Sintomas

Os 12 Sintomas de Plaquetas Baixas no Corpo

Os Sintomas de Plaquetas Baixas no Corpo podem surgir imediatamente ou somente depois que a condição já estiver bem avançada. Além disso, as Plaquetas Baixas, também conhecidas como plaquetopenia ou trombocitopenia, são a diminuição do número de plaquetas no sangue, situação que prejudica a coagulação, e pode causar sintomas como manchas roxas ou avermelhadas na pele, sangramento nas gengivas ou pelo nariz, e urina avermelhada, por exemplo.

As plaquetas são componentes essenciais do sangue para a coagulação, facilitando a cicatrização de feridas e impedindo hemorragias, e existem diversas causas para a sua redução, dentre elas infecções, como a dengue, uso de remédios, como heparina, doenças relacionadas com a imunidade, como púrpura trombocitopênica e, até, câncer.

Sintomas de Plaquetas Baixas no Corpo

Quais são as Causas?

Muitas doenças e condições mórbidas podem reduzir o número de plaquetas, mas muitas vezes não se detecta uma causa específica. As causa mais comuns de Plaquetas Baixas são: diminuição da produção medular devido a enfermidades medulares, infiltração por células malignas, quimioterapia, hipoplasia congênita da medula, sequestro esplênico, aumento da destruição plaquetária, indução por fármacos e dengue.

Sintomas de Plaquetas Baixas:

Os sintomas de plaquetopenia (plaquetas baixas) dependem do quão baixas estão as plaquetas. Considera-se plaquetopenia quando as plaquetas estão abaixo de 150.000/mm3. As plaquetas são células produzidas na medula óssea, que possuem a propriedade de coagular o sangue e de ajudar que uma ferida pare de sangrar. Os sintomas mais comuns mostraremos a seguir, por isso, confira a seguir Os 12 Sintomas de Plaquetas Baixas no Corpo:

1. Atrelamento a Outras Doenças:

Algumas doenças como a Hepatite B, a dengue e a Anemia estão associadas à falta de plaquetas no organismo e vice-versa. O estudo e o diagnóstico destas doenças e também da falta de plaquetas no sangue deve ser feito por um especialista, uma vez que o tratamento é bem específico e exige medicamentos controlados.

De qualquer forma, se você sente algum destes Sintomas de Plaquetas Baixas, procure um médico. Ele indicará os exames corretos e fará a análise dos dados para saber se você possui realmente uma deficiência ou se você apenas precisa se alimentar melhor.

2. Feridas e Dermatites:

Por conta das Plaquetas Baixas, é possível que a pessoa comece a apresentar pequenas erupções cutâneas ou ferimentos leves que sangram pouco, mas constantemente. Este já é um sintoma mais específico e geralmente costuma acompanhar hematomas na pele.

3. Sangramentos:

Como já dito, as plaquetas possuem a função de evitar sangramentos. Elas fazem isso ao ajudar o sangue a coagular sempre que ele for “vazar”. Portanto, um dos Sintomas de Plaquetas Baixas é o início de sangramentos constantes em algumas regiões do corpo.

As gengivas e o nariz são os pontos mais comuns. No entanto, com níveis extremamente baixos de plaquetas (algo em torno de dez mil por milímetro cúbico ou menos) os sangramentos podem começar a ficar mais constantes e frequentes. Este pode ser o início de um quadro mais grave da deficiência.

4. Hematomas:

Quando a descida de plaquetas é maior, é comum apresentar hematomas com facilidade perante qualquer golpe ligeiro. Os hematomas são frequentes e evidentes, inclusive quando não recebemos nenhum golpe na zona afetada.

plaquetas baixas

5. Fadiga e Cansaço:

Os primeiros Sintomas de Plaquetas Baixas são a fadiga e o cansaço. No entanto, por serem sintomas comuns a uma grande quantidade de doenças e outros problemas, é necessário avaliar bem a situação para diagnosticar uma pessoa com falta de plaquetas só por estes sintomas. A fraqueza e a tontura também podem aparecer e isso já agrava a situação. É importante fazer exames para ter um diagnóstico mais preciso.

Outros Sintomas de Plaquetas Baixas:

  • Fluxo menstrual constante e anormal;
  • Sangramento abundante durante uma cirurgia;
  • Presença de sangue na urina ou nas fezes;
  • Sangramento prolongado de cortes ou lesões causadas à pele;
  • Contusões excessivas e recorrentes;
  • Sangramento espontâneo das gengivas ou do nariz;
  • Sangramento superficial na pele que aparece como uma erupção de pequenas manchas avermelhadas, geralmente nas pernas.

A principal forma de prevenção é não beber bebidas alcoólicas em excesso. Além disso, passar por uma vistoria mensal pelo médico é sempre uma forma de controlar o número de plaquetas no seu sangue, evitando o pior.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.