Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças Doenças e Tratamentos Sintomas

Síndrome Coronariana Aguda – O que é, Sintomas e Tratamentos

Síndrome Coronariana Aguda – O que é, Sintomas e Tratamentos dessa condição. Além disso, a Síndrome Coronariana Aguda (SCA) refere-se a um espectro de apresentações clínicas que vão desde aqueles para infarto do miocárdio de elevação do segmento ST (STEMI) até apresentações encontradas em infarto do miocárdio sem elevação do segmento ST (NSTEMI) ou em angina instável. É quase sempre associada à ruptura de uma placa aterosclerótica e a trombose parcial ou completa da artéria relacionada ao infarto. Então, confira agora Síndrome Coronariana Aguda – O que é, Sintomas e Tratamentos:

O que é Síndrome Coronariana Aguda: A Síndrome Coronariana Aguda é um termo usado para descrever uma gama de condições associadas ao fluxo sanguíneo súbito e reduzido para o coração. Uma condição sob o guarda-chuva da Síndrome Coronariana Aguda é o infarto do miocárdio (ataque cardíaco) – quando a morte celular resulta em tecido cardíaco danificado ou destruído.

Mesmo quando a síndrome coronária aguda não causa morte celular, o fluxo sanguíneo reduzido altera a função cardíaca e indica um alto risco de ataque cardíaco. A Síndrome Coronariana Aguda geralmente causa dor ou desconforto no tórax severo. É uma emergência médica que requer um diagnóstico e cuidados imediatos. Os objetivos do tratamento incluem melhorar o fluxo sanguíneo, tratar complicações e prevenir problemas futuros.

Causas de Síndrome Coronariana Aguda: A Síndrome Coronariana Aguda geralmente resulta do acúmulo de depósitos gordurosos (placas) nas paredes das artérias coronárias, os vasos sanguíneos que fornecem oxigênio e nutrientes aos músculos cardíacos. Quando um depósito de placa se rompe ou se divide, um coágulo de sangue se forma. Esse coágulo obstrui o fluxo de sangue aos músculos cardíacos. Quando o fornecimento de oxigênio às células é muito baixo, as células dos músculos cardíacos podem morrer.

A morte de células – resultando em danos nos tecidos musculares – é um ataque cardíaco (infarto do miocárdio). Mesmo quando não há morte celular, um suprimento inadequado de oxigênio ainda resulta em músculos cardíacos que não funcionam corretamente ou eficientemente. Esta disfunção pode ser temporária ou permanente. Quando a Síndrome Coronariana Aguda não resulta na morte celular, é chamada de angina instável.

Sintomas de Síndrome Coronariana Aguda: Os sinais e sintomas da Síndrome Coronariana Aguda, que geralmente começam abruptamente, incluem o seguinte:

  • Dor no peito (angina) ou desconforto, muitas vezes descrito como dor, pressão, aperto ou queimação
  • Dor irradiando do tórax para os ombros, braços, parte superior do abdômen, costas, pescoço ou mandíbula
  • Náusea ou vômito
  • Indigestão
  • Falta de ar (dispneia)
  • Sujidade repentina e pesada (diaforese)
  • Tonturas, tonturas ou desmaios
  • Fadiga incomum ou inexplicada
  • Sentindo-se inquieto ou apreensivo

Embora a dor no peito ou desconforto seja o sintoma mais comum associado à Síndrome Coronariana Aguda, os sinais e sintomas podem variar significativamente de acordo com sua idade, sexo e outras condições médicas. As pessoas que são mais propensas a ter sinais e sintomas sem dor no peito ou desconforto são mulheres, adultos mais velhos e pessoas com diabetes.

Quando Consultar um Médico: A Síndrome Coronariana Aguda é uma emergência médica, e dor torácica ou desconforto podem indicar qualquer número de condições graves e que ameaçam a vida. Ligue para emergência imediatos para obter um diagnóstico rápido e cuidados adequados. Não se dirija a um serviço de emergência.

Fatores de Risco de Síndrome Coronariana Aguda: Os fatores de risco para Síndrome Coronariana Aguda são os mesmos para outros tipos de doença cardíaca. Os fatores de risco de Síndrome Coronariana Aguda incluem:

  • Idade Avançada (mais de 45 anos para homens e mais de 55 para mulheres)
  • Pressão alta
  • Fumar cigarro
  • Falta de atividade física
  • Colesterol alto no sangue
  • Dieta insalubre
  • Obesidade ou excesso de peso
  • Diabetes
  • História familiar de dor torácica, doença cardíaca ou acidente vascular cerebral
  • Para mulheres, história de hipertensão arterial, pré-eclâmpsia ou diabetes durante a gravidez

Diagnóstico de Síndrome Coronariana Aguda: Se você tem sinais ou sintomas associados à Síndrome Coronariana Aguda, um médico da sala de emergência provavelmente irá solicitar vários testes. Alguns testes podem ser realizados enquanto seu médico faz perguntas sobre seus sintomas ou histórico médico. Os testes incluem:

  • Eletrocardiograma (ECG). Este teste mede a atividade elétrica em seu coração através de eletrodos anexados à sua pele. Os impulsos anormais ou irregulares podem indicar pouca função cardíaca devido à falta de oxigênio para o coração. Certos padrões em sinais elétricos podem indicar a localização geral de um bloqueio. O teste pode ser repetido várias vezes.
  • Exames de sangue. Certas enzimas podem ser detectadas no sangue se a morte celular resultar em danos ao tecido cardíaco. Um resultado positivo indica um ataque cardíaco.

A informação desses dois testes – bem como sinais e sintomas – pode fornecer a base primária para um diagnóstico de Síndrome Coronariana Aguda e pode determinar se a condição pode ser classificada como um ataque cardíaco ou angina instável.

Tratamentos de Síndrome Coronariana Aguda: Os objetivos de tratamento de Síndrome Coronariana Aguda imediato são aliviar a dor e o sofrimento, melhorar o fluxo sanguíneo e restaurar a função cardíaca o mais rápido e o melhor possível. Os objetivos de tratamento a longo prazo são melhorar a função cardíaca geral, gerenciar fatores de risco e reduzir o risco de ataque cardíaco. Uma combinação de drogas e procedimentos cirúrgicos pode ser usada para atingir esses objetivos.

Medicamentos: Dependendo do diagnóstico de Síndrome Coronariana Aguda, os medicamentos para cuidados de emergência ou gestão, em alguns casos, ambos – podem incluir o seguinte:

  • Os trombolíticos, também chamados de coágulos, ajudam a dissolver um coágulo de sangue que bloqueia uma artéria.
  • A nitroglicerina melhora a circulação sanguínea ao ampliar temporariamente os vasos sanguíneos.
  • Os fármacos antiplaquetas, que ajudam a evitar a formação de coágulos sanguíneos, incluem aspirina, clopidogrel (Plavix), prasugrel (Effient) e outros.
  • Os bloqueadores beta ajudam a relaxar o músculo cardíaco e diminuir sua freqüência cardíaca, diminuindo assim a demanda em seu coração e diminuindo a pressão arterial. Estes incluem metoprolol (Lopressor), nadolol (Corgard) e vários outros.
  • Os inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA) expandem os vasos sanguíneos e melhoram o fluxo sanguíneo, permitindo que o coração funcione de forma mais fácil e eficiente. Eles incluem lisinopril (Prinivil, Zestril), benazepril (Lotensin) e vários outros.
  • Os bloqueadores dos receptores da angiotensina (ARB) , que ajudam a controlar a pressão arterial, incluem irbesartan (Avapro), losartan (Cozaar) e vários outros.
  • As estatinas reduzem a quantidade de Colesterol circulante no sangue e podem estabilizar os depósitos de placas, tornando-os menos propensos a se romperem. As estatinas incluem atorvastatina (Lipitor), simvastatina (Zocor) e várias outras.

Cirurgia e Outros Procedimentos: Se os medicamentos não são suficientes para restaurar o fluxo sanguíneo para os músculos cardíacos, seu médico pode recomendar um desses procedimentos:

  • Angioplastia e stenting. Neste procedimento, seu médico insere um longo e pequeno tubo (cateter) na parte bloqueada ou estreita de sua artéria. Um fio com um balão deflacionado é passado através do cateter para a área estreitada. O balão é então inflado, abrindo a artéria comprimindo os depósitos da placa contra as paredes da sua artéria. Um tubo de malha (stent) geralmente é deixado na artéria para ajudar a manter a artéria aberta.
  • Cirurgia de bypass coronariano. Com este procedimento, um cirurgião toma um pedaço de vaso sanguíneo (enxerto) de outra parte do seu corpo e cria uma nova rota para o sangue que circunda ou desvia, uma artéria coronária bloqueada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.