Covid-19

Vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes é segura?

vacina do covid 19 em gravidas e lactantes

A vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes foi liberada incluindo mais de 300.000 grávidas ou lactantes, segundo os especialista é seguro, mas cada caso deve ser avaliado individualmente.

A vacina é segura para eles? A resposta é sim, na maioria das vezes. De acordo com uma pesquisa, se você está grávida ou amamentando, discuta suas opções com seu médico.

As mulheres devem poder conversar com seu médico sobre a relação risco-benefício. Muitas mulheres podem escolher que o benefício de serem protegidas de COVID-19 uma doença bem fatal.

vacina do covid 19 em gravidas e lactantes
vacina do covid 19 em grávidas e lactantes

É esperado recomendações de vacinas para populações específicas, incluindo mulheres grávidas e lactantes, em breve, pois ainda não se tem pesquisas suficientes dessa categoria de grupo.

Recomenda-se que as mulheres grávidas e lactantes que se enquadram nos grupos prioritários possam receber a vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes.

Risco de infecção por COVID-19 na gravidez:

De acordo com estudos a gravidez é considerada um fator de risco para COVID-19 grave. Dados de vários estudos mostram que mulheres grávidas com COVID-19 apresentam risco aumentado.

Necessidade de UTI, necessidade de ventilação mecânica e suporte ventilatório (ECMO) e óbito quando comparadas com mulheres não grávidas com COVID-19.

COVID-19 durante a gravidez pode levar a trabalho de parto prematuro, outras complicações. Mulheres grávidas e recém-nascidos são, imunocomprometidos e apresentam maior risco de muitas infecções.[1]https://www.cdc.gov/vaccines/acip/meetings/downloads/slides-2020-12/COVID-03-Oliver.pdf?fbclid

O que isso significa para você?

Se estiver grávida, saiba que tem a opção de receber vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes se você e seu médico concordarem que os benefícios superam os riscos.

Por que as mulheres grávidas foram excluídas dos ensaios clínicos?

Apesar dos esforços de defesa significativos, nenhuma mulher grávida foi incluída nos ensaios COVID-19. Sua exclusão pode ser atribuída a vários motivos, como:

  • Precedente histórico dentro do sistema de saúde da American para excluir mulheres grávidas de ensaios clínicos;
  • Preocupações sobre atrasar a aprovação da vacina;
  • Preocupações sobre possíveis danos à mulher grávida e seu feto.

De acordo com uma declaração uma organização que há muito defende a inclusão de mais pesquisas clínicas para incluir mulheres grávidas, a prática de proteção por exclusão é prejudicial.

Também recomenda fortemente que as mulheres grávidas tenham acesso às vacinas COVID-19 em todas as fases das futuras campanhas de vacinação.

E que ela e seu profissional de saúde participem de uma “tomada de decisão compartilhada” em relação à vacina.

Por que a diversidade é importante nos ensaios de vacinas COVID-19:

Durante uma reunião especialistas falaram para os fabricantes de vacinas fazerem estudos em animais grávidos antes de lançar testes da vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes.

Um representante da Pfizer disse que a empresa espera dados de experimentos em ratos até meados de dezembro.

Alguns órgãos também estão financiando pesquisas sobre mulheres grávidas que optam por receber a vacina COVID-19. Ainda faltam muitos meses para esses resultados.

Se espera que, com o tempo, tenhamos dados e evidências que sugiram que é improvável que o vírus seja transmitido da mãe para o feto no útero.

Cientistas, médicos e funcionários da saúde pública tiveram que agir com mais rapidez do que precisão para vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes.

O que resultou em muitas alterações e recomendações frequentes com base nas melhores evidências científicas disponíveis na época.

Tentar acompanhar as recomendações mais recentes tem sido difícil tanto para o público quanto para aqueles de nós na linha de frente.

Muitas mulheres podem escolher que o benefício de serem protegidas de COVID-19 uma doença que é sabidamente tão perigosa e até fatal supera o risco.

A vacina Pfizer é segura para mulheres grávidas?

As informações de segurança no site da Pfizer afirmam: Os dados disponíveis sobre a vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes são insuficientes para informar os riscos associados à vacina na gravidez.

Sabemos que mais dados virão eventualmente, mas por enquanto tudo o que temos é a pesquisa sobre a segurança e eficácia da vacina publicada em uma revista científica, revisado por especialistas e altamente respeitado.

Mostra que, de quase 44.000 pessoas, a vacina foi 95% eficaz na prevenção de casos sintomáticos de COVID-19. Algumas mulheres nos testes da Pfizer-BioNTech ficaram grávidas durante o curso dos testes e não experimentaram efeitos nocivos.[2]https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/69/wr/mm6950e2.htm?s_cid=mm6950e2_e&ACSTrackingID

“Eu trabalho com muitos medicamentos e terapias especiais que são aprovados com dados mínimos durante a gravidez”, diz especialista.

“Tento fazer minha melhor avaliação e fornecer essa informação e perspectiva aos meus pacientes, tanto quanto possível, para que eles possam tomar uma decisão informada e apoiada.”

Seria a favor de lidar com a vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes da mesma maneira e agradece que o plano de sua instituição esteja dando a opção às gestantes.

As vacinas da Pfizer-BioNTech e da Moderna usam uma nova tecnologia chamada RNA mensageiro (mRNA), que transforma as células do próprio corpo em fábricas de produção de vacinas para combater o coronavírus. A vacina de RNA:

  • não é uma vacina viva, o que significa que há risco zero de induzir ou transmitir COVID-19 por meio da vacinação
  • não entra no núcleo da célula
  • não tem nenhum impacto no DNA humano
  • tem risco teórico muito baixo de dano fetal
vacina do covid 19 em gravidas e seguro
vacina do covid 19 em grávidas é seguro

Qual é a diferença entre uma vacina de DNA e RNA?

Enquanto aguardamos estudos melhores, somos encorajados pela falta de plausibilidade biológica de danos ao feto e que o RNA não se incorpora ao DNA que também presta consultoria para a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Há 20 milhões de profissionais de saúde e 100 milhões de pessoas com condições médicas de alto risco vivendo, mas a pergunta é se a vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes é segura.

No entanto, a abordagem nacional em quatro fases para distribuição equitativa de vacinas não indica especificamente “gravidez” ou a ordem em que os profissionais de saúde devem ser priorizados.

Como vimos em outras recomendações durante a pandemia, cada estado e local de vacinação hospitalar está adotando uma abordagem um pouco diferente em como eles escolhem implementar as orientações e alocar seu suprimento limitado.

Como a vacina COVID-19 será distribuída?

A análise de risco e benefício é complicada para os pacientes e recomenda que as mulheres grávidas levem em consideração o seguinte ao tomar uma decisão sobre a vacina do COVID-19 para grávidas e lactantes:

  • condições locais e prevalência de COVID-19 na comunidade;
  • risco pessoal e qualquer exposição profissional (ou de membros da família nas proximidades);
  • riscos médicos e quaisquer comorbidades;
  • eficácia conhecida em não gravidez;
  • efeitos colaterais conhecidos em casos de não gravidez;
  • ausência de dados diretos.

Referências:

1https://www.cdc.gov/vaccines/acip/meetings/downloads/slides-2020-12/COVID-03-Oliver.pdf?fbclid
2https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/69/wr/mm6950e2.htm?s_cid=mm6950e2_e&ACSTrackingID
Formado em Comunicação Social, especialista em jornalismo digital e SEO, responsável por criar diversos projetos na internet, afim de levar conhecimento à todos sobre saúde, beleza, bem estar, natureza e entretenimento.

Deixe um comentário