Os 8 Principais Sintomas da Aids

Revisado por

Formado em Medicina pela USP!

Especialista do Dicas de Saúde

Os 8 Principais Sintomas da Aids
4.8 (95.7%) 293 votos

Os Principais Sintomas da Aids. Muito se fala sobre a Aids, mas na realidade, a maioria da população, de fato pouco sabe sobre ela. Além disso e  Conhecida por ser uma das mais sérias infecções virais o HIV assusta por dois principais motivos, sendo o primeiro deles a sua altíssima taxa de mortalidade e o segundo o fato de ainda não se ter uma cura que elimine efetivamente o vírus.

Sintomas da AidsPor outro lado, nos últimos anos o portador da doença tem se beneficiado e levado uma vida com uma maior qualidade, devido os famosos coquetéis que não curam, mas tratam a doença, de modo a minimizar seus prejuízos.

O que é Aids: Quando falamos nos primeiros sintomas da Aids por sua vez, precisamos entender que os primeiríssimos sintomas aparecem aproximadamente 21 dias após a contaminação com o vírus.

O que torna a situação realmente alarmante, é que grande parte das pessoas infectadas acabam por confundir estes sinais com uma simples gripe ou infecção viral, ou seja, é comum um portador do vírus simplesmente ignorar ou nem se quer se lembrar que já se sentiu assim, e consequentemente não procurar ajuda, retardando o início do tratamento, e também contaminando não intencionalmente outras pessoas, exatamente por não saber que possui a doença. Para vocês terem uma ideia geral desse quadro, sabe-se por exemplo que aqui no Brasil, 1 a cada 5 pessoas infectadas ainda não sabe que possui o vírus.

Estes sintomas inicias que aparecem no quadro denominado de “Infecção aguda pelo HIV”, isto é, aqueles que surgem dias após a contaminação são:

  • Febre persistente
  • Dor de garganta (Faringite)
  • Manchas avermelhadas ou pequenas erupções na pele
  • Dor em todo o corpo
  • Sudorese noturna
  • Candidíase genital ou oral porém recorrente
  • Perda de peso
  • Problemas respiratórios

Contagio Doença: A questão do contagio da doença ainda gera muito preconceito entre as pessoas, é preciso combater a falta de informação com fatos corretos, pois caso contrário, o preconceito e o caos na sociedade estão instaurados em um caso que pode ser resolvido de uma maneira bem simples com o tratamento adequado.

As maneiras de contagio da doença se dão por meio de:

  • Sangue;
  • Esperma;
  • Secreção vaginal;
  • Pelo Leite Materno;
  • Transfusão de Sangue e compartilhamento de seringas contaminadas.
  • Mesmo que o portador do vírus não apresente os sintomas, já existe a possibilidade de passar o vírus para outra pessoa.

Dessa maneira, se você convive com uma pessoa que tem AIDS é importante saber que algumas formas de contato comum NÃO são maneiras de contagio, como:

  • Beijo no rosto ou boca;
  • Abraço;
  • Ficar no mesmo espaço físico;
  • Masturbação;
  • Suor ou lágrima;
  • Picada de inseto;
  • Sabonete, toalhas ou lençóis;
  • Talheres e copos;
  • Assento de ônibus;
  • Aperto de mão;
  • Banheiro;
  • Pelo ar;
  • Piscina.

Prevenção: 

Diante das maneiras de contagio dessa doença, as maneiras mais indicadas e comuns para que se evite contrair a doença são:

  • Usar camisinha em todas as relações sexuais: anal, oral e na vagina;
  • Não compartilhar seringas, agulhas ou objetos cortantes;
  • Transfusão de Sangue contaminado.

Tratamento: Infelizmente a Aids ainda é uma doença sem cura, porém existem tratamentos específicos para que o indivíduo soropositivo possa ter uma vida normal. O tratamento é fornecido gratuitamente pelo Governo por meio do SUS.

São mais de 15 medicamentos anti retrovirais, eles retardam o aparecimento da doença e também proporcionam um qualidade de vida ao portador do vírus, eles atuam diretamente na redução da carga viral e também na reconstituição do sistema imunológico do paciente.

0/5 (0 Reviews)
Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Osmar da Costa Junior

Sou formado em medicina pela USP no ano de 2012. Atuo na área de estudo e orientação inicial de doentes; Coordenação de exames de saúde regular; Diagnóstico e tratamento de grande parte das doenças de adultos; Acompanhamento e tratamento de doentes crônicos; Orientação de pacientes que apresentam quadros complexos, com patologias raras e múltiplas, juntamente com a participação de outros especialistas, quando for necessário; Integração final de dados clínicos e exames complementares, decorrentes da observação dos pacientes por outro especialista. Atualmente sou Clinico Geral residente no Hospital Regional de Cotia e Editor no site "Dicas de Saúde" onde tenho participação com comentários, e criação de artigos relacionados a saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *