Linfadenite – O que é, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Linfadenite – O que é, Sintomas e Tratamentos
4.8 (95.93%) 162 voto[s]

Linfadenite – O que é, Sintomas e Tratamentos desta doença que poucos conhecem. Além disso, a Linfadenite é a infecção de um ou mais linfonodos que, geralmente, incham e ficam mais sensíveis. A Linfadenite é quase sempre provocada por uma infecção, que pode ser causada por bactérias, vírus, protozoários ou fungos.Caracteristicamente, a infecção estende-se até um nódulo linfático a partir de uma infecção da pele, do ouvido, do nariz, dos olhos, ou durante infecções como a mononucleose infecciosa, a infecção por citomegalovírus, a infecção estreptocócica, a tuberculose ou a sífilis.

LinfadeniteA infecção pode afetar vários gânglios linfáticos ou apenas aqueles localizados numa determinada zona do corpo.

Causas da Linfadenite: Todas as razões que levam à ocorrência de Linfadenite, pode ser dividido em não-infecciosa e infecciosa. Causas infecciosas são bastante comuns – infecção de suas casas se espalha através dos vasos linfáticos e sanguíneos, causando inflamação. Os autores mais típicos da Linfadenite são infecções bacterianas e virais, tais como:

  • Streptococcus;
  • aureus;
  • HIV;
  • infecções parasitárias e fúngicas;
  • tuberculose , etc.

Entre as Causas de  Ocorrências de Linfadenite Não-infecciosa  Estão as Seguintes:

  • nódulos linfáticos de oncologia (linfoma);
  • metastático (secundário) que o cancro se espalhou a partir de outras áreas do corpo;
  • inflamação como resposta à introdução de um corpo estranho.

Sintomas da Linfadenite: A inflamação dos linfonodos mais Conhecida como Linfadenite pode causar vários sintomas, dependendo da causa do inchaço e da localização dos linfonodos inchados. Entre os sintomas comuns que acompanham a inflamação dos linfonodos estão:

  • sintomas do trato respiratório superior, como febre, coriza ou garganta inflamada;
  • inchaço e sensibilidade dos linfonodos do pescoço, axilas e virilha;
  • inchaço dos membros (poderia indicar obstrução do sistema linfático);
  • sudorese noturna;
  • endurecimento e expansão dos linfonodos (poderia indicar a presença de tumor).

Diagnóstico: O médico normalmente faz o diagnóstico da Linfadenite mediante o exame físico do paciente. Realiza a palpação na região dos vários linfonodos para confirmar a presença de inchaço ou sensibilidade. Pergunta ao paciente sobre algum sintoma associado, como os indicados anteriormente. Pode pedir exames de sangue para verificar se há infecções e raios X ou tomografias computadorizadas para examinar a possibilidade de tumores ou fontes de infecção.

Visto que muitas doenças podem causar inflamação Linfadenite, o médico poderá solicitar uma biópsia. A biópsia da Linfadenite é um procedimento rápido, no qual o médico extrai uma amostra do tecido linfático. O patologista (médico que examina as amostras de tecido e interpreta os resultados dos exames laboratoriais) examinará a amostra. A biópsia é quase sempre a maneira mais confiável de confirmar a causa da Linfadenite.

causas LinfadeniteTratamentos da Linfadenite: O tratamento da Linfadenite irá depender do micro-organismo que causou a infecção. Caso seja uma infecção bacteriana normalmente é administrado um antibiótico por via endovenosa ou oral. Outros medicamentos que podem ser utilizados para tratar a Linfadenite são: analgésicos para controlar a dor, anti-inflamatórios e compressas. A cirurgia pode ser necessária para drenar um abcesso.

O Medicamento Mais Usado Para o Tratamento de Linfadenite é:

  • Hirudoid

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

0/5 (0 Reviews)
Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Ana Karolynne Goncalve

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA), CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal do Maranhão(UFMA), Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Os 17 Benefícios do Chá de Dente de Leão Para Saúde

Os 12 Benefícios do Acido Fólico Para Saúde