Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

As 4 Causas da Transmissão da Hepatite B

As 4 Causas da Transmissão da Hepatite B são bem comum, o que pode ser prejudicial para o tratamento da Hepatite B. Além disso, a Hepatite B é uma doença sexualmente transmissível transmitida pelo vírus VHB que se caracteriza por resultar em náuseas, vômitos, mal estar, febre, fadiga, perda de apetite, urina escura e, principalmente a cor amarelada na pele e olhos. O principal órgão afetado pela doença é o fígado que pode desenvolver cirrose hepática ou câncer, podendo resultar em morte.

O tratamento da Hepatite B existe, mas é bastante perigoso exige muitos cuidados com a saúde para que não afete o fígado, afinal, toda substância que chega ao nosso organismo passa obrigatoriamente pelo órgão que serve como um filtro, quando este está debilitado não são todos os medicamentos que podem ser administrados. A prevenção e vacinação ainda é a forma mais eficaz contra a doença.

Principais Sintomas da Hepatite B: De modo geral, os principais sintomas da infecção aguda pelo vírus VHB são semelhantes aos da Hepatite A: náuseas, vômitos, mal-estar, febre, fadiga, perda de apetite, dores abdominais, urina escura, fezes claras, icterícia (cor amarelada na pele e conjuntivas).

A Hepatite B aguda pode passar despercebida, porque a doença ou é assintomática, ou os sintomas não chamam a atenção. Outra particularidade é que a maioria dos pacientes elimina o vírus e evolui para a cura definitiva. Em menos de 5% dos casos, porém, o VHB persiste no organismo e a doença torna-se crônica.

A Hepatite B crônica também pode evoluir sem apresentar sintomas que chamem a atenção durante muitos anos. Isso não indica que parte dos infectados possa desenvolver cirrose hepática e câncer de fígado no futuro. Na maioria das vezes, porém, quando os pacientes procuram o médico, já há sinais de insuficiência hepática crônica: icterícia, aumento do baço, acúmulo de líquido na cavidade abdominal (ascite), distúrbios de atenção e de comportamento (encefalopatia hepática). A evolução dessa forma da doença depende de fatores, como a replicação do vírus, a resposta imunológica, o consumo de álcool e a eventual infecção por outros vírus.

Causas da Transmissão da Hepatite B: A Hepatite B é causada pelo vírus VHB ou vírus da Hepatite B que pode gerar uma infecção no fígado matando suas células. Esse vírus pode sobreviver pelo menos 7 dias fora do corpo. Sua contaminação se dá pelo contato com outra pessoa infectada onde há um compartilhamento de sangue ou fluidos corporais. A Hepatite B é uma doença contagiosa, mas não se transmite por contato casual como tossir, abraçar ou dividir alguns objetos pessoais. Sua transmissão se dá por contato com sangue infectado e fluidos corporais. Então confira agora As 4 Causas da Transmissão da Hepatite B:

  • Saliva
  • Sangue
  • Sêmen
  • Secreções vaginais

Por isso, é comum homens homossexuais que não foram vacinados e pessoas com muitos parceiros sexuais contraírem Hepatite B. Essa patologia pode também ser transmitida de mãe para filho durante o parto, o que normalmente leva a doença há um estágio crônico antes dos 5 anos de vida.

Ainda podemos citar que o uso inadequado de seringas e agulhas, como no uso de drogas ilícitas, por exemplo, pode levar a contaminação. Até mesmo no uso da saúde como em procedimentos médicos, odontológicos, aparelhos de barbear e tatuagem podem transmitir o vírus.

Transmissão da Hepatite B: O vírus causador da Hepatite B existe no sangue, saliva, sêmen, secreções vaginais e leite materno de doentes ou portadores assintomáticos. A transmissão da Hepatite B pode ser realizada por contatos diretos com saliva, sangue ou outros fluidos corporais, através de relações sexuais, transfusão de sangue ou partilha de seringas para injeção de drogas. O vírus é muito mais resistente e de transmissão muito mais fácil que o HIV e persiste mais tempo nesses instrumentos, mas é destruído pela lavagem cuidadosa e esterilização pelo calor. Resiste por vezes ao pH baixo (ácido), calor moderado e temperaturas baixas. O vírus da Hepatite B é capaz de sobreviver no ambiente exterior por pelo menos uma semana.

O vírus pode ser transmitido através da exposição a sangue ou fluidos corporais, tais como sêmen e secreções vaginais, contaminados. O DNA viral também já foi detectado na saliva, lágrimas e na urina de portadores crônicos. A infecção perinatal, ou seja durante o parto, é uma das principais vias de transmissão em áreas endêmicas, com cerca de 20% de risco de transmissão para mães HBsAg positivas e 90% caso também seja HBeAg positiva. Quanto mais cedo a gestante começar o tratamento, menor o risco de transmissão.

Grupos vulneráveis incluem profissionais de saúde, pessoas que recebem transfusões ou fazem diálise em países sem o devido controle, acupuntura, tatuagem, viajantes a locais endêmicos e residentes de instituições. Entretanto, o vírus da Hepatite B não pode ser transmitido através de aperto de mão, compartilhamento de talheres ou copos, beijo, abraço, tosse ou espirro. O agente delta ou vírus da Hepatite D é transmitido de doentes com ambos HBV e HDV para doente com HBV crônico apenas pelas mesmas vias e nos mesmos grupos de risco.

Prevenção da Hepatite B: Evitar o contato com sangue infectado ou de quem se desconheça o estado de saúde, não partilhar objetos cortantes e perfurantes, nem instrumentos usados para a preparação de drogas injetáveis, e usar sempre preservativo nas relações sexuais são as principais formas de prevenir o contágio. A realização de tatuagens, a colocação de ‘piercings’ e de tratamentos com acupuntura só deve ser feita se os instrumentos utilizados estiverem adequadamente esterilizados.

Tratamento da Hepatite B: O tratamento para Hepatite B aguda consiste em repouso, alimentação leve, boa hidratação e não beber nenhuma bebida alcoólica e assim, a cura ocorre espontaneamente na maior parte dos casos.

No caso da Hepatite B crônica, que ocorre quando o vírus permanece no fígado por mais de 180 dias, aconselha-se ainda a toma de medicamentos por aproximadamente 1 ano para evitar maiores complicações no fígado. Saiba mais detalhes sobre o tratamento clicando aqui.

Quando um adulto é infectado com o vírus e tem um bom estado geral de saúde, normalmente a doença ocorre brandamente e o próprio organismo é capaz de eliminar o vírus. Mas as crianças que foram contaminadas com o vírus durante o parto ou amamentação tem um maior risco de desenvolver a forma crônica da doença e de sofrer com suas complicações como cirrose, ascite ou câncer de fígado, por exemplo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.