo B, não é armazenada e precisa ser reposta regularmente pela ingestão de alimentos integrais ou suplementos alimentares.

Como as demais vitaminas, o complexo B no organismo desempenha papel como coenzima em uma diversidade de reações bioquímicas, atuando como intermediária na transferência de elétrons nas reações de óxido-redução.

A Riboflavina é importante em muitos processos celulares implicados no metabolismo de aminoácidos e na produção de energia, sendo por isso muito importante no desempenho físico e bem-estar. Ela apresenta papel importante em diversos processos metabólicos, estando envolvida na transformação dos lipídios, proteínas e carboidratos.

Riboflavina Para que Serve:

O consumo adequado de Riboflavina é importante porque ela desempenha as seguintes funções no organismo:

  • Manter a saúde das hemácias do sangue, que são responsáveis pelo transporte de oxigênio no corpo;
  • Favorecer o crescimento e desenvolvimento, especialmente durante a infância;
  • Atuar como antioxidantes, prevenindo doenças como câncer e aterosclerose;
  • Diminuir a frequência e a intensidade das enxaquecas;
  • Participar da produção de energia no corpo;
  • Manter a saúde dos olhos e prevenir catarata;
  • Manter o bom funcionamento do sistema nervoso;
  • Manter a saúde da pele e da boca.

Além disso, esta vitamina também é importante para que as vitaminas B6 e ácido fólico desempenhem suas funções adequadas no organismo.

Alimentos Ricos em Riboflavina:

A tabela a seguir traz os principais alimentos fontes de Riboflavina e a quantidade desta vitamina em cada 100 g de alimento.

Alimentos Ricos em RiboflavinaQuantidade (mg)Energia (calorias)
Fígado de boi cozido2,69 mg140 kcal
Leite integral0,24 mg260 kcal
Queijo minas frescal0,25 mg264 kcal
Iogurte natural0,22 mg51 kcal
Levedo de cerveja4,3 mg345 kcal
Aveia em flocos0,1 mg366 kcal
Amêndoas1 mg640 kcal
Ovo cozido0,3 mg157 kcal
Espinafre0,13 mg67 kcal
Lombo de porco cozido0,07 mg210 kcal

Assim, como existem diversos alimentos ricos em Riboflavina que são facilmente incluídos na dieta, normalmente a deficiência desta vitamina está relacionada a casos de anorexia ou desnutrição, que são problemas onde a ingestão geral de alimentos está bastante reduzida.

Benefícios da Riboflavina:

Confira a seguir os principais benefícios da Niacina para saúde.

Impede o aparecimento de distúrbios no sangue:

Uma das causas da anemia é a baixa produção ou excesso de glóbulos vermelhas defeituosas, acarretando numa distribuição deficiente de nutrientes e oxigênio pelo corpo.

Reprime o surgimento da catarata:

A atividade de enzimas responsáveis por evitar a opacidade do cristalino a fim de proteger os olhos dependem da concentração de Riboflavina.

Evita Problemas Relacionados à Infertilidade:

Todo complexo B é importante para engravidar e manter a saúde do feto no que se refere à produção eficaz de células novas e saudáveis.

Combate a Perda de Memória:

Um dos benefícios da Riboflavina é auxiliar na formação da bainha de mielina, peça fundamental em torno das fibras nervosas e permitir o fluxo de mensagens entre os neurônios.

Ameniza Enxaquecas:

Inúmeros estudos comprovam que a enxaqueca, independente da causa do seu desencadeamento, pode ser combatida com o uso de altas doses de Riboflavina sob supervisão médica.

Previne Câncer Cervical:

A Riboflavina ajuda o corpo a reagir contra as células pré-cancerígenas porque está intimamente relacionada à confecção de novas células e, consequentemente, saudáveis.

Combate à Acne:

Sua ação capaz de restaurar tecidos danificados é a responsável pelo combate à acne, já que ela nada mais é do que tecidos inflamados por causa do entupimento dos poros.

Reduz o Aparecimento de Cãibras:

Relacionada à produção de células vermelhas, responsáveis por transportar o oxigênio no corpo, e uma das causas desse mal é a baixa oxigenação do músculo. Por isso, a produção de células vermelhas saudáveis é fundamental para evitar as cãibras.

Prevenção de Danos aos Nervos do pé e do Tornozelo:

A falha de comunicação entre o cérebro e os nervos é a principal responsável pela sensação de desconforto causada pela sensação de queimação. Por isso, seu consumo é necessário para garantir que a transmissão de dados seja eficiente.

Quantidade Recomendada:

A quantidade recomendada de consumo de Riboflavina varia de acordo com a idade e o gênero, como mostrado na tabela a seguir:

IdadeQuantidade por dia
1 a 3 anos0,5 mg
4 a 8 anos0,6 mg
9 a 13 anos0,9 mg
Meninas de 14 a 18 anos1,0 mg
Homens de 14 anos ou mais1,3 mg
Mulheres de 19 anos ou mais1,1 mg
Mulheres grávidas1,4 mg
Mulheres que amamentam1,6 mg

A falta desta vitamina pode causar problemas como cansaço frequente e feridas na boca, sendo mais comum em pessoas que fazem dietas vegetarianas sem a inclusão de leite e ovos no cardápio.

Excesso de Riboflavina:

Não é comum haver excesso de Riboflavina, já que ela não costuma ser utilizada como suplementação sem recomendação e porque ela é comumente eliminada pela urina diariamente. Porém, caso ocorra, alguns problemas podem surgir e os sintomas iniciais de um possível excesso são:

  • Alergias: Podem haver sintomas parecidos com sua deficiência, com alergias na pele ou mesmo feridas na boca que não se curam sozinhas e não têm nenhum tipo de diagnóstico conhecido.
  • Sensibilidade à luz: Pode haver problemas para enxergar em ambientes muito claros, porém, isso é mais comum em pessoas que usam suplementos por anos sem prescrição médica.

Em suma, o ideal é procurar o médico caso faça uma suplementação e apresente algum sintoma negativo.

0/5 (0 Reviews)
Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Leandro Almeida

Olá, meu nome é Leandro Cardoso de Almeida sou graduado no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) desde 2011 e Mestre em Nutrição Clínica pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, Portugal. Atualmente atendo em consultório particular no Brasil e atuo como editor no site Dicas de Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

alimentos ricos em biotina-1

Biotina: Fontes, Dosagem, Deficiências e Efeitos Colaterais!

Proteínas – O que é, Tipos, Benefícios, Alimentos e Como Usar!