Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Doenças Cardíacas Sintomas

Arritmia Cardíaca – O que é, Sintomas e Tratamentos

Arritmia Cardíaca – O que é, Sintomas e Tratamentos os sintomas da arritmia cardíaca geralmente só surgem quando se trata de uma doença maligna. Alem disso,  que faz com que surjam cansaço e sensação de fraqueza, tontura, mal estar, desmaios, batimentos cardíacos acelerados ou lentos, sensação de nó na garganta, falta de ar, dor no peito, palidez e suor frio.

Esses sintomas podem afetar pessoas com o coração saudável ou aquelas com doença cardíaca já instalada instalada, como pressão alta ou insuficiência cardíaca, quando os sintomas podem ser mais acentuados.Causas da Arritmia Cardíaca:

  • As causas da arritmia cardíaca são diversas. Dentre elas, pode-se destacar.
  • Pressão alta.
  • Doença coronariana.
  • Problemas na tireoide como o hipertireoidismo.
  • Desequilíbrios químicos no sangue como concentração de sódio, potássio ou cálcio alterados.
  • Alguns medicamentos como os betabloqueadores, psicotrópicos e as anfetaminas.
  • Doenças de nascença do coração.
  • Exercício físico vigoroso.
  • Complicação após cirurgia cardíaca.
  • Insuficiência cardíaca ou história de ataque cardíaco.
  • Doença de chagas.
  • Anemia.
  • Envelhecimento.

Outros fatores como consumo excessivo de cafeína, álcool, drogas, cigarro, ansiedade e estresse também podem precipitar uma arritmia cardíaca.

Prevenção:

  • Para prevenir a arritmia cardíaca, deve-se tentar reduzir o estresse e os fatores de risco para doença cardíaca:
  • Não fumar
  • Ingerir dieta bem balanceada e pobre em gorduras
  • Praticar exercícios regularmente
  • Tentar a prática de técnicas de controle do estresse como yôga, tai chi ou meditação
  • Certificar-se de que a pressão arterial e o nível de colesterol estejam sob controle.

Cuidado com a Cafeína: Café, chá, chocolate e refrigerante contêm cafeína e são conhecidos por seus efeitos estimulantes em nosso sistema nervoso. A cafeína também pode gerar uma contração e batimentos mais rápidos do coração, não sendo recomendado para quem sofre de Arritmia Cardíaca. O ideal é ingerir até 300ml por dia, caso esteja tudo bem. Sob suspeita, o ideal é perguntar ao cardiologista se há necessidade de interromper o consumo.

Álcool com Moderação: O consumo excessivo de bebidas alcoólicas está diretamente associado ao quadro de Arritmia Cardíaca. A fibrilação atrial é a arritmia mais decorrente nesses casos. A ingestão excessiva de álcool estimula o sistema adrenérgico (formado pelos receptores cerebrais responsáveis por produzir adrenalina), o que vai aumentar o batimento cardíaco e piorar um quadro de arritmia.

Fuja das “Dietas da Moda: Dietas com uma restrição de calorias muito elevada ou à base apenas de líquidos podem levar a distúrbios metabólicos, deficiência de nutrientes e desidratação – todas essas condições podem alterar o ritmo dos batimentos cardíacos, tanto para mais quanto para menos, gerando ou piorando um quadro de Arritmia Cardíaca. De acordo com Jéferson, uma alimentação pobre em vitamina E, C e do complexo B pode interferir na pressão sanguínea, elevando os batimentos cardíacos e causando arritmias.

Tratamento: Existem dois tipos de alterações do ritmo cardíaco que requerem tratamento. O primeiro é a síndrome bradicárdica em que existe distúrbio na formação ou na condução do impulso elétrico, de tal forma que a frequência cardíaca é sempre inapropriadamente baixa. Quando está bem estabelecido que essa condição é transitória e reversível (muitas vezes foi provocada por uso de medicamentos), não merece tratamento definitivo.

Porém, quando não existe possibilidade de recuperação, a única forma de restaurar a frequência cardíaca adequada é colocar um marca-passo, ou seja, um microcomputador que tem a capacidade de formar os impulsos elétricos e estimular as câmaras cardíacas.

Outro tipo de Arritmia Cardíaca que requer tratamento é caracterizado pela ocorrência de curtos-circuitos no coração, o que aumenta o número de batimentos. Esses episódios podem ser isolados (extrassístoles), ou representar crises de taquicardia. O coração dispara, as pessoas sentem palpitações, sensação de desconforto e, às vezes, sintomas pré-sincopais.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.