Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Doenças Doenças e Tratamentos Sintomas

Retinoblastoma – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Retinoblastoma – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos
Gostou do post? Avalie!

Retinoblastoma – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos que muitos desconhecem. Além disso, a Retinoblastoma é um câncer de olho que começa na retina – o revestimento sensível no interior do seu olho. Retinoblastoma geralmente afeta crianças pequenas, mas raramente pode ocorrer em adultos. Sua retina é composta de tecido nervoso que detecta a luz à medida que ela vem pela frente do seu olho. A retina envia sinais através do seu nervo óptico para o seu cérebro, onde esses sinais são interpretados como imagens. Uma forma rara de câncer de olho, Retinoblastoma é a forma mais comum de câncer que afeta o olho em crianças. Retinoblastoma pode ocorrer em um ou ambos os olhos.

Causas do Retinoblastoma: O Retinoblastoma ocorre quando as células nervosas na retina desenvolvem mutações genéticas. Essas mutações fazem com que as células continuem crescendo e se multiplicando quando as células saudáveis ​​morreriam. Essa massa acumulável de células forma um tumor.

As células do Retinoblastoma podem invadir o olho e estruturas próximas. Retinoblastoma também pode se espalhar (metástase) para outras áreas do corpo, incluindo o cérebro e coluna vertebral. Na maioria dos casos, não está claro o que causa as mutações genéticas que levam ao Retinoblastoma. No entanto, é possível que as crianças herdem uma mutação genética de seus pais.

Retinoblastoma Herdado: As mutações genéticas que aumentam o risco de Retinoblastoma e outros tipos de câncer podem ser transmitidas de pais para crianças. Retinoblastoma hereditário é passado de pais para crianças em um padrão autossômico dominante, o que significa que apenas um dos pais precisa de uma única cópia do gene mutável para passar o risco aumentado de Retinoblastoma para as crianças. Se um dos pais carrega um gene mutável, cada criança tem 50% de chance de herdar esse gene.

Embora uma mutação genética aumente o risco de Retinoblastoma de uma criança, isso não significa que o câncer seja inevitável. Crianças com a forma hereditária de Retinoblastoma tendem a desenvolver a doença em uma idade mais precoce. O Retinoblastoma hereditário também tende a ocorrer em ambos os olhos, em oposição a apenas um olho.

Sintomas do Retinoblastoma: Como o Retinoblastoma afeta principalmente crianças pequenas e crianças pequenas, os sintomas são raros. Os sinais que você pode notar incluem:

  • Uma cor branca no círculo central do olho (pupila) quando a luz brilha no olho, como quando tira uma fotografia flash
  • Olhos que parecem estar em diferentes direções
  • Vermelhidão do olho
  • Inchaço dos olhos

Quando Consultar um Médico: Faça uma consulta com o médico do seu filho se você notar qualquer alteração nos olhos do seu filho que o interessa. Retinoblastoma é um câncer raro, portanto, o médico do seu filho pode explorar outras condições de olho mais comuns primeiro. Se você tem uma história familiar de Retinoblastoma, pergunte ao seu pediatra quando seu filho deve começar exames oculares regulares para detectar Retinoblastoma.

Complicações do Retinoblastoma: Os filhos tratados com Retinoblastoma correm o risco de câncer retornar e ao redor do olho tratado. Por este motivo, o médico da sua criança irá agendar exames de acompanhamento para verificar o Retinoblastoma recorrente. O médico pode projetar um cronograma de exame de acompanhamento personalizado para seu filho. Na maioria dos casos, isso provavelmente envolverá exames oculares a cada poucos meses durante os primeiros anos após o término do tratamento com Retinoblastoma.

Além disso, crianças com a forma hereditária de Retinoblastoma têm um risco aumentado de desenvolver outros tipos de câncer em qualquer parte do corpo nos anos após o tratamento. Por este motivo, crianças com retinoblastoma hereditário podem ter exames regulares para detectar outros tipos de câncer.

Diagnóstico do Retinoblastoma: Testes e procedimentos utilizados para diagnosticar o Retinoblastoma incluem:

  • Exame de olho. O seu médico do olho irá realizar um exame de olho para determinar o que está causando os sinais e sintomas da sua criança. Para um exame mais completo, o médico pode recomendar o uso de anestesia para manter seu filho imóvel.
  • Testes de imagem. As varreduras e outros exames de imagem podem ajudar o médico do seu filho a determinar se o Retinoblastoma cresceu para afetar outras estruturas ao redor do olho. Os testes de imagem podem incluir ultra-som, tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (MRI), entre outros.
  • Consultando com outros médicos. O médico do seu filho pode encaminhá-lo a outros especialistas, como um médico especializado no tratamento do câncer (oncologista), um conselheiro genético ou um cirurgião.

Tratamentos do Retinoblastoma: Os melhores tratamentos para o Retinoblastoma do seu filho dependem do tamanho e da localização do tumor, se o câncer se espalhou para áreas que não o olho, a saúde geral do seu filho e suas próprias preferências. Quando possível, o médico do seu filho trabalhará para preservar a visão do seu filho. Quimioterapia: A quimioterapia é um tratamento medicamentoso que usa produtos químicos para matar células cancerosas. A quimioterapia pode ser tomada em forma de pílula, ou pode ser administrada através de um vaso sanguíneo. As drogas de quimioterapia viajam por todo o corpo para matar células cancerosas.

Em crianças com Retinoblastoma, a quimioterapia pode ajudar a encolher um tumor para que outro tratamento, como terapia de radiação, crioterapia, termoterapia ou terapia com laser, possa ser usado para tratar as células cancerosas remanescentes. Isso pode melhorar as chances de seu filho não precisar de cirurgia. A quimioterapia também pode ser usada para tratar o Retinoblastoma que se espalhou para os tecidos fora do globo ocular ou para outras áreas do corpo.

Terapia de Radiação: A radioterapia usa feixes de alta energia, como raios-X, para matar células cancerosas. Dois tipos de terapia de radiação utilizados no tratamento do Retinoblastoma incluem:

  • Radiação interna (braquiterapia). Durante a radiação interna, o dispositivo de tratamento é temporariamente colocado dentro ou próximo do tumor.
  • A radiação interna para Retinoblastoma usa um pequeno disco feito de material radioativo. O disco é costurado no lugar e deixado por alguns dias, enquanto ele lentamente expande a radiação para o tumor. A colocação de radiação perto do tumor reduz a chance de que o tratamento afecte o tecido sonolento saudável.
  • Radiação de feixe externo. A radiação do feixe externo fornece faróis de alta potência para o tumor a partir de uma grande máquina fora do corpo. À medida que seu filho fica em uma mesa, a máquina se move ao redor de seu filho, distribuindo a radiação. A radiação do feixe externo pode causar efeitos colaterais quando os feixes de radiação atingem as áreas delicadas ao redor do olho, como o cérebro. Por esta razão, a radiação de feixe externo é geralmente reservada para crianças com Retinoblastoma avançado e aqueles para quem outros tratamentos não funcionaram.

Terapia com Laser (fotocoagulação a laser): Durante a terapia a laser, um laser é usado para destruir os vasos sanguíneos que fornecem oxigênio e nutrientes para o tumor. Sem uma fonte de combustível, as células cancerígenas podem morrer.

Tratamentos de Frio (Crioterapia): A crioterapia usa frio extremo para matar células cancerosas. Durante a crioterapia, uma substância muito fria, como o nitrogênio líquido, é colocada dentro ou perto das células cancerígenas. Uma vez que as células congelam, a substância fria é removida e as células se descongelam. Este processo de congelamento e descongelamento, repetido várias vezes em cada sessão de crioterapia, faz com que as células cancerosas morram.

Tratamentos Térmicos (Termoterapia): A termoterapia usa calor extremo para matar células cancerosas. Durante a termoterapia, o calor é direcionado para as células cancerosas usando ultra-som, microondas ou lasers.

Cirurgia: Quando o tumor é muito grande para ser tratado por outros métodos, a cirurgia pode ser usada para tratar Retinoblastoma. Nessas situações, a cirurgia para remover o olho pode ajudar a prevenir a propagação do câncer para outras partes do corpo. A cirurgia para Retinoblastoma inclui:

  • Cirurgia para remover o olho afetado (enucleação). Durante a cirurgia para remover o olho, os cirurgiões desconectam os músculos e os tecidos ao redor do olho e removem o globo ocular. Uma porção do nervo óptico, que se estende da parte de trás do olho para o cérebro, também é removida.
  • Cirurgia para colocar um implante de olho. Imediatamente após o remoção do globo ocular, o cirurgião coloca uma bola especial – de plástico ou outros materiais – no soquete do olho. Os músculos que controlam o movimento dos olhos estão presos ao implante. Depois que seu filho se curar, os músculos do olho se adaptarão ao globo ocular implantado, para que ele possa se mover exatamente como o olho natural. No entanto, o globo ocular implantado não pode ver.
  • Colocando um olho artificial. Várias semanas após a cirurgia, um olho artificial feito sob medida pode ser colocado sobre o implante de olho. O olho artificial pode ser feito para combinar o olho saudável do seu filho. O olho artificial fica atrás das pálpebras e se agarra no implante de olho. À medida que os músculos dos olhos do seu filho movem o implante de olho, parecerá que seu filho está movendo o olho artificial. Os efeitos secundários da cirurgia incluem infecção e sangramento. A remoção de um olho afetará a visão do seu filho, embora a maioria das crianças se adapte à perda de olho ao longo do tempo.

Testes Clínicos: Ensaios clínicos são estudos para testar novos tratamentos e novas formas de usar os tratamentos existentes. Embora os ensaios clínicos ofereçam a sua criança a chance de tentar o mais recente em tratamentos com Retinoblastoma, eles não podem garantir uma cura. Pergunte ao médico do seu filho se o seu filho é elegível para participar de ensaios clínicos. O médico do seu filho pode discutir os benefícios e os riscos de se matricular em um ensaio clínico.

Este artigo foi útil?
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie este post)
Loading...

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie este post)
Loading...

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.