Dicas de Saúde

Os 3 Benefícios da Atividade Física Para Quem tem Diabetes

Os 3 Benefícios da Atividade Física Para Quem tem Diabetes

Revisado por

Graduado em Nutrição!

Especialista do Dicas de Saúde

Os Benefícios da Atividade Física Para Quem tem Diabetes tipo 1 e tipo 2. Além disso, mesmo para aqueles que já desenvolveram tais doenças, a atividade física em algum momento da evolução do paciente vai fazer parte do tratamento. Especificamente em relação ao diabetes, o exercício físico melhora o aproveitamento da glicose pelos músculos, reduzindo muitas vezes as doses dos medicamentos utilizados e ajudando a prevenir problemas associados ao diabetes, como alterações na retina, vasos sanguíneos, nervos, rins e coração.Benefícios da Atividade Física Para Quem tem DiabetesNum trabalho recente realizado no Centro Médico Universitário de Leiden, na Holanda, foi comprovada, através de ressonância magnética, uma redução da gordura ao redor de órgãos como coração, fígado e rins em 12 pacientes com Diabetes tipo 2 (quando não há necessidade do uso de insulina para o controle da doença) secundária ao exercício físico.

A redução deste tipo de gordura está associada a uma menor ocorrência de complicações do Diabetes como o infarto do miocárdio. É importante que o diabético converse com seu endocrinologista sobre os exercícios que já realiza ou pretende iniciar, pois muitas vezes serão necessários ajustes na dosagem de insulina e dos medicamentos orais comumente utilizados. Então, confira agora Os 3 Benefícios da Atividade Física Para Quem tem Diabetes:

Benefício da Atividade Física Para Quem tem Diabetes: Atividades físicas devem fazer parte da rotina do diabético, porém precisam de carga extra de atenção. O crescente número de pessoas sedentárias têm alarmado cientistas do mundo todo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 39% dos adultos ao redor do globo, com idades acima de 18%, estavam acima do peso em 2014.

A falta de exercícios é responsável pelo risco de desenvolver doenças cardiovasculares, câncer de mama e cólon e Diabetes tipo 2. Para quem já possui o Diabetes, as atividades tornam-se ainda mais necessárias: “os exercícios, desde que feitos de forma regular e com intensidade moderada, são sempre aliados do diabéticos, pois diminuem a resistência à ação da insulina”. Porém, quais são as recomendações para aproveitar os treinos sem afetar o controle da glicemia?

Atividade Ideal: O Diabetes sozinho não impede que o indivíduo se exercite – caso a doença esteja controlada. Entretanto, devido ao risco de descontrole na glicemia ser mais frequente em diabéticos, é necessário uma avaliação prévia. Principalmente em casos que o diabetes caminha com hipertensão, obesidade e colesterol alto, por exemplo.

“Os exercícios somente não serão indicados quando o diabetes estiver descompensado, o que, na maioria dos casos, pode haver alguma adaptação bem orientada por um profissional especializado”. Quando positiva, a atividade física estimula a produção de insulina, em alguns casos na qualidade de vida do paciente, em ambos os casos. “O ideal é unir uma atividade resistida (musculação, por exemplo) com uma atividade aeróbica (caminhada, bike, transport e etc)”.

Para Dar Energia: Os carboidratos são essenciais para gerar energia suficiente para treino, porém diabéticos precisam ter um consumo moderado desses nutrientes. A nutróloga Silvia recomenda que antes e depois do exercício o diabético consuma alimentos que promovam uma liberação gradual de energia, como os integrais, para evitar riscos de uma hipoglicemia.

Ela ainda destaca “se necessário, deve-se suplementar carboidratos de lenta absorção durante o exercício. No caso de uma hipoglicemia repentina, o ideal é ingerir algo ele rapidamente a glicose plasmática”. “Durante o exercício o diabético deve tomar cuidado para não ter uma queda brusca de glicemia. Sendo assim, ele deva ficar atento aos seus sintomas, como tontura, visão escurecida, mal-estar e dor de cabeça”.

Suplementação Pode: Diabéticos podem fazer uso de suplementos, mas é importante ressaltar que, independentemente de quais eles sejam, não devem ser tomados sem conhecimento medico. “O uso pode ser prejudicial se feito em dose elevada e a avaliação médica é fundamental nesse contexto”. Segundo o profissional, a ingestão indiscriminada daqueles que contenham carboidratos pode desregular a glicemia e o excesso de proteicos, como Why, tende a afetar os rins.

Não Puxe Peso Demais: Caso não seja feito de acordo, os exercícios podem causar diferentes problemas ao organismo do diabético:

  • Hipoglicemias ou hiperglicemias: Ocorrem quando a dose da medicação não está adequada ou a alimentação não é balanceada. por isso recomenda-se medir a glicemia antes e depois do exercício. Se a taxa de açúcar no sangue, antes da prática, for inferior a 100mg/dL, deve ser ingerido 15g a 20g de carboidrato de absorção rápida (como, por exemplo, uma tapioca pequena). Em caso de hiperglicemia, em que a taxa é maior que 300mg/dL, é recomendado adiar a atividade.
  • Neuropatia periférica: Devido ao atrito durante as atividades, é necessário que o diabético fique atento a qualquer lesão nos pés. Se isso ocorrer, dê preferencia às atividades sem impacto na região, como natação, bicicleta ou remo.
Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.