Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

Displasia Cervical – O que é, Sintomas e Tratamentos

Displasia Cervical – O que é, Sintomas e Tratamentos
Gostou do post? Avalie!

Displasia Cervical – O que é, Sintomas e Tratamentos que poucos conhecem. Além disso, a Displasia Cervical é caracterizada por alterações no colo do útero, quando as células do colo do útero sofrem alterações anormais. O colo do útero é a parte inferior do útero que leva à vagina. É o colo do útero que se dilata durante o parto para permitir que o feto atravesse. Essas alterações por mais parecidas que sejam, não são câncer, mas caso não sejam tratadas podem evoluir para isso.

Na Displasia Cervical, as células anormais não são cancerosas, mas podem desenvolver câncer se não forem diagnosticadas precocemente e tratadas. Segundo o Sidney Kimmel Comprehensive Câncer Center da Universidade Johns Hopkins, todos os anos, nos Estados Unidos, a Displasia Cervical afeta entre 250.000 a 1 milhão de mulheres. É mais frequentemente visto em mulheres entre as idades de 25 a 35 anos.

Na Displasia Cervical, as células saudáveis ​​do colo do útero sofrem alterações anormais. A condição geralmente é encontrada durante um teste de Papanicolaou normal. O tratamento rápido geralmente cura a Displasia Cervical e evita que ele progrida em câncer.

Causas da Displasia Cervical: Um vírus comum chamado papilomavírus humano (HPV) causa Displasia Cervical. O HPV é um vírus de transmissão sexual, e existem centenas de cepas. Alguns são de baixo risco e causam verrugas genitais.

Outros são de alto risco e causam alterações celulares que podem se transformar em Displasia Cervical e câncer. De acordo com o Journal of the American Medical Association (JAMA), estima-se que 26,8 por cento das mulheres tenham sido testadas positivamente para uma ou mais cepas de HPV.

Sintomas da Displasia Cervical: Normalmente, não há sintomas de Displasia Cervical. Ocasionalmente, pode ocorrer sangramento anormal. No entanto, na ausência de sintomas, as alterações celulares são invisíveis a olho nu e geralmente são encontradas durante um teste de Papanicolau regular.

Fatores de Risco da Displasia Cervical: Existem vários fatores de risco para a Displasia Cervical, alguns dos quais se relacionam diretamente com o risco de HPV:

  • Ter uma doença que suprime o sistema imunológico;
  • Consumir drogas imunossupressoras;
  • Ter múltiplos parceiros sexuais;
  • Dar à luz antes dos 16 anos de idade;
  • Ter relações sexuais antes dos 18 anos;
  • fumar cigarros.

Se você é sexualmente ativo, um preservativo pode reduzir seu risco de contrair o HPV. Mas o vírus ainda pode viver na pele em torno dos órgãos genitais não cobertos pelo preservativo.

Diagnósticos da Displasia Cervical: diagnósticos da Displasia Cervical inclui citologia cervical – Papanicolau- e teste para os subtipos de papilomavírus humano(HPV). Acompanhamento de anormalidades em testes de triagem com biópsia e colposcopia do colo do útero pode resultar se necessário.

O acompanhamento se faz com Papanicolau e colposocopia e vulvoscopia, com biópsias sempre que necessário e também acompanhados de exames que detectam o vírus como a captura híbrida.

Tratamentos da Displasia Cervical: O tratamento da Displasia Cervical depende da gravidade da condição. A displasia leve pode não ser tratada imediatamente, uma vez que pode resolver-se sem tratamento. As repetições de Papanicolau podem ser feitas a cada três a seis meses. Para CIN 2 ou 3, o tratamento pode incluir:

  • Criocirurgia, que congela células anormais;
  • Terapia a laser;
  • Procedimento de excisão electrocirúrgica (LEEP), que usa eletricidade para remover o tecido afetado;
  • Biópsia de cone, quando uma parte em forma de cone do colo do útero é removida da localização do tecido anormal.

A Displasia Cervical geralmente é detectada precocemente devido a exames de Papanicolau regulares. O tratamento tipicamente cura a Displasia Cervical, mas ela pode retornar. Se nenhum tratamento for administrado, a displasia pode piorar, potencialmente se transformando em câncer.

Prevenção da Displasia Cervical: A única maneira definitiva de prevenir a Displasia Cervical é praticando a abstinência. Há várias coisas que você pode fazer para reduzir o risco de contrair HPV e Displasia Cervical:

  • Pratique sexo seguro usando um preservativo.
  • Considere a vacina contra o HPV se estiver entre as idades de 9 e 26 anos.
  • Evite fumar cigarros.
  • Espere para fazer sexo até você ter pelo menos 18 anos de idade.
  • Evite múltiplos parceiros sexuais.
  • Fale com seu médico sobre sua atividade sexual e as etapas que você pode tomar para diminuir seu risco de Displasia Cervical.
Este artigo foi útil?
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie este post)
Loading...

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie este post)
Loading...

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.