Benefícios das Plantas

Taioba – Para que Serve? Como Identificar?

Taioba – Para que Serve? Como Identificar essa planta. Além disso, a Taioba é popularmente conhecida como um alimento natural da floresta e como planta medicinal, funcionando principalmente como cicatrizante. É uma gênero nativa da Mata Atlântica, mas não é endêmica, oriundo de florestas tropicais da América do Sul, é encontrada também em países da Ásia e África, inclusive existem relatos de cultivos milenares na China e no antigo Egito.

Taioba 

Hoje estudos mostram propriedades de auxílio na redução do risco de doenças cardiovasculares e no tratamento de úlceras, além de ser 100% comestível. Suas folhas podem ser ingeridas refogadas como couve ou espinafre e seus rizomas (raízes) lembram o inhame e são servidos cozidos, fritos, assados e etc.

Desde sempre esta planta fez parte da cultura indígena nativa e caiçara. Conhecida e utilizada por diversos povos em todo o país, hoje sabemos inúmeras receitas e propriedades graças ao conhecimento protegido por estes povos e comunidades.

A principal receita típica é o preparo da folha refogada, fatiada e servida de acompanhamento, e em outros países o consumo de seu tubérculo (raíz) é mais comum. Podemos afirmar uma coisa, a grande importância de uma planta abundante e comum na Mata Atlântica e a sua capacidade de ultrapassar gerações com propriedades alimentícias e medicinais utilizadas a centenas de anos.

O que é a Taioba:

A Taioba é uma planta tropical que pode ser considerada uma verdura, pois ela é comestível e o modo de preparação é similar ao de outros vegetais, como a couve, por exemplo. Ela é formada de muitos nutrientes e minerais, sendo uma excelente colaboradora para os cuidados com a saúde, particularmente por causa da enorme quantia de vitamina A presente em sua composição.

A Taioba é oriunda da América Central, porém já era cultivada há milhares de anos na China e no Egito. Suas folhas aparenta com as folhas da couve, porém um pouco mais largas e mais vistosas. A Taioba também é popularmente conhecida como: orelha-de-elefante, macabo, mangarás, mangará-mirim, mangareto, mangarito, taiá e yutia.

Seu nome científico é Xantosoma sagittifolium e ela pertence à família das Aráceas, sendo facilmente cultivada em regiões de clima quente e úmido. Uma informação cuidadosa sobre esta planta é que nem toda gênero dela identificada é comestível.

A taioba-brava, do qual o nome científico é Colocasia antiquorum schott, não é recomendada para o consumo humano, visto que possui oxalato de cálcio, um elemento que pode causar asfixia, ardor na garganta e na boca. Por isso, aconselha-se apenas o consumo da taioba-mansa fervida em água.

Benefícios da Taioba:

Os principais benefícios da Taioba são:

Agir Como Antioxidante:

As folhas da Taioba são ricas em vitamina C, um maravilhoso antioxidante que age no corpo humano fortalecendo o sistema imunológico e prevenindo doenças como gripes, resfriados, câncer e aterosclerose.

Evitar a Anemia:

A Taioba é farta em ferro, mineral essencial para o deslocamento de oxigênio no sangue e que, quando está em escassez no organismo, causa anemia. Assim, tomar um copo de suco com uma folha de Taioba por dia ajuda a evitar e combater anemias.

Além disso, ela também é farta em vitaminas do complexo B, que agem aumentando a produção de energia no corpo humano e evitando o cansaço que normalmente acompanha a anemia.

Evitar Osteoporose:

Por ser farta em cálcio e fósforo, a Taioba é uma excelente fonte de nutrientes para mantes os ossos fortes, prevenindo problemas como osteoporose, que surge principalmente em idosos e em mulheres após a menopausa.

Além disso, estes minerais também são importante para manter a saúde dos dentes e para se ter uma boa contração muscular, favorecendo a força e ajudando o bom funcionamento do coração.

Melhorar o Fluxo Intestinal:

Por ser uma folha farta em fibras, a Taioba auxilia a aumentar o bolo fecal e agilizar o trânsito intestinal, combatendo a prisão de ventre. Para elevar esse efeito, uma boa orientação é preparar um suco com uma folha de Taioba, uma laranja, duas ameixas secas e limão.

Melhorar a Visão:

A Taioba é farta em vitamina A, nutriente importante para a saúde da visão. Ter uma alimentação farta em vitamina A evita problemas como degeneração macular, cegueira noturna e catarata, que surgem com o avançar da idade.

Além desses, estes e outros benefícios podem ser comprovados por um estudo muito minucioso sobre a Taioba, do qual o objetivo principal é auxiliar para a melhoria nutricional das populações de regiões de clima excessivamente úmido para o cultivo de verduras folhosas clássicas, com o intuito até de erradicar a fome de algumas regiões do país.

Uma vez que poucos estudos são acessíveis sobre a folha de Taioba, esse estudo argumentou a contribuição de vegetais folhosos sobre a saúde humana, baseados em estudos com animais e seres humanos. Neste estudo também se afirmou que os efeitos da planta podem evitar o câncer de intestino devido à quantia grande de fibras e fitoquímicos que ela possui.

Percebe-se que a fibra alimentar presente na Taioba e em outros vegetais, por não ser digerida pelas enzimas intestinais dos humanos, pode alcançar o intestino grosso quase intacta ou sofrer algum grau de fermentação pela microbiota intestinal.

Com isso chegou-se à finalização de que o consumo de folhas de Taioba também são favoráveis para a redução da glicemia e do colesterol, bem como da modulação da microbiota intestinal e da motilidade intestinal, o que leva a associar também à prevenção de câncer de cólon, doenças inflamatórias intestinais e até mesmo obesidade.

Como Identificar a Taioba:

Intitulam os nativos que não pode consumi-la crua visto que, “azeda” a boca! Na verdade a Taioba possui estruturas que, na falta de cozimento podem causar irritações quando ingerida. Estas estruturas são destruídas com o cozimento ou até mesmo refogado.

Porém o maior cuidado não é com o mal preparo da espécie comestível, e sim com o consumo de espécies tóxicas que tem aspecto e até mesma família da Taioba. As espécies tóxicas não devem ser ingeridas de maneira alguma, e apresentam certas estruturas morfológicas diferentes da taioba-verdadeira que podem ser aprendidas, favorecendo na prevenção de intoxicações e reações colaterais.

Batizadas pelos nativos como taioba-brava, estas espécies tóxicas e não comestíveis podem ser achadas de diferentes formas. Algumas podem ser idênticas à verdadeira, diferenciando apenas através de pecíolo (talo) roxo.

Outra forma típica de uma taioba-falsa pode ser a posição do talo em comparação com a extremidade de união das folhas e também na falta de uma linha circundante na folha, comum nas taiobas-verdadeiras.

Tais espécies falsas são muitas vezes plantas habituais de ambientes alagados, degradados e achadas com mais facilidade em ambientes antropizados. O mais importante é saber reconhecer a Taioba verdadeira pelo talo bem no encontro entre as folhas, sua coloração destaca em verde e uma linha circundante na folha, assim podemos garantir ser uma não-tóxica.

Por isso a indicação é, na dúvida, não ingira e questione à quem conhece! Agora é com você, aproveite o que a floresta pode nos proporcionar Diminua o consumo de agrotóxicos, Prefira uma alimentação saudável, sustentável e nativa. Denominamos isso de identidade alimentar, a Taioba tem a nossa identidade, é brasileira e nativa da Mata Atlântica.

Como Consumir a Taioba:

A Taioba pode ser acrescentada em saladas refogadas, sucos verdes, recheios de pizzas, crepes e bolinhos, e pode ser incluída em sopas e vitaminas para trazer um maior valor nutritivo pra refeição. Ela tem um sabor similar com o do espinafre, porém é mais leve e mais fácil de encaixar em diversas receitas, mesmo para crianças e adultos que não costumam gostar de vegetais.

Receitas de Usando a Taioba:

Saber usar a Taioba como alimento, assim como outros produtos nativos, faz manter tradições e fortalece a identidade alimentar, caminho para uma alimentação saudável e sustentável. Ela é ainda esquecida na mesa do brasileiro.

Muitos não conhecem, outros conhecem, mas jamais comeram e outros poucos conhecem, comeram, mas ainda não sabem sobre suas propriedades nutritivas e medicinais. Farta em vitamina A, vitamina B1, vitamina B2vitamina C e sais minerais como ferro, potássio, manganês, fósforo e cálcio, a Taioba é ainda energética e evita a anemia!

Com infinitas propriedades benéficas ao nosso corpo, precisamos conhecer mais esta herbácea nativa, tanto no preparo de alimento como em seu cultivo e colheita, seguindo um caminho ecológico e sustentável no uso da floresta atlântica. Então, confira agora algumas receitas usando a Taioba:

1. Pão de Taioba:

Ingredientes:

  • 5 xícaras (chá) de farinha de trigo;
  • 1 colher (sopa) de açúcar;
  • 1/2 xícara (chá) de Taioba cozida;
  • 1 xícara (chá) da água de Taioba;
  • 10 g de fermento biológico seco;
  • 1 ovo;
  • 1 dente de alho;
  • 100 g de queijo parmesão ralado;
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto.

Modo de Preparo:

  • O primeiro passo para preparar essa receita é cozinhar a Taioba.
  • Para isso, encha uma panela de água e leve para ferver.
  • Enquanto isso, corte a Taioba removendo os talos e as partes mais grossas.
  • Em seguida, corte-a em tirinhas, da mesma forma que cortamos couve.
  • Coloque a Taioba cortada na panela de água fervente, junte o dente de alho e deixe cozinhar por cerca de 2 a 4 minutos.
  • Escorra a água da panela, descarte o dente de alho e coloque a Taioba em cima de uma peneira bem fina.
  • Coloque uma tigela debaixo da peneira e, com ajuda de uma colher, pressione bem, deixando a Taioba bem seca e removendo todo o excesso de água. Reserve.
  • Em um recipiente, misture os ingredientes secos: a farinha de trigo, o sal, o açúcar e o fermento. Misture bem.
  • Acrescente a Taioba cozida, a tigela com a água escorrida da Taioba e o ovo.
  • Por último, adicione o queijo parmesão.
  • Com as pontas dos dedos, misture tudo até obter uma massa homogênea.
  • Transfira a massa para uma bancada e sove por aproximadamente 5 minutos.
  • O ponto certo da massa é quando ela ainda está grudando um pouco, mas solta das mãos e com facilidade.
  • Coloque-a em uma tigela e cubra com um pano de prato limpo e úmido.
  • Deixe descansar por cerca de 30 minutos.
  • Depois transfira para uma forma de pão untada e enfarinhada.
  • Leve para assar em forno preaquecido a 230º C até a casca dourar.

2. Pirão de Taioba com farinha de mandioca:

Ingredientes:

  • 3 folhas de Taioba cozidas, escorridas e picadas;
  • 2 dentes de alho picados;
  • 2 colheres de sopa de azeite;
  • 1 pimenta dedo de moça vermelha, sem sementes, picada;
  • 2 xícaras (chá) de água fervente;
  • 1/2 xícara (chá) de farinha de mandioca;
  • Sal á gosto.

Modo de Preparo:

  • Tire a nervura central das folhas da Taioba e cozinhe em água salgada.
  • Após 10 minutos, ou quando as folhas estiverem macias, escorra toda a água.
  • Pique as folhas cozidas e reserve.
  • Em uma panela, doure o alho no azeite, junte a pimenta picada e a água fervente.
  • Em seguida a crescente a Taioba e espere ferver.
  • Junte, aos poucos, a farinha de mandioca, mexendo sempre.
  • Deixe engrossar, prove o tempero e corrija o sal se necessário.
  • O tempero é bastante pessoal, use a criatividade e saboreie a floresta!

Risoto de Taioba com Banana da Terra:

Ingredientes:

  • 1 cebola média picada em cubos bem pequenos;
  • 1 colher de manteiga;
  • 1/2 xícara de arroz arbóreo (arroz de risoto);
  • 1/3 xícara de vinho branco seco;
  • 2-3 bananas da terra cortada em cubos médios;
  • 4 folhas de Taioba (em torno de 1/2 molho);
  • Lascas de queijo minas bem curado.

Modo de Preparo:

  • Comece aquecendo um caneco com água em uma das bocas do fogão;
  • Se você tiver algumas folhas de alho poró (a parte de cima do bulbo, que geralmente descartamos), ou caldo de legumes caseiro coloque nesta água;
  • Caso não tenha, não se preocupe, a água sozinha é suficiente pra fazer o prato;
  • A água precisa estar fervendo para colocarmos no risoto;
  • Em outra panela, refogue a cebola na manteiga em fogo baixo até que o fundo da panela comece a ficar com um agarradinho escuro;
  • Coloque o arroz, deixe torrar por 1-2 minutos, e jogue o vinho branco para soltar o fundo da panela;
  • Assim que o vinho secar, comece a colocar a água que você deixou ferver sobre o arroz;
  • Não despeje tudo;
  • Coloque um pouco até o arroz ficar envolto em água, mexa, cozinhe por mais alguns minutos esperando que ela evapore, e em seguida coloque mais um pouquinho;
  • Essa operação vai precisar ser repetida de 3 a 4 vezes até que o risoto fique pronto;
  • Depois de colocar a primeira água, coloque metade da quantidade de banana da terra picada;
  • Ela deverá praticamente se desmanchar no risoto, dando bastante sabor pro arroz;
  • Quando perceber que o arroz está mudando de cor e ficando cozido (na última água), coloque o restante da banana;
  • 1 ou 2 minutos depois, coloque as folhas de Taioba previamente picadas bem fininhas;
  • Acerte o sal, desligue o fogo e jogue as lascas de queijo Minas por cima;
  • É desejável que não se seque muito o risoto, e que ele fique bem molhadinho.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.