Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Doenças Doenças e Tratamentos

Faringoamigadalite – O que é, Causas e Tratamentos

Faringoamigadalite – O que é, Causas e Tratamentos mais adequados para lidar com esta condição. Além disso, a Faringoamigadalite é a infecção aguda de faringe, amígdalas, ou ambas. O diagnóstico é clínico, complementado por cultura ou teste antigênico rápido.

Os sintomas podem incluir dor de garganta, disfagia, linfadenopatia cervical e febre. E seu tratamento depende dos sintomas e, no caso de estreptococos beta-hemolíticos do grupo A, envolve antibióticos.As Faringoamigdalites podem ser divididas em: agudas (quase sempre relacionadas a um processo infeccioso agudo); crônicas (geralmente relacionadas às formas obstrutivas por aumento das amígdalas e formação crônica de cáseo); recorrentes (definidas como a ocorrência de 5 a 7 infecções em 1 ano ou 4 infecções por ano em 2 anos consecutivos). Então, confira mais sobre a Faringoamigadalite – O que é, Causas e Tratamentos:

Causas da Faringoamigadalite: O principal meio de adquirir a infecção é pelo contato com o indivíduo doente, uma vez que este elimina no ar pequenas partículas contendo os agentes causais.

Quando a pessoa sadia entra em contato com essas partículas passa a ser colonizada pelos agentes, os quais podem conseguir vencer as barreiras naturais de defesa do organismo e crescerem a ponto de desencadear um processo inflamatório.

O contato com objetos tocados pelo indivíduo com Faringoamigadalite também pode ser uma fonte potencial de transmissão, pois o hábito de coçar o nariz ou colocar a mão na frente da boca ao tossir faz com que os agentes causadores sejam conduzidos pela mão contaminada até copos, talheres, pratos ou outros objetos de uso pessoal e coletivo.

Sintomas da Faringoamigadalite: Os principais sintomas das Faringoamigadalite são:

Nas Faringomigdalites virais há outros sinais não restritos às amígdalas e à faringe, comuns de infecções das vias respiratórias, como espirros, tosse, constipação nasal, conjuntivite e rouquidão. Outro detalhe importante é que nas infecções virais apesar da garganta ficar muito inflamada, não é comum haver pus.

Já as amigdalites causadas por bactérias, além de não apresentarem os sintomas respiratórios, costumam causar pontos de pus nas amígdalas e aumento dos linfonodos (gânglios) do pescoço. A faringite bacteriana também pode causar edema da úvula e petéquias (pontos hemorrágicos) no palato.

Já em relação a Febre, na infecção bacteriana ela costuma ser mais alta que na viral, porém isso pode variar, não sendo regra portanto. Presença de pus e gânglios aumentados na região do pescoço é indicativa de uma faringite bacteriana. Entretanto, algumas infecções virais, como a mononucleose infecciosa também podem apresentar esses sintomas.

Tratamento da Faringomigdalite: Nas doenças virais o tratamento é feito com antitérmicos, analgésicos e anti-inflamatórios, além de muita hidratação. Quando há infecção bacteriana associa-se antibióticos. Na amigdalite caseosa é orientado gargarejos para evitar o acúmulo de resíduos nas amígdalas.

  • Irrigação da faringe com solução salina isotônica morna;
  • Estimular ingestão de líquidos não ácidos e não gaseificados e de alimentos pastosos, de preferência frios ou gelados;
  • Analgésico e antitérmico;
  • Repouso no período febril.

O tratamento cirúrgico (amigdalectomia) pode ser indicado para alguns casos de amigdalites bacterianas de repetição, crises com formação de abscesso na garganta e amigdalites caseosas que não melhoram com as medidas preventivas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.