Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

Corrimento Vaginal – O que é, Sintomas, Causas e Tratamentos

Corrimento Vaginal – O que é, Sintomas, Causas e Tratamentos. Além disso, toda mulher apresenta conteúdo vaginal. A diferença entre o conteúdo normal e o corrimento está na alteração do volume, da cor e do odor, além dos sintomas que causam. O conteúdo vaginal normal tem odor inespecífico e varia de mulher para mulher.

O volume normal varia de pessoa para pessoa e de acordo com as fases do ciclo menstrual e as fases da vida da mulher. Na segunda metade do ciclo, o volume aumenta, podendo às vezes sujar as vestes íntimas. Na juventude, antes da primeira menstruação, e após a menopausa, o conteúdo é quase nulo por conta dos baixos níveis dos hormônios femininos no organismo. Na gravidez, no geral aumenta. Confira agora Corrimento Vaginal: Sintomas, Causas e Tratamentos:

Os Sintomas são Principalmente:

  • Coceira vaginal.
  • Ardor.
  • Dor pélvica.
  • Dor e ardor ao urinar.
  • Dor durante a relação sexual.

Serão Sinais de Corrimento:

  • O aumento do volume do conteúdo vaginal.
  • Quando umedecer as vestes íntimas todos os dias, às vezes passando para as roupas externas.
  • Quando variar a cor de branco opalescente e cristalino (de acordo com a fase do ciclo) para amarelo tipo pus, amarelo-acinzentado, amarelo-esverdeado, branco-amarelado etc.
  • Quando o odor se tornar fétido principalmente após relação sexual e no final do ciclo menstrual.

Causas: Na maioria das vezes o corrimento é provocado por alterações do equilíbrio da flora vaginal. Algumas bactérias são próprias da vagina e fazem a defesa contra infecções. Estas são algumas condições que predispõem a este desequilíbrio:

  • Hábitos de higiene desfavoráveis.
  • Relações sexuais sem uso de preservativo.
  • Alérgenos (perfumes, geleias contraceptivas, tecidos, sabão , duchas vaginais, banho de espuma, etc).
  • Agentes infecciosos, como vaginose bacteriana, candidíase, tricomoníase, clamídia, gonorreia e HPV.
  • Problemas dermatológicos, como dermatite atópica, psoríase, etc.
  • Alteração do PH vaginal: o ph ácido da vagina normal fica entre 3,5 e 4,5. Esses níveis constituem uma barreira de defesa contra germes.
  • Condições que alteram o PH e ou a flora bacteriana, como diabetes, queda imunológica por estresse ou doença, uso de antibioticoterapia, duchas vaginais, gestação, ciclo menstrual etc.
  • Causas inespecíficas, como ausência de bacilos de Doderlein, bactéria que faz uma barreira de defesa do aparelho genital.
  • Atrofia vaginal, que é o afinamento e ressecamento das paredes vaginais durante menopausa.
  • Infecção pélvica após cirurgia.

Fatores de Risco:

  • Uso de antibióticos prolongado.
  • Sexo sem proteção.
  • Uso de pílulas anticoncepcionais.
  • Diabetes não controlada.
  • Menopausa.
  • Sistema imunológico comprometido.

Buscando Ajuda Médica: Procure ajuda médica se perceber que seu conteúdo vaginal está diferente do normal. Qualquer alteração na cor, consistência ou odor que persistir deve ser investigada.

Vá ao Ginecologista Imediatamente se:

  • Sentir dor abdominal e febre superior a 38 graus, juntamente com um corrimento vaginal.
  • Estiver grávida e apresentar corrimento vaginal incomum.

Marque uma Consulta se:

  • Estiver com coceira vaginal incomum.
  • Sentir dor durante a relação sexual ou micção.
  • Continuar a ter sintomas de corrimento após tratamento.

Na Consulta Médica: Você provavelmente consultará ginecologistas para investigar seu corrimento vaginal. Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo, para que você consiga fazer outras perguntas ao médico. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os seus sintomas e a quanto tempo eles apareceram.
  • Histórico médico, incluindo outras condições que você tenha e medicamentos ou suplementos que você tome com regularidade.
  • Leve suas dúvidas por escrito, começando pela mais importante.

Se essa é a primeira vez que você apresenta corrimento vaginal, o médico irá avaliar o conteúdo da sua vagina. Evite o uso de tampões ou duchas antes da consulta, para que o seu médico consiga avaliar o corrimento vaginal.

Tratamento de Corrimento Vaginal: O tratamento dependerá da infecção que for constatada. No geral, as infecções são tratadas com medicamentos de aplicação local em forma de creme, gel ou comprimidos vaginais, podendo ser complementado com administração oral. Em algumas infecções vaginais, principalmente doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), o parceiro ou parceira deverá ser examinado(a) e receber tratamento e se necessário.

Medicamentos para Corrimento Vaginal: O corrimento vaginal pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico. Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Os medicamentos mais comuns no tratamento de um corrimento vaginal são:

  • Albocresil.
  • Colpistatin.
  • Clindamin-C.
  • Clocef.
  • Fluconazol.
  • Metronidazol.

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.