Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

Glicemia – O que é, Sintomas e Tratamentos

Glicemia – O que é, Sintomas e Tratamentos que todos devem saber, pois, Além disso, a Glicemia é a concentração de glicose no sangue ou mais precisamente no plasma. O nosso corpo transforma alguns dos hidratos de carbono ingeridos em glicose e a Glicemia é o nível de glicose presente no nosso sangue. E diretamente relacionada á insulina liberada pelo pâncreas, em decorrência da quantidade de carboidratos ingeridos ao longo do dia.O que é Glicose Alta ou Glicemia Alta? Muito se fala em glicose alta ou Glicemia alta, mas afinal de contas o que significa isso?? Glicose é um açúcar que existe nas uvas, noutros frutos açucarados, no mel (ao lado da levulose), no sangue, no suco de alguns vegetais etc. É um monossacarídeo facilmente assimilável e muito nutritivo.

Glicemia é a quantidade de glicose presente no nosso sangue. A glicose é um tipo de carboidrato obtido através da digestão e absorção dos alimentos. Os carboidratos são açúcares presentes na maioria dos alimentos, não apenas em alimentos doces, e constituem a principal fonte de energia para as células do nosso corpo. Pães, biscoitos salgados e massas são exemplos de alimentos ricos em carboidratos que não são doces e que aumentam a Glicemia.

Sintomas de Glicemia: O corpo humano precisa de uma quantidade específica de açúcar para funcionar propriamente. Quando há Glicemia, podem aparecer alguns sintomas comuns, como:

  • Confusão mental
  • Comportamento anormal
  • Dificuldade em realizar atividades simples e de cumprir tarefas rotineiras
  • Pode ser, ainda, que apareçam outros sintomas, ainda que estes sejam bem menos comuns, como convulsões, perda de consciência e coma.

Sintomas como palpitações, tremores, ansiedade, suor frio, fome excessiva e formigamento ao redor da boca também podem ser causados pela Glicemia. Mas cuidado: estes não são sintomas exclusivos deste distúrbio. Recomenda-se um exame de sangue específico para saber se a causa é realmente a Glicemia ou não.

Tratamento de Glicemia: Para tratar Glicemia, são necessários dois tipos de tratamento: inicial e imediato. Isso ajuda a aumentar as taxas de glicose no sangue e na identificação da condição que está causando a Glicemia, a fim de tratá-la para que não reincida.

O tratamento inicial depende, primeiramente, dos sintomas apresentados. Sinais mais simples da doença podem ser tratados por meio da ingestão de açúcar, como doces e sucos de frutas. No entanto, se os sintomas forem mais severos, o paciente talvez necessite de injeções de glucagon ou de glicose intravenosa, além de mudanças na dieta e na rotina de exercícios físicos.

Prevenir a reincidência de Glicemia requer outras medidas. Se um medicamento for a causa da Glicemia, o médico poderá sugerir a troca deste por outro. Agora, se a causa for um tumor no pâncreas, o tratamento é feito por intervenção cirúrgica.

Complicações Possíveis: Ignorar os sintomas da Glicemia pode acarretar em consequências graves, como a perda de consciência. Isso porque o cérebro necessita de glicose para funcionar propriamente. A Glicemia pode levar ainda a outras complicações, como convulsões, coma e até mesmo à morte.

Prevenção: Quando a Glicemia é desencadeada por muitas horas sem se alimentar, a pessoa deverá ingerir, alimentos que aumentem a glicose, como um copo de suco, um pedaço de chocolate ou mesmo um copo de água com açúcar. Para quem tem tendência à Glicemia em jejum o correto é não deixar de se alimentar de 3 em 3 horas.

No caso da Glicemia pós-prandial ou reativa, trocar alimentos com altas doses glicêmicas, como açúcares, massas e bolos, por carboidratos de baixa carga glicêmica e ricos em fibras, que diminuem a velocidade de liberação da insulina no organismo, como legumes e verduras, cereais integrais e leguminosas (feijões, ervilha, soja, lentilha), são a melhor saída. É bom também cortar os sucos e os doces, diminuir os intervalos entre as refeições para que coma de três em três horas e alimentar-se bem antes de realizar exercícios físicos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.