Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde

Bifidobacteria – O que é, Benefícios e Efeitos Colaterais

Bifidobacteria o que é, benefícios e efeitos colaterais dessa bactéria que talvez você já tinha ouvido falar. Alem disso, as bifidobactérias são um grupo de bactérias que normalmente vivem nos intestinos. Eles podem ser cultivados fora do corpo e depois tomados pela boca como remédios.

As bifidobactérias são comumente usadas para diarreia, constipação, distúrbio intestinal chamado síndrome do intestino irritável, para prevenir o resfriado comum ou gripe, e muitos outros problemas, mas não há boas evidências científicas que apoiem muitos desses usos.

Bifidobacteria

Como Funciona?

As bifidobactérias pertencem a um grupo de bactérias chamadas bactérias do ácido láctico. As bactérias lácticas são encontradas em alimentos fermentados como iogurte e queijo.

As bifidobactérias são usadas em tratamentos devidos os “probióticos”, o oposto dos antibióticos. Eles são considerados bactérias “amigáveis” e crescem e se multiplicam em áreas do corpo onde normalmente ocorreriam.

O corpo humano conta com suas bactérias normais para realizar vários trabalhos, incluindo quebrar alimentos, ajudar o corpo a consumir os nutrientes e evitar a absorção de bactérias “ruins”.

Os probióticos, como as bifidobactérias, são normalmente usados em casos de doença devido a um abate de bactérias normais. Por exemplo, o tratamento com antibióticos pode destruir bactérias causadoras de doenças, mas também bactérias normais no trato gastrointestinal e urinário.

A teoria é que tomar probióticos bifidobactérias durante o tratamento com antibióticos pode prevenir ou minimizar a morte de bactérias boas e a aquisição de bactérias ruins.

Usos e Eficácia da Bifidobactérias:

Possivelmente Efetivo Para Prisão de Ventre:

Uma pesquisa mostra que tomar bifidobactérias pode aumentar os movimentos intestinais em cerca de 2-4 fezes por semana em pessoas com constipação.

Infecção por Helicobacter pylori (H. pylori):

Tomar bifidobactérias mais lactobacilos junto com a terapia padrão contra H. pylori ajuda na eliminação das infecções causadas pela H. pylori cerca de duas vezes do que se tratar somente optando pela terapia regular. Também pode reduzir os efeitos colaterais causados pela terapia com H. pylori.

Prisão de Ventre

Síndrome do Intestino Irritável (IBS):

A maioria das pesquisas afirmam que tomar bifidobactérias por 4-8 semanas pode reduzir os sintomas da síndrome do intestino irritável, como dor de estômago, inchaço e dificuldade em evacuar. Também pode reduzir sintomas como ansiedade e depressão em pessoas com SII. Mas existem algumas pesquisas conflitantes.

Uma complicação após a cirurgia para colite ulcerativa chamada bolite:

Tomar uma combinação de bifidobactérias, lactobacilos e estreptococos por via oral parece prevenir a bolsite após a cirurgia de colite ulcerativa.

Infecções Das Vias Aéreas:

A maioria das pesquisas mostram que o uso de probióticos contendo bifidobactérias ajuda na prevenção das infecções das vias aéreas, como o resfriado comum em pessoas saudáveis, incluindo crianças em idade escolar e estudantes universitários. Mas tomar bifidobactérias não parece reduzir o risco de infecções das vias aéreas em crianças e adolescentes hospitalizados.

Diarreia em Lactentes (Diarreia Rotaviral):

Oferecer bifidobactérias a lactentes com diarreia rotaviral pode encurtar a duração desse problema em cerca de um dia.

Diarreia do Viajante:

Tomar bifidobactérias ajuda na prevenção da diarreia do viajante quando usado com outros probióticos, como lactobacilos ou estreptococos.

Colite Ulcerativa:

Pesquisas mostram que tomar probióticos contendo bifidobactérias juntamente com lactobacilos e estreptococos pode aumentar a taxa de remissão em quase 2 vezes em pessoas com colite ulcerativa ativa. No entanto, a maioria das pesquisas mostra que a bifidobactéria não é benéfica para prevenir a recaída.

A Bifidobactérias é Ineficaz Para:

Derreia atribuída a uma infecção com a bactéria Clostridium difficile. A maioria das pesquisas mostra que tomar bifidobactérias juntamente com outros probióticos não previne a diarreia causada pela infecção por Clostridium difficile.

Mortalidade de bebês prematuros. A adição de bifidobactérias à fórmula infantil não reduz o risco de morte em bebês prematuros.

Desenvolvimento infantil. A administração de fórmulas contendo bifidobactérias e lactobacilos não melhora o crescimento dos bebês.

Danos ao trato intestinal em bebês prematuros (enterocolite necrosante). Pesquisas mostram que oferecer bifidobactérias a bebês prematuros não previne a enterocolite necrosante e pode causar a morte.

Infecção do sangue (sepsis). A adição de bifidobactérias à fórmula infantil não previne a sepse em bebês prematuros.

Perda de Peso:

Tomar bifidobactéria por 6 meses não melhora a perda de peso em pessoas com sobrepeso ou obesas.

Insuficiente Para:

Diarreia Causada Por Antibióticos:

Uma pesquisa mostra que tomar bifidobactérias juntamente com antibióticos pode reduzir a chance de diarreia em cerca de 45%. Mas existem alguns resultados conflitantes.

É possível que a bifidobactéria possa prevenir a diarreia causada por alguns antibióticos, mas não por outros. Além disso, as bifidobactérias podem funcionar melhor quando usadas em certas combinações com lactobacilos e estreptococos. Mas nem toda combinação parece funcionar.

Pele Escamosa e Com Coceira (Eczema):

Algumas pesquisas mostram que oferecer bifidobacterium a crianças pode ajudar no tratamento do eczema, mas existem resultados conflitantes. Outra pesquisa mostra que dar bifidobactérias em conjunto com lactobacillus a mulheres grávidas durante os últimos 2 meses de gravidez, e depois dar à criança nos primeiros 2 meses após o nascimento, pode prevenir o eczema. No entanto, os resultados não são conclusivos.

Doença Celíaca:

Pesquisas anteriores mostram que tomar bifidobactérias como parte de uma dieta sem glúten não melhora os sintomas estomacais e intestinais em comparação com a dieta em crianças recém-diagnosticadas com doença celíaca.

Infecções Relacionadas ao Tratamento Quimioterápico:

Pesquisas anteriores mostram que tomar bifidobactérias mais lactobacilos ou bifidobactérias junto com lactobacilos e enterococos não previne as infecções fúngicas em pessoas com leucemia que estão sendo submetidas à quimioterapia.

Artrite:

Pesquisas anteriores mostram que tomar bifidobactérias mais lactobacilos não reduz a gravidade dos sintomas ou diminui a dor nas articulações em pessoas com artrite moderada a grave.

Envelhecimento:

Dor No Peito, Possivelmente Devido a Infecção (mastite).

  • Câncer;
  • Intolerância a lactose;
  • Problemas de fígado;
  • Doença de Lyme;
  • Caxumba;
  • Substituir as bactérias benéficas removidas pela diarreia;
  • Problemas de estômago;

Entretanto, mais evidências são necessárias para avaliar as bifidobactérias para esses usos.

Efeitos Colaterais e Segurança:

Os bifidobactérias são seguros para adultos e crianças quando tomadas por via oral de forma adequada. Em algumas pessoas, o tratamento com bifidobactérias pode perturbar o estômago e o intestino, causando diarreia, inchaço e gases.

Precauções Especiais e Advertências:

Gravidez e Amamentação: Não existe informação suficiente e fiável sobre a segurança de tomar bifidobactérias caso esteja grávida ou amamentando. Fique do lado seguro e evite o uso.

Sistema Imunológico Enfraquecido: Há uma certa preocupação de que os “probióticos” possam crescer muito bem em pessoas com um sistema imunológico fraco e causar infecções.

Embora isso não tenha ocorrido especificamente com bifidobactérias, tem havido casos raros envolvendo outras espécies probióticas, como Lactobacillus. Se você tem um sistema imunológico enfraquecido (por exemplo, você tem HIV / AIDS ou está em tratamento contra o câncer), verifique com seu médico antes de usar bifidobactérias.

Bloqueio Nos Intestinos:

Dois casos de infecções sanguíneas foram relatados em bebês que receberam probióticos por meio das bifidobactérias. Em ambos os casos, os bebês tiveram uma cirurgia no estômago.

Acredita-se que as infecções sanguíneas resultaram no bloqueio intestinal causado pelas cirurgias estomacais, o que permitiu que as bifidobactérias cruzassem a corrente sanguínea.

Em um caso, tomar bifidobactérias após o bloqueio intestinal ser corrigido não causou outra infecção no sangue. Portanto, o risco de infecções sanguíneas não é uma preocupação para a maioria das crianças que tomam bifidobactérias. Mas as bifidobactérias devem ser usadas com cautela ou evitadas em bebês com obstruções estomacais ou intestinais.

Remédio Antibióticos Interagem Com BIFIDOBACTERIA:

Antibióticos são usados para reduzir bactérias nocivas no corpo. Os antibióticos também podem diminuir as bactérias amigáveis no corpo. As bifidobactérias são um tipo de bactéria amigável.

Tomar antibióticos juntamente com bifidobactérias pode reduzir a eficácia das bifidobactérias. Para evitar essa interação, tome os produtos da bifidobactéria pelo menos duas horas antes ou depois dos antibióticos.

Dosagem:

As seguintes doses foram estudadas em pesquisas científicas:

Adultos:

Oral:

Para constipação: 100 a 20 bilhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias foram usadas diariamente. Na maioria dos casos, as bifidobactérias são tomadas diariamente durante 1-4 semanas. Em alguns casos, 5-60 bilhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias mais lactobacilos foram tomadas diariamente por 1 semana a 1 mês.

Para síndrome do intestino irritável (IBS): Para melhorar os sintomas estomacais e intestinais, 100 a 1 bilhão de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias têm sido usadas diariamente por 4-8 semanas.

Além disso, 5 bilhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias mais lactobacilos mais estreptococos foram usados duas vezes ao dia por 4 semanas. Para melhorar a depressão e a ansiedade em pessoas com SII, 10 bilhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias foram usadas uma vez ao dia por 6 semanas.

Para Infecções das Vias Aéreas: 3 bilhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias foram usadas diariamente por 6 semanas.

Para Uma Complicação Após a Cirurgia de Colite Ulcerativa Chamada Bolite: uma dose de até 3 trilhões de unidades formadoras de colônia de bifodobactérias mais lactobacilos e estreptococo foi administrada uma vez ao dia por até 12 meses.

Para o Tratamento Com Helicobacter Pylori: foram utilizadas 5 mil milhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias mais lactobacilos por dia durante 1 semana em meio ao tratamento da H. pylori.

Para Colite Ulcerativa: Para aumentar a remissão, 3 gramas equivalentes a 900 bilhões de unidades formadoras de colônias de lactobacilos mais bifidobactérias e estreptococos foram usados uma ou duas vezes ao dia.

Crianças:

Pela Boca:

Para constipação: 1-100 bilhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias por dia durante 4 semanas tem sido usado em crianças de 3-16 anos.

Para síndrome do intestino irritável (SII): 10 bilhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias por dia durante 4 semanas foram usadas.

Para infecções das vias aéreas: 2-10 bilhões de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias mais lactobacilos têm sido usadas duas vezes ao dia em crianças de 3 a 13 anos.

Diarreia em lactentes (diarreia rotaviral): A bifidobactéria em conjunto com o estreptococo, tem sido usada em crianças de até 3 anos de idade. Além disso, bifidobactérias mais lactobacilos têm sido usados duas vezes ao dia por 3 dias.

Colite ulcerativa: Até 1,8 trilhão de unidades formadoras de colônias de bifidobactérias mais lactobacilos e estreptococos tem sido usado diariamente por até 1 ano em crianças de 1 a 16 anos de idade.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.