Os 4 Principais Sintomas da Hemofilia

Revisado por

Formado em Medicina pela USP!

Especialista do Dicas de Saúde

Os 4 Principais Sintomas da Hemofilia
4.8 (95.65%) 322 voto[s]

Os Principais Sintomas da Hemofilia que todos devem ficar atentos. Além disso, a Hemofilia é uma doença hereditária incurável caracterizada por sangramentos espontâneos (internos e externos), retardo no tempo de coagulação sanguínea, hematomas, dores e inchaço nas articulações. É causada pela insuficiência de fatores coagulantes no sangue e, quando não tratada, pode levar à morte por hemorragia. Então, confira tudo sobre Os 4 Principais Sintomas da Hemofilia:

Sintomas da HemofiliaO que é Hemofilia: A Hemofilia é um distúrbio na coagulação do sangue. Por exemplo: quando cortamos alguma parte do nosso corpo e começa a sangrar, as proteínas (elementos responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento de todos os tecidos do corpo) entram em ação para estancar o sangramento. Esse processo é chamado de coagulação. As pessoas portadoras de Hemofilia, não possuem essas proteínas e por isso sangram mais do que o normal.

Sintoma da Hemofilia: A extensão do sangramento depende do tipo e severidade da Hemofilia. Crianças que têm Hemofilia leve podem não apresentar sintomas, a menos que ocorra sangramento excessivo decorrente de procedimento dental, acidente ou cirurgia. Bebês homens com Hemofilia severa podem sangrar fortemente depois da circuncisão.

O sangramento pode ocorrer na superfície do corpo (sangramento externo) ou dentro do corpo (hemorragia interna).

  • Sangramento na boca decorrente de corte ou mordida.
  • Sangramento no nariz sem razão óbvia.
  • Sangramento forte de corte pequeno.
  • Sangramento no corte, que volta depois de parar por um longo tempo.

Causas da Hemofilia: A Hemofilia é uma doença genética e hereditária, transmitida de pais para filhos, no momento da concepção. O gene que causa a Hemofilia é transmitido pelo par de cromossomos sexuais XX. Em geral, as mulheres não desenvolvem a doença, mas são portadoras do defeito e são capazes de transmiti-lo. O filho do sexo masculino é que pode manifestar a enfermidade. Mas embora seja raríssimo, existem também mulheres hemofílicas.

Tratamento da Hemofilia: Não há cura para a Hemofilia, mas a doença pode ser controlada com a reposição intravenosa regular dos fatores de coagulação que estejam deficientes. Alguns hemofílicos, no entanto, desenvolvem anticorpos contra tais fatores.

Nas Hemofilias severas, o paciente hemofílico pode receber uma terapia de reposição regularmente para evitar sangramentos, é a chamada terapia preventiva ou profilática. Nas Hemofilias leves, usa-se fazer a terapêutica de reposição, a qual é usada apenas quando um sangramento ocorre, é a chamada terapia por demanda. Esta é menos invasiva e mais barata que a primeira.

Os concentrados de fator de coagulação podem ser feitos a partir do sangue humano tratado para prevenir a transmissão de doenças virais, por exemplo. Para reduzir ainda mais este risco, pode-se usar concentrados que não utilizam sangue humano, são os fatores de coagulação recombinantes. Eles podem ser fornecidos ao paciente hemofílico como uma dose terapêutica domiciliar para uso imediato em caso de hemorragias inesperadas, a qual deve ser aplicada por ele mesmo ou por uma pessoa próxima previamente treinada.

O paciente deve também se valer da fisioterapia após a fase aguda do sangramento para fortalecer a musculatura e as articulações, acelerando a recuperação e diminuindo a possibilidade de sequelas.

0/5 (0 Reviews)
Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Osmar da Costa Junior

Sou formado em medicina pela USP no ano de 2012. Atuo na área de estudo e orientação inicial de doentes; Coordenação de exames de saúde regular; Diagnóstico e tratamento de grande parte das doenças de adultos; Acompanhamento e tratamento de doentes crônicos; Orientação de pacientes que apresentam quadros complexos, com patologias raras e múltiplas, juntamente com a participação de outros especialistas, quando for necessário; Integração final de dados clínicos e exames complementares, decorrentes da observação dos pacientes por outro especialista.

Atualmente sou Clinico Geral residente no Hospital Regional de Cotia e Editor no site "Dicas de Saúde" onde tenho participação com comentários, e criação de artigos relacionados a saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Hemocromatose – O que é, Sintomas e Tratamento

Como acabar com as Aftas Vaginais

Aftas Vaginal – O que é, Causas e Tratamento