Coledocolitíase – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos!

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Coledocolitíase – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos desta condição. Além disso, a Coledocolitíase é uma condição patológica onde há formação de pedras na via biliar comum. Normalmente, as pedras se desenvolvem na vesícula biliar, mas às vezes as pedras passam a vesícula biliar no ducto biliar comum, obstruindo assim o ducto biliar, causando numerosos sintomas.

Coledocolitíase - O que é

O ducto biliar é um tubo que liga a vesícula biliar ao intestino delgado. A pesquisa sugere que aproximadamente 20% das pessoas que têm cálculos celulares continuam a desenvolver a Coledocolitíase.

Causas da Coledocolitíase: Cerca de 1 em cada 7 pessoas com cálculos biliares desenvolverão Coledocolitíase comum. Este é o pequeno tubo que transporta a bile da vesícula biliar para o intestino. Os fatores de risco incluem uma história de cálculos biliares . No entanto, a coledocolitíase pode ocorrer em pessoas que tiveram a vesícula biliar removida.

Sintomas da Coledocolitíase: Aqui estão os sintomas mais proeminentes da Coledocolitíase. Se a pedra fica bloqueada há maior probabilidade de infecção na árvore biliar. Isso pode se espalhar rapidamente para o fígado e outros órgãos que podem ser perigosos.

  • Dor severa no quadrante médio direito e superior do abdômen.
  • Vômitos e náuseas.
  • A dor pode irradiar para trás e ombro direito.
  • Febre.
  • Icterícia.
  • Perda de apetite.
  • Tamboretes de barro.

Diagnósticos da Coledocolitíase: O diagnóstico da Coledocolitíase é feito através:

  • Testes de função hepática
  • Ultrassonografia

Deve-se suspeitar de Coledocolitíase pacientes com icterícia e cólica biliar. a Febre e leucocitose sugerem ainda colangite aguda. Níveis elevados de bilirrubina e particularmente de fosfatase alcalina, ALT e-gama-glutamiltransferase são consistentes com obstrução extra-hepática, sugerindo pedras, particularmente em pacientes com características de colecistite aguda ou colangite.

A ultra – sonografia pode apresentar pedras na vesícula biliar e ocasionalmente no ducto comum (menos precisas). O ducto comum está dilatado ( > 6 mm de diâmetro se a vesícula biliar estiver intacta, > 10 mm após uma colecistectomia). Se os dutos não estão dilatados no início da apresentação (por exemplo, primeiro dia), as pedras provavelmente passaram.

Se houver dúvida, a colangiopancreatografia por ressonância magnética (MRCP) é altamente precisa para pedras retidas. O CPRE é feito se o MRCP for equívoco; Pode ser terapêutico, bem como diagnóstico. A TC, embora menos precisa do que a ultra-sonografia, pode detectar abscessos hepáticos.

Coledocolitíase

Tratamentos Para Coledocolitíase: Estes são os principais meios de tratamento da Coledocolitíase:

  • Extração de pedras
  • Litotripsia
  • Colecistectomia
  • Esfincterotomia

Das opções de tratamento acima mencionadas, o método mais preferido para tratar a Coledocolitíase é a esfincterotomia endoscópica biliar. Neste procedimento, um dispositivo é inserido no canal biliar e é usado para extrair as pedras. Este procedimento tem uma taxa de sucesso de cerca de 90%, o que significa que em cerca de 90% das pessoas todas as pedras são removidas com sucesso por este procedimento.

No caso das pedras da via biliar não podem ser removidas por esfinterotomia endoscópica biliar, então o médico pode recomendar a tentativa de litotripsia. Neste procedimento, as pedras são fragmentadas primeiro e depois capturadas.

0/5 (0 Reviews)
Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Ana Karolynne Goncalve

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA), CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal do Maranhão(UFMA), Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Efeitos Colaterais do Óleo de Mostarda

Os 6 Efeitos Colaterais do Óleo de Mostarda

Receita de Pudim de Banana