Os 11 Principais Sintomas de Câncer Infantil

Revisado por

Graduado em Nutrição!

Especialista do Dicas de Saúde

Os 11 Principais Sintomas de Câncer Infantil
4.8 (96.07%) 275 votos

Os Principais Sintomas de Câncer Infantil que não podem ser ignorados. Além disso, há 40 anos o diagnóstico tardio foi um problema na busca da cura do câncer infantil. Não se pensava em crianças com câncer. Além disso, os sintomas se assemelham a muitas outras doenças infantis, o que dificultava (e ainda dificulta) um diagnóstico em tempo. A diferença é que a maioria das doenças infantis (geralmente viroses) desaparece entre 7 e 10 dias, o que não acontece quando se trata de câncer infantil.Há que se ter em mente que crianças não são adultos pequenos. Sua fisiologia é diferente e a manifestação do câncer também será diferente. Não se fala, por exemplo, em “prevenção de câncer infantil” já que a maioria das causas não pode ser identificada. São poucos os fatores de risco – geralmente predisposição genética e causas associadas a infecções por vírus – e é menor a incidência desse tipo de mal na infância. Também os índices de cura são maiores que nos adultos.

Tipos de Câncer Infantil: Os tipos de câncer Infantil mais frequentes são:

  • Linfoma: câncer que ataca o sistema linfático que é uma rede de órgãos e tecidos responsáveis pela defesa orgânica e que transportam um líquido chamado linfa – um dos componentes do sistema sanguíneo e que atua na nutrição celular.
  • Leucemia: Atinge os glóbulos brancos (leucócitos) que são responsáveis também pela defesa do organismo, prejudicando o funcionamento da medula óssea, e consequentemente impedindo a produção de células sanguíneas normais, causando problemas como anemia e hemorragia e deixando o corpo sem defesa contra infecções. Sua incidência é de 30% (alta).
  • Tumor do SNC: Atinge o sistema nervoso central (encéfalo e medula espinhal). Em incidência (25%) só perde para a Leucemia (30%). Os sintomas dependem de onde o tumor se encontra ou seu tamanho. Geralmente obstrui o fluxo de líquidos cerebrais e causa hipertensão intracraniana. O paciente tem fortes dores de cabeça e vômitos.
  • Neuroblastoma: Mais comum em crianças abaixo de cinco anos. Atinge o sistema nervoso periférico e podem surgir caroços no abdome, pescoço ou pélvis.
  • Tumor de Wilms: Ataca os rins e é mais comum em crianças de 2 a 4 anos.
  • Retinoblastoma: Ataca o olho (retina).
  • Osteossarcoma: Agride os ossos, principalmente a área ao redor dos joelhos e é mais comum em adolescentes abaixo de 15 anos. É um câncer infantil agressivo e que se propaga para os pulmões.
  • Sarcomas de partes moles: Tumores do tecido conjuntivo (músculos).

A boa notícia é que, atualmente, cerca de 70% dos pacientes alcançam a cura através dos diversos métodos de tratamento, alguns tipos de câncer Infantil têm índice de cura superior a 90% e outros tipos mais agressivos (minoria) ainda estão com índices de 20%, infelizmente. No entanto, seja qual for o tipo de câncer Infantil, o diagnóstico precoce é fundamental para a cura.

Preste atenção às queixas das crianças e adolescentes. Fique atento caso os sintomas persistam mesmo com tratamento. Então, confira agora Os 11 Principais Sintomas de Câncer Infantil:

  • Perda de peso – inexplicável e contínua.
  • Dor nos ossos e nas articulações que prejudicam as brincadeiras e ou atividades.
  • Dores de cabeças acompanhadas de vômitos, geralmente na parte da manhã.
  • Caroços que não cedem – costumam aparecer no pescoço, axilas, virilhas e abdome.
  • Aumento do volume da barriga.
  • Petéquias – pequenas manchas avermelhadas que indicam sangramento dos vasos sanguíneos, geralmente capilares.
  • Manchas roxas na pele (hematomas) sem que houvesse pancada no local.
  • Brilho esbranquiçado em um dos olhos quando a retina é exposta à luz, como a de flashes.
  • Cansaço constante e palidez – Anemia.
  • Febre persistente de origem indeterminada ou desconhecida.
  • Infecções frequentes, baixa imunidade.

Caso identifique em sua criança ou adolescente algum (ou alguns) dos sintomas acima, procure um médico. Caso o problema persista após consulta e tratamento, retorne ao médico e insista em um diagnóstico mais cuidadoso ou consulte uma segunda opinião.

0/5 (0 Reviews)
Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Leandro Almeida

Olá, meu nome é Leandro Cardoso de Almeida sou graduado no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) desde 2011 e Mestre em Nutrição Clínica pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, Portugal. Atualmente atendo em consultório particular no Brasil e atuo como editor no site Dicas de Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *