Doenças ortopédicas

Escoliose – Causas, Sintomas e Tratamentos

Escoliose – Causas, Sintomas e Tratamentos. Além disso, a coluna vertebral vista por trás deve ser reta, alinhada. A escoliose é uma deformação morfológica da coluna vertebral nos três planos do espaço. Assim, a coluna realmente se torce, não somente para os lados, mas para frente e para trás e em volta do seu próprio eixo. Essa torção em maiores graus determina a gravidade da escoliose e a forma de ser tratada. Então, confira Escoliose – Causas, Sintomas e Tratamentos.

Classificação da escoliose quanto a forma da curva: curva simples, sendo esta à direita ou à esquerda (escoliose em “C”); Curva dupla, (escoliose em “S”). Lembrando que a direção da curva é sempre identificada pela convexidade da coluna. Classificação das curvaturas escolióticas, podendo estas serem: cervicotorácicas, torácicas, toracolombares, lombares e lombossacrais. Relacionando o grau da angulação da escoliose e o tratamento correspondente, temos:

  • 0 à 10 graus: não há necessidade de tratamento fisioterápico.
  • 10 à 20 graus: há necessidade de tratamento fisioterápico.
  • 20 à 30 graus: tratamento fisioterápico e uso de colete ortopédico ou de Milwakee.
  • 30 à 40 graus: uso do colete ortopédico ou Milwakee.
  • 40 à 50 graus: somente tratamento cirúrgico.

Causas da Escoliose:  A escoliose congênita decorre ou de um problema com a formação dos ossos da coluna vertebral (vértebras) ou de um problema de fusão dos ossos da coluna , podendo ou não estar associado a fusão de costelas durante o desenvolvimento do feto ou do recém nascido.

A escoliose neuromuscular é causada por problemas neurológicos como paralisia cerebral ou musculares que determinam fraqueza muscular, controle precário dos músculos ou paralisia decorrente de doenças como distrofia muscular, espinha bífida e pólio, somente a escoliose idiopática não possui causa conhecida.

  • Idiopática: causa desconhecida (70% dos casos)
  • Neuromuscular: seqüela de doenças neurológicas, como por exemplo poliomielite, paralisia cerebral.
  • Congênita: oriunda de uma má-formação
  • Pós-traumática

Diagnóstico da Escoliose: O diagnóstico é feito através de testes clínicos e de radiografias. Em todos os casos de escoliose, é importante o diagnóstico precoce e a avaliação clínica completa e radiológica do paciente.

A avaliação postural faz parte da avaliação clínica, sendo de fundamental importância para o diagnóstico da escoliose. Nela, o examinador compara os dois hemicorpos do indivíduo nas vistas anterior, posterior e lateral, observando possíveis diferenças e assimetrias ( Calliet, 1979). O controle da evolução sistemática é a forma de minimizar os danos dessa patologia que, quando não tratada corretamente, pode causar danos irreparáveis.

O médico irá, inicialmente, fazer um histórico clínico detalhado e pode fazer perguntas sobre o crescimento recente do paciente. Depois, partirá para o exame físico, em que examinará o corpo do paciente em busca de sinais de escoliose.

Seu médico pode, também, realizar um exame neurológico para verificar a fraqueza muscular e reflexos anormais que seu filho poderá apresentar da escoliose. Entre os exames que o médico costuma pedir estão alguns testes de imagem, como raio-X, tomografia computadorizada e até exames de ressonância magnética.

Tratamento Para Escoliose: O tratamento da escoliose baseia-se, dentre outros fatores, na idade, na flexibilidade, na gravidade da curva e na sua etiologia, compreendendo a correção das deformidades, com tratamento para escoliose conservador, que inclui fisioterapia e utilização de coletes, adaptação de palmilhas posturais que incrementam a eficácia e o tempo do tratamento (Podoposturologia) ou o tratamento cirúrgico.

Na opção de tratamento da escoliose conservador a fisioterapia utiliza-se dos benefícios da R.P.G. ou Reeducação Postural Global, como método que corrige ou minimiza a escoliose através da identificação da causa do problema.

Há suspeita de escoliose quando um ombro parece estar mais alto do que o outro ou quando a pélvis parece estar inclinada. Um olhar leigo não percebe a curvatura nos estágios iniciais exceto quando o paciente dobra o tronco para a frente e a assimetria entre os lados da coluna fica evidente.

Sintomas da Escoliose: Há suspeita de escoliose quando um ombro parece estar mais alto do que o outro ou quando a pélvis parece estar inclinada. Um olhar leigo não percebe a curvatura nos estágios iniciais exceto quando o paciente dobra o tronco para a frente e a assimetria entre os lados da coluna fica evidente.

  • Ombros ou quadris que parecem assimétricos
  • Coluna vertebral encurvada anormalmente para um os lados
  • Eventualmente desconforto muscular

Observação: em geral a escoliose na criança não causa dor. Quando a dor está presente há necessidade de uma avaliação médica criteriosa no sentido de afastar outras doenças mais graves.

Graduada em jornalismo com especialização em Marketing social na UFMG Universidade Federal de Minas Gerais, escreve artigos com conteúdos sobre beleza, saúde e bem estar com noções de SEO e tem a dinâmica e versatilidade na elaboração de artigos.

1 comentário

  • […] Curvatura da coluna vertebral ou escoliose: […]

Deixe um comentário