Doenças

Candida auris: Tudo sobre o fungo mais resistente do mundo

candida auris

Candida auris é um fungo que, devido à sua multirresistência tem se destacado cada vez mais do ponto de vista da saúde, além de difícil de ser identificado, também dificulta o combate a infecções, é um dos mais resistentes do mundo.

Portanto, a candida é geralmente chamada de super fungo devido à sua resistência múltipla. A candida foi isolada pela primeira vez de uma amostra de secreção no ouvido de um paciente japonês em 2009.

Em 2016 foi determinado que a ocorrência desse fungo deve ser relatada, pois o tratamento e o controle dessa infecção são difíceis. Recentemente, em 2020, o Brasil descobriu o primeiro caso de candida auris.

O que mostra aos profissionais de saúde que mais medidas precisam ser tomadas para identificar, prevenir e controlar essa infecção fúngica. Isso tudo devido ao seu grau de periculosidade, por ser difícil o tratamento.

candida auris
candida auris

O que é candida auris?

Candida é um fungo que cresce como levedura e foi descoberto há dez anos. O especialista explicou: “Não sabemos sua origem, mas foi descrito pela primeira vez em 2009, quando foi descoberto no canal auditivo de um paciente na Coreia do Sul antes de ser isolado.

Alguns anos depois, ele apareceu no Japão e começou a explodir na Índia, África do Sul, Venezuela, Colômbia, Estados Unidos, Reino Unido e Espanha. O nome do microrganismo é semelhante a Candida albicans, que é uma das principais causas de candidíase

Isso por pertencerem ao mesmo gênero (candida), mas as espécies são muito diferentes. Candida albicans é uma doença comum que afeta a pele, as unhas e os órgãos genitais e é de fácil tratamento.

O especialista em doenças infecciosas Arnaldo Colombo, o professor Unifesp e o especialista em contaminação por fungos explicaram à BBC Brasil que a infecção por candida auris é resistente a medicamentos e pode ser fatal.

Segundo especialistas em doenças infecciosas, é possível ser colonizado pelo fungo da candida auris na pele ou nas mucosas sem problemas realmente graves. Mas, se o fungo chegar a contaminar o sangue, corre perigo real.

Já os infectados devem passar por procedimentos invasivos e o sistema imunológico fica comprometido. Pacientes que estão há muito tempo internados em unidade de terapia intensiva ou uso prévio de antibióticos também são considerados em risco de contaminação.

Sintomas de candida auris:

Pessoas que estão hospitalizadas há muito tempo e têm o sistema imunológico comprometido são mais frequentemente infectadas por candida auris, que é propícia à presença do fungo no sangue, levando a alguns sintomas, como:

  • Febre muito alta;
  • Alguma tontura;
  • Muita Fadiga;
  • Aumenta a frequência cardíaca;
  • Alguns sintomas de vômitos.

Esse fungo foi originalmente identificado no ouvido, mas também pode estar relacionado a infecções urinárias e respiratórias e pode ser confundido com outros microrganismos.

No entanto, não está claro se o foco da infecção por candida pode realmente ser os pulmões ou o sistema urinário, ou se o fungo é produzido nesses sistemas devido a infecções em outras partes do corpo.

sintomas de candida auris
sintomas de candida auris

Esse é um fungo muito resistente:

Um professor assistente do Departamento de Medicina, Medicina e Imunomicrobiologia disse que diferentes variantes de fungos começaram a aparecer em quatro continentes ao mesmo tempo.

Essa ocorrência simultânea não tem precedentes. O que mais nos preocupa é que todas as variantes apresentam forte resistência aos medicamentos. O especialista explicou que isso é resultado da evolução dos fungos.

O epidemiologista explicou que a candida auris passou por um tratamento especializado. Ela nasceu quando um grande número de substâncias antimicrobianas e muitos antifúngicos foram usados.

Sob esse ambiente de pressão seletiva, as espécies mudaram e se tornaram mais resistente. O processo é muito semelhante ao surgimento de bactérias resistentes a antibióticos. Os agentes antifúngicos matam quase todos os fungos.

Mas alguns podem sobreviver, os fungos que apresentam mutações que os tornam resistentes a venenos. Eles se reproduzem e seus descendentes herdam os genes que tornaram anteriores resistentes. Portanto, a resistência às drogas está aumentando.

Como o diagnóstico é feito?

Como os métodos de identificação disponíveis não são muito específicos para a identificação desta bactéria, é difícil diagnosticar a infecção por candida auris. É importante realizar uma identificação mais específica.

Principalmente como o MALDI-TOF, para identificar a bactéria ou fazer diferenças. Identifique para descartar. É difícil identificar outras leveduras, se o laboratório não possuir equipamento MALDI-TOF.

Além disso, esse fungo pode ser isolado de diversos materiais biológicos, como sangue, secreções de feridas, secreções respiratórias e urina, portanto, é importante que o laboratório realize exames mais específicos na identificação de amostras pertencentes ao gênero candida.

Também é importante realizar um teste de drogas antifúngicas durante a realização de um teste de identificação.O teste visa identificar quais drogas antibacterianas o fungo testado é sensível ou resistente, para que seja possível saber qual tratamento é mais eficaz.

como identificar candida auris
como identificar candida auris

Quais pessoas tem um risco maior de infecção?

Se a pessoa fica muito tempo internada, já fez uso de antifúngicos, tem cateter venoso central ou outro equipamento médico no corpo, o risco dessa infecção fúngica é maior, pois candida auris tem capacidade de aderir a equipamentos médicos.

Fazendo com que o tratamento mude Torne-se difícil e promova sua disseminação. O uso prolongado ou indiscriminado de antibióticos também pode promover essa infecção superfúngica.

Porque o excesso de antibióticos pode eliminar bactérias que podem resistir à entrada no corpo e prevenir a infecção. Portanto, quanto mais antibióticos forem usados, maior o risco dessa superinfecção fúngica, principalmente quando o paciente se encontra em ambiente hospitalar.[1]https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2020/identificacao-de-possivel-caso-de-candida-auris-no-brasil

Que tipo de doença isso pode causar?

Candida auris geralmente causa infecções sanguíneas, mas também pode infectar o sistema respiratório, o sistema nervoso central, os órgãos internos e a pele. Essas infecções geralmente são muito graves.

Estima-se que a infecção fúngica invasiva por Clostridium spp tenha causado de 30% a 60% das mortes de pacientes em todo o mundo. Geralmente é resistente a medicamentos comuns, dificultando o tratamento de infecções.

Além disso, candida auris é frequentemente confundida com outras infecções, levando a um tratamento inadequado. Isso significa que o paciente pode ser mais longo ou mais grave.

A candida auris pode sobreviver em um ambiente hospitalar, então a limpeza é essencial para o controle. A descoberta do fungo é um problema sério para pacientes e hospitais porque o controle pode ser difícil.

Você deve se preocupar em pegar uma infecção?

É improvável que você esteja infectado com candida auris. No entanto, se você ficar em um hospital ou lar de idosos por muito tempo, o risco é maior. Além disso, os pacientes internados em unidade de terapia intensiva são mais suscetíveis.

Se você tomou muitos antibióticos, o risco de infecção também é maior, porque esse medicamento também destrói bactérias benéficas, evitando assim a entrada de candida auris.

Como mostra o mapa, até o momento o Brasil não confirmou casos de infecção. Porém, como o fungo é difícil de identificar, isso não significa que ainda não tenha entrado no país.

o que e candida auris
o que é candida auris

Porque a candida auris é tão perigosa?

O perigo da candida está relacionado à sua resistência aos antifúngicos. Ao contrário das infecções mais comuns, os chamados superfungos são resistentes à maioria dos medicamentos usados ​​para combater infecções causadas por fungos.

Segundo um especialista a candida auris é resistente a esses três tipos de antifúngicos, e é difícil resistir por se tratar de um fungo que age como uma bactéria.

Além disso, ao contrário de outros membros da família, o super fungo apresenta sinais de transmissão direta de pessoa para pessoa e pode sobreviver na superfície por muito tempo, o que significa que pode ser encontrado com uma frequência preocupante.

Por que candida auris é resistente aos medicamentos?

Entre a maioria da candida auris encontrada em pacientes, a resistência aos antifúngicos comuns (como o fluconazol) foi estabelecida. Isso significa que esses medicamentos não podem combater candida auris.

Portanto, fungicidas menos comuns têm sido usados ​​para tratar essas infecções, mas os escaravelhos também desenvolveram resistência a eles.

A análise de DNA mostrou que o gene de resistência antifúngica da candida auris é muito semelhante ao gene de resistência antifúngica em candida albicans. Isso indica que esses genes foram passados ​​de uma espécie para outra.

O que pode fazer para diminuir o número de infecções?

Uma melhor compreensão de quem tem maior probabilidade de contrair candida auris é o primeiro passo para reduzir o número de casos. Os profissionais de saúde precisam entender que pacientes com hospitais de longa permanência, lares de idosos ou sistemas imunológicos fracos estão em alto risco.

Nem todos os hospitais reconhecem da mesma forma. Às vezes, o fungo é confundido com outras infecções fúngicas, como candidíase comum, levando a um tratamento inadequado. O diagnóstico aprimorado ajudará a identificar os pacientes mais cedo.

O que significa fornecer o tratamento certo para evitar que a infecção se espalhe para outros pacientes. C. auris tem alta resistência e pode sobreviver na superfície por muito tempo. Usar os detergentes e desinfetantes mais comuns não o eliminará.

Portanto, é importante usar detergentes adequados para descarte do hospital, principalmente em caso de epidemia.

prevençao da candida auris
prevenção da candida auris

Fatores de risco para a infecção de candida auris:

Os dados sobre os fatores de risco para infecção por candida auris são limitados. Alguns fatores de risco conhecidos incluem:

  • Diabetes;
  • Cirurgias recentes;
  • Uso de antibióticos de amplo espectro ou drogas antifúngicas;
  • O mais recente uso de linhas intravenosas;
  • Recente uso de um tubo de respiração ou tubo de alimentação;
  • Lares de idosos;
  • Aumento de temperatura;
  • Geralmente se sente desconfortável após inserir uma linha intravenosa (gotejamento) ou cateter.

Até o momento, escolha de gênero não foi encontrado e pode afetar qualquer faixa etária. Acredita-se que viajar para países que relataram casos não aumentará o risco de contrair essa infecção. No entanto, a hospitalização nesses países pode aumentar esse risco.

Como mudanças climáticas influenciam o número de infecções?

Um estudo recente publicado sugere que a infecção por candida auris pode se tornar tão comum porque a espécie é forçada a viver em temperaturas mais altas devido às mudanças climáticas.

A maioria dos fungos prefere temperaturas mais baixas no solo. No entanto, conforme a temperatura global aumenta, os fungos são forçados a se adaptar a temperaturas mais altas.

Isso pode promover o desenvolvimento de fungos no corpo humano em altas temperaturas de 36 ° C e 37 ° C. Fique muito atento a esses diversos fatores.

O que a Anvisa fala sobre candida auris?

Apesar da suspeita, a Administração Nacional de Vigilância Sanitária apontou que não foi determinado o modo exato de transmissão da candida auris, mas “evidências preliminares indicam que o organismo pode ser transmitido no ambiente médico por meio do contato com superfícies ou equipamentos.

Além disso, os registros de casos de surtos de superfúngicos mostram que os superfungos podem contaminar gravemente os quartos de pacientes acomodados ou infectados, e a transmissão direta de itens e equipamentos médicos trará grandes riscos aos pacientes.

Em 2017, a Anvisa emitiu declaração de risco relatando um surto na América Latina e descreveu o fungo como uma potencial ameaça à saúde global. Segundo a agência, o primeiro surto foi detectado em Maracaibo em 2013. Dos 18 pacientes afetados, eram 13 bebês.

Apesar de não ter sido diagnosticado no Brasil, especialistas afirmam que com a globalização e o fato do fungo sobreviver por muito tempo na superfície, o risco de a doença se espalhar pelo Brasil é alto.

Mas segundo os médicos, a maior preocupação não é a epidemia global, mas É uma possível infecção por Staphylococcus aureus em pacientes que já estão doentes.

Tratamento para Candida auris:

Como esse fungo tem mostrado resistência a drogas antifúngicas comumente usadas para tratar infecções por candida, ele também é chamado de superfungos e é muito difícil de tratar.

Portanto, o médico determina o plano de tratamento com base na gravidade da infecção e no sistema imunológico do paciente, podendo orientar o uso de antifúngicos equinocócicos ou a combinação de vários antifúngicos em altas doses.

É importante reconhecer e tratar as infecções por candida o mais rápido possível para evitar que o fungo se espalhe para a corrente sanguínea e cause infecções generalizadas, que geralmente são fatais.

tratamento da candida auris
tratamento da candida auris

Como prevenir candida auris:

A infecção por candida aureus deve ser evitada, e essa contaminação microbiana ocorre principalmente em hospitais por causa do contato prolongado com superfícies contendo fungos ou dispositivos médicos (especialmente cateteres).

Portanto, como método para prevenir a propagação e disseminação desse fungo, é importante lavar as mãos antes e depois do contato com os pacientes e desinfetar superfícies hospitalares e equipamentos médicos.

Além disso, é importante que as pessoas com diagnóstico de infecção por candida permaneçam isoladas, pois isso evitará a infecção por outras pessoas em um ambiente saudável e com o sistema imunológico mais fraco.

Portanto, é importante que o hospital tenha um sistema de controle de infecção eficaz e estimule a adoção de medidas de prevenção de infecções relacionadas a pacientes, equipe médica e visitantes do hospital.

Bem como protocolos de identificação e monitoramento de infecção em laboratório por candida auris. Por isso, é muito importante de aprenda como prevenir infecções hospitalares, que é a principal causa da contaminação.[2]https://www.telessaude.unifesp.br/index.php/dno/agenda-da-saude/438-voce-sabe-o-que-e-o-fungo-candida-auris

Referências:

Referências:
1https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2020/identificacao-de-possivel-caso-de-candida-auris-no-brasil
2https://www.telessaude.unifesp.br/index.php/dno/agenda-da-saude/438-voce-sabe-o-que-e-o-fungo-candida-auris
Formado em Comunicação Social, especialista em jornalismo digital e SEO, responsável por criar diversos projetos na internet, afim de levar conhecimento à todos sobre saúde, beleza, bem estar, natureza e entretenimento.

Deixe um comentário