Dicas de Saúde

Os 8 Melhores Alimentos Para Comer Durante a Gravidez

Os 8 Melhores Alimentos Para Comer Durante a Gravidez que poucos conhecem. Além disso, um estilo de vida saudável e uma boa dieta são extremamente vitais durante a gravidez. Juntamente com todos os check-ups e exames importantes, você precisa ter um cuidado extra com suas necessidades nutricionais também.

Existem alguns alimentos que são contraindicados e há alguns que são definidos como saudável. De acordo com um estudo recente, mulheres com más dietas antes da gravidez têm maior probabilidade de dar à luz prematuramente do que mulheres que têm dietas saudáveis.

Melhores Alimentos Para Comer Durante a Gravidez

Portanto, é essencial adicionar uma variedade de alimentos todos os dias para conseguir o equilíbrio correto de nutrientes para manter você e seu bebê bem nutridos. Então, confira agora Os 8 Melhores Alimentos Para Comer Durante a Gravidez:

Melhores Alimentos Para Comer Durante a Gravidez:

Aqui está uma lista dos melhores alimentos para comer durante a gravidez:

1. Leite e Laticínios:

Leite e produtos lácteos cobrem as necessidades do seu corpo de vitamina B12, cálcio, fósforo e proteína. Estes nutrientes são essenciais para o desenvolvimento dos dentes, ossos, músculos, coração e coagulação do seu bebê. O cálcio é vital para a base do desenvolvimento dos ossos do bebê e, portanto, se torna ainda mais importante durante as últimas semanas de gravidez.

O consumo diário recomendado de cálcio durante a gravidez é de 1 grama – 1,3 gramas por dia. Alimentos como leite semidesnatado, iogurte desnatado e queijo duro com baixo teor de gordura fornecem boas quantidades desses nutrientes.

1 xícara de 2% de leite contém aproximadamente 293 mg de cálcio, enquanto 1 xícara de iogurte desnatado contém aproximadamente 415 mg de cálcio. A cultura ativa do iogurte evita infecções fúngicas e indigestão. Você deve tomar duas a três porções de leite e produtos lácteos por dia, que devem atender às necessidades diárias.

As mulheres grávidas devem evitar o consumo de produtos lácteos não pasteurizados, queijo azul mole e outros queijos como brie e camembert, pois podem conter níveis elevados de listeria. A listeria pode causar certas doenças para o recém-nascido, o que pode ser fatal. Você pode escolher entre queijo cottage (paneer) ou outro queijo duro, como cheddar e parmesão.

2. Frutas e Vegetais:

Frutas e vegetais ricos em fibras, vitaminas e minerais melhoram a digestão e ajudam na prevenção da constipação. Os principais nutrientes presentes nesse grupo de alimentos são o ácido fólico, potássio, betacaroteno e vitamina C.

Você deve mirar o consumo de pelo menos cinco porções diferentes de frutas e vegetais. Lave completamente e não cozinhe os vegetais excessivamente, a fim de conseguir o máximo de nutrientes.

Abacates – Durante a gravidez, o sistema nervoso do bebê e o desenvolvimento do cérebro precisam de uma boa quantidade de ácido fólico. As mães que têm deficiência de ácido fólico antes da concepção ou durante o início da gravidez correm maior risco de engravidar com defeitos do tubo neural, como a espinha bífida.

Os abacates são ricos em ácido fólico, potássio, vitamina B6 e vitamina C. Os alimentos ricos em vitamina B6 ajudam na doença de manhã. No entanto, os abacates têm um alto teor de gordura, por isso, se você está acima do peso, fique de olho na sua ingestão.

Cenoura e brócolis – as cenouras e brócolis são uma boa fonte de fibras, vitamina A, carotenoides e vitamina C. As cenouras são ricas em elementos alcalinos, que rejuvenescem o sangue e equilibram a alcalinidade ácida no corpo.

Esses nutrientes também são importantes para o desenvolvimento de ossos, olhos e papilas dentárias de bebês que estão se desenvolvendo sob as gengivas. Vegetais crucíferos como brócolis são bons desintoxicantes e protegem o bebê de certos cânceres durante a infância e depois também.

Espinafre e vegetais de folhas verdes – Alface, espinafre e outros vegetais de folhas verdes têm vitaminas, como A, C, K, e ácido fólico muito essencial. Eles também são uma boa fonte de ferro, que é necessária para transportar oxigênio ao redor do corpo e para o bebê.

Amla ou groselha indiana – Uma porção de amla tem 20 vezes mais vitamina C do que as laranjas, tornando-se um antioxidante muito bom. Alguns dos benefícios da amla para saúde podem ser atribuídos à presença de ferro, caroteno, fósforo e cálcio.

A amla tem sido usado para tratar hemorroidas, inflamação, anemia e visão noturna no tratamento ayurvédico. Algumas fatias de amla podem ser consumidas em saladas ou podem ser apreciadas com uma pitada de mel como sobremesa.

Figos – Os figos, frescos ou secos, contêm quantidades imensas de fibras, em comparação com qualquer outra fruta ou vegetal tropical, que ajuda no alívio da obstipação. Uma porção de três figos contém cinco gramas de fibra.

Eles também têm uma boa quantidade de cálcio, zinco, potássio e ferro e, portanto, são uma boa opção para serem adicionadas em uma dieta de gravidez. O teor de potássio nos figos é mais do que nas bananas, que são tão comumente elogiados por esse atributo mineral.

O potássio controla a pressão sanguínea e previne a pré-eclâmpsia durante a gravidez. Os figos secos contêm uma boa quantidade de ácidos gordos ômega 3 (“bom colesterol”) e são também uma boa fonte de vitamina B6 e contêm uma enzima proteolítica que ajuda na digestão.

3. Aves, Peixes e Carnes Magras:

As mulheres grávidas precisam de mais ferro do que aquelas que não estão grávidas. O consumo diário recomendado de ferro é de 27 mg por dia durante a gravidez. Cordeiro, aves, peixe, ovos são algumas das melhores fontes de ferro.

Para absorver ferro suficiente da fonte, o corpo precisa de alimentos ricos em vitamina C para serem consumidos junto com o ferro. Você também precisa manter um olho no consumo de cafeína, pois reduz a absorção de ferro no organismo.

Ovos – Os ovos são uma boa fonte de proteína com baixa quantidade de calorias. Os aminoácidos presentes na proteína ajudam no desenvolvimento do corpo do bebê. Os ovos são uma excelente fonte de ômega-3 e colina, que são bons para o desenvolvimento saudável das funções de retina, cérebro e memória do bebê.

Enquanto o valor do colesterol é alto em ovos, eles têm um nível relativamente baixo de gordura saturada, com aproximadamente 1,5 gramas por ovo. Versões cruas ou semi-cozidas de ovos podem causar salmonelose, que pode ocasionar náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarreia e febre.

Peixe – O salmão é uma excelente fonte de proteínas de alta qualidade, minerais e ácidos graxos ômega 3 essenciais. Também tem quantidades muito baixas de metilmercúrio, o que pode ser prejudicial para o sistema nervoso do bebê, ao contrário do peixe-espada e do carapau, que não são recomendados durante a gravidez.

As mães grávidas não devem consumir mais de 350 por semana de salmão para evitar um consumo excessiva de mercúrio. Peixes gordurosos, como salmão e atum, também são boas fontes de vitamina D. A dose recomendada de vitamina D durante a gravidez é de 600 UI por dia e 85 gramas de salmão-vermelho cozido fornece 447 UI.

Aves e carne magra – carne magra e aves são ricas em proteínas. Remova a gordura visível nas carnes magras antes de cozinhar, pois os produtos químicos consumidos pelo gado tendem a se concentrar na gordura do animal.

Frangos criados ao ar livre não são apenas menos propensos a serem contaminados; eles também são menos propensos a provocar infecções como a salmonela.

4. Nozes:

As mães expectantes podem se beneficiar muito com nozes. Eles fornecem uma ampla variedade de nutrientes, incluindo vitamina E e minerais importantes como cobre, manganês, magnésio, selênio, zinco, potássio e cálcio.

As nozes fornecem DHA (ácido docosahexenóico) para o bebê. Caso seja vegetariano e não possa optar por peixes gordurosos, as nozes podem fornecer uma boa quantidade de ácidos graxos ômega 3 saudáveis. Eles podem ser adicionados à salada, mingau ou outras variedades de alimentos cozidos.

5. Feijões e Lentilhas:

Uma grande variedade de grãos como feijão preto, feijão e lentilha são boas fontes de ferro, cálcio, folato e zinco. Junto com isso, eles também fornecem quantidades necessárias de proteína e fibra. Como o movimento no trato gastrointestinal diminui durante a gravidez, a fibra ajuda na prevenção da constipação.

6. Grãos Integrais:

Os cereais integrais desempenham um papel extremamente essencial em uma dieta da gravidez, caso queira que seja equilibrada. Eles têm um alto teor de fibra e outros nutrientes vitais como vitamina E, B (B1, B2, ácido fólico e niacina), selênio e fitonutrientes (um composto vegetal que protege as células do corpo).

A vitamina B ajuda o corpo na liberação da energia das proteínas, carboidratos e gorduras. Alimentos como pão integral, trigo integral, fubá, cevada, arroz integral, aveia e quinoa são muito nutritivos.

Grãos integrais são importantes fontes de carboidratos, que fornecem energia na forma de glicose aos glóbulos vermelhos. Isso então atinge a placenta e o feto durante a gravidez.

Aveia – A aveia é rica em vitaminas B, ferro e outros minerais. Eles também estão cheios de fibra e pode mantê-lo satisfeito por um longo tempo. Eles podem ser tomados como parte de um café da manhã saudável com ou sem leite. A aveia também pode ser adicionada em tortas e outras coisas assadas para aumentar o poder nutricional desses alimentos.

Alimento Para Comer Durante a Gravidez

7. Água:

A água é uma base para um corpo saudável e livre de toxinas. Beber quantidades adequadas de água garante a digestão, a circulação sanguínea e facilita a absorção dos nutrientes necessários. Também ajuda no transporte de vitaminas, minerais e hormônios essenciais para as células do sangue, que depois chegam ao bebê através da placenta.

Você deve procurar beber 7-8 copos de água todos os dias. Isto também ajuda na prevenção da constipação e das hemorroidas. Beber água suficiente também previne infecções do trato urinário, que podem ser causadas se a urina permanecer na bexiga por um longo período de tempo.

A cor da sua urina normalmente indica se seu corpo está suficientemente hidratado ou não. Caso a cor da urina seja clara com tom de amarelo claro, isso indica que seu corpo está bem hidratado. Seu corpo também precisa de mais fluidos caso esteja sofrendo de enjoos matinais e náuseas, porque o corpo perde sua hidratação durante esse tempo.

8. Bebidas Saudáveis:

Além da água, você também pode escolher entre leite com baixo teor de gordura, suco de frutas, soro de leite coalhado e sopas transparentes. Essas opções fornecem nutrientes melhor do que outros refrigerantes ou bebidas com cafeína, que são ricos em açúcar e podem ser prejudiciais se tomadas em grandes quantidades.

Uma grande quantidade de fluidos saudáveis ​​mantêm o corpo fresco e hidratado. A água também controla os problemas de retenção de água durante a gravidez.

Água de coco – O equilíbrio eletrolítico de um coco é o mesmo que o do nosso sangue. Está disponível naturalmente em sua forma mais pura e livre de colesterol e gorduras. Ele estimula o nível de bom colesterol, que é o HDL e é rico em cloretos, potássio e magnésio, o que ajuda na regulagem da pressão arterial e as funções cardíacas.

A perda de sal do corpo durante o vômito e a desidratação podem ser reabastecidos com o consumo de água de coco. Devido à presença de altos níveis de ácido láurico, que é usado pelo corpo humano para produzir monolaurina (um derivado da luta contra a infecção), a água de coco tem propriedades antibacterianas, antifúngicas e antivirais e ajuda na prevenção de HIV, herpes e gripe durante a gravidez.

A água de coco age como um diurético natural e aumenta o fluxo e a frequência da urina, o que evita infecções do trato urinário. Todos esses benefícios maravilhosos vêm com o bônus de baixas calorias. Uma xícara de água de coco contém apenas 46 calorias e é mais de 90% de água normal.

Para se manter saudável, a gestante deve escolher entre diversos grupos de alimentos todos os dias para torná-la uma dieta deliciosa, nutritiva e sumptuosa. Comer tudo com moderação ajudará no mantimento do equilíbrio do seu corpo e, ao mesmo tempo, fornecerá todos os nutrientes e compostos essenciais que seu bebê precisa.

Como toda gravidez é diferente, algumas mulheres acham que consumir um alimento é mais difícil ou desagradável, enquanto é normal para outros. Caso sinta que algum alimento está provocando a náusea ou atrapalhe os movimentos intestinais, é aconselhável fazer uma pausa por um tempo, consultar seu médico e tentar procurar outras alternativas saudáveis para preencher essa parte da nutrição.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.