Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Distúrbios do Sangue Doenças

As 10 DST´s Mais Comum nas Mulheres

As 10 DST´s Mais Comum nas Mulheres. Além disso, qualquer pessoa que tenha uma vida sexual ativa tem risco de contrair uma DST. As 10 DST´s Mais Comum nas Mulheres são Doenças Sexualmente Transmissíveis causadas por vírus, bactérias ou outros micróbios que são transmitidos, principalmente, através das relações sexuais sem o uso de preservativo com uma pessoa que esteja infectada e muitos que as contraem, neste caso estamos especificando as Mulheres, frequentemente por descuido, acabam ignorando.

O risco maior ocorre quando a pessoa tem relação com vários parceiros, ou quando o parceiro teve ou tem parceiros múltiplos. Ainda, quando a relação sexual foi realizada (ou costuma ser) sem a utilização de preservativo (camisinha).dst-em-mulher-1Os principais sintomas das DSTs são:

  • Ardência e/ou coceira na vagina;
  • Corrimento vaginal;
  • Dor durante o contato íntimo;
  • Inchaço vaginal;
  • Vermelhidão em todo o órgão genital;
  • Dor/dificuldade para urinar;
  • Dor no baixo ventre;
  • Mau cheiro na vagina;
  • Ferida no órgão genital.

Os números são alarmantes. Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde diz que mais de 10,3 milhões de brasileiros já tiveram algum sinal ou sintoma de uma Doença Sexualmente Transmissível (DST). Desse total, cerca de 18% dos homens e 11,4% das mulheres não buscaram atendimento médico e a mesma pesquisa ainda mostra que homens têm 31,2% mais chance de ter algum sinal ou sintoma de contrair DST em alguma fase de sua vida.

Entre as diversas Doenças Sexualmente Transmissíveis, listamos As 10 DST´s Mais Comum nas Mulheres e elas são:

1- HPV: O Human Papiloma Virus, ou HPV, é um vírus que vive na pele e nas mucosas dos seres humanos, tais como vulva, vagina, colo de útero e pênis. Quando afeta os órgãos genitais é uma infecção transmitida sexualmente (DST). O sexo desprotegido é a principal causa da transmissão.

Também é possível a transmissão do HPV de mãe para filho no momento do parto, devido ao trato genital materno estar infectado. Entretanto, somente um pequeno número de crianças desenvolve a papilomatose respiratória juvenil.

O HPV pode ser controlado, mas ainda não há cura contra o vírus. Quando não é tratado, torna-se a principal causa do desenvolvimento do Câncer de colo do útero. 99% das mulheres que possuem Câncer de colo do útero foram infectadas por esse vírus. Entre os principais sintomas estão:

  • Várias pequenas verrugas na região íntima masculina ou feminina;
  • Estas verrugas podem ainda estar presentes na região do colo do útero (não são facilmente visíveis) e não estar presente na região íntima externa feminina;
  • No organismo feminino, as lesões costumam se desenvolver na vulva, vagina, colo do útero;
  • Em ambos os gêneros, o ânus, garganta, boca, pés e mãos são locais em que o vírus do HPV costuma se manifestar.

Diagnostico: Normalmente a descoberta do HPV acontece em algum exame de rotina, como o papanicolau, colposcopia, vulvoscopia, peniscopia ou anuscopia.

2- Sífilis: Causada por uma bactéria denominada Treponema pallidum é uma das DST´s Mais Comum nas Mulheres. Apresenta-se de duas formas: a congênita (de mãe para filho) e a adquirida (ocorre por contaminação através de transfusão sanguínea ou contato sexual). A sífilis adquirida se manifesta em três estágios: primário, secundário e terciário. Entre os principais sintomas estão:

Diagnóstico: clínico e laboratorial (exame de sangue VDRL).

3- Giardíase: Doença intestinal gerada pelo protozoário que recebe o nome de Giardia lamblia e pode ocorrer por saneamento básico ruim, através da água ou da comida contaminada com fezes, hábitos de higiene incorretos como colocar a mão suja na boca ou hábitos sexuais como o sexo anal sem proteção ou prática de cunilíngue.

Os sintomas são vários, e o tempo de latência varia de 1 a 4 semanas após o contágio. Diarreia aguda com fezes aquosas, fortes dores abdominais, fezes com excesso de gordura, flatulência e náuseas são alguns dos sintomas.

4- Tricomoníase: Tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível causada pelo parasito Trichomonas vaginalis. Nas mulheres a tricomoníase é uma das principais causas de vaginite e Corrimento vaginal. No sexo feminino a infecção pelo Trichomonas vaginalis também pode ser assintomática, mas pelo menos 2/3 das mulheres infectadas apresentam sintomas.

O quadro mais comum é a vaginite, inflamação da vagina que cursa com Corrimento amarelo-esverdeado de odor desagradável associado à disúria (dor para urinar), dispareunia (dor durante o ato sexual) e prurido (coceira) vaginal. A tricomoníase não tratada é fator de risco para infertilidade e câncer do colo do útero. Nas grávidas a infecção está associada a parto prematuro.

dsts-em-mulheres-15- Vaginoses: A vaginose bacteriana é uma infecção vaginal causada pela proliferação anormal das bactérias naturais da vagina, sendo a principal causa de corrimento vaginal nas mulheres em idade fértil. A gardnerella vaginalis é uma bactéria que faz parte da flora vaginal normal de 20 a 80% das mulheres sexualmente ativas.

Por isso, é muito comum entre lésbicas – dados de um estudo da Universidade de Washington mostram que 25% das lésbicas pesquisadas apresentaram vaginose – ela é normalmente mal tratada, pois é confundida com candidíase pelas garotas, que se auto-medicam.

Os sintomas são: Corrimento, coceira na área genital e odor desagradável (cheiro de peixe), principalmente após a relação sexual. As vaginoses são infecções na vagina, e na presença de qualquer um destes sintomas, vá ao ginecologista e nada de se auto-medicar – as vaginoses são facilmente tratáveis desde que usados os medicamentos corretos.

6- Donovanose: É uma DST crônica progressiva, causada pela bactéria Klebsiella granulomatis. Acomete preferencialmente a pele e mucosas das regiões da genitália, da virilha e do ânus. Causa úlceras e destrói a pele infectada. É pouco frequente, ocorrendo na maioria das vezes em climas tropicais e subtropicais.

Após o contágio, aparece uma lesão que se transforma em ferida ou caroço vermelho. Não dói e não tem íngua e ferida vermelha sangra fácil, pode atingir grandes áreas e comprometer a pele ao redor, facilitando a infecção por outras bactérias.

Diagnóstico: Laboratorial: demonstração dos corpúsculos de Donovan em esfregaço de material proveniente de lesões suspeitas ou cortes tissulares corados com Giemsa ou Wright.

7- Clamídia: Clamídia é a doença sexualmente transmissível (DST) mais comum em todo o mundo. Essa DST muitas vezes é silenciosa e pode afetar tanto homens quanto mulheres, não tem tratamento difícil. Mas, se não receber a devida atenção, pode desencadear problemas mais graves de saúde. Entre os principais sintomas estão:

  • Ardência ao urinar;
  • Dor abdominal;
  • Corrimento vaginal;
  • Penetração dolorosa durante o ato sexual, no caso de mulheres;
  • Sangramento intermenstrual e após a relação sexual;
  • Dor nos testículos;
  • Dor ou secreção retal;
  • Sintomas de doença inflamatória pélvica.

Diagnóstico: Os exames envolvem a coleta de amostras da secreção uretral ou das secreções do colo do útero. Se o indivíduo pratica sexo anal, amostras extraídas do reto também podem ser solicitadas.

8- Gonorreia: A Gonorreia ou blenorragia é uma doença sexualmente transmissível causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae. Ela atinge tantos homens quanto mulheres, sendo uma das DSTs mais comuns em países desenvolvidos. A doença atinge normalmente jovens adultos com vida sexual ativa, entre 15 e 29 anos de idade.

Além disso, quando há relações orais e anais também podem surgir dor na garganta e inflamação do ânus. A doença pode se manifestar rapidamente, em alguns casos 24 horas após a relação sexual sem preservativo. Em algumas mulheres, a doença não apresenta sintomas. Mas entre os principais sintomas estão:

  • Dor ou queimação ao urinar;
  • Corrimento amarelado ou algumas vezes com sangue;
  • Sangramento;
  • Dor durante o sexo;
  • Sangramento;
  • Infecções que ocorrem na garganta, olho ou ânus podem apresentar sintomas nessas partes do corpo.

Diagnóstico: clínico-epidemiológico e laboratorial.

9- Mononucleose (Doença do Beijo): Causada pelo vírus Epstein-Barr (VEB), transmitido pela saliva, com objetos contaminados e por transfusão de sangue. Leva o período de incubação que dura de 30 a 45 dias. Causa Dor de garganta; Fadiga; Inchaço dos gânglios linfáticos; Perda de apetite; Inflamação do fígado; Hipertrofia do baço… mas pode ser assintomática. Se parece com uma Gripe forte e passa normalmente sem ser identificada.

dst-em-mulheres-110- Pediculose do Púbis: Infestação da região pubiana causadas por um inseto do grupo dos piolhos e cuja única manifestação é o intenso prurido (coceira) que causa. Por contiguidade pode acometer também os pelos da região do baixo abdome, ânus e coxas. Eventualmente acometem as sobrancelhas e cílios (por auto-inoculação).

Os piolhos pubianos ou chato, machos medem cerca de 1 milímetro e as fêmeas, maiores, 1,5 milímetros, sendo que seus ovos (lêndeas), medem em torno de 2 milímetros. O prurido (coceira) determinado pela parasitose é causado pela saliva do inseto, liberada ao sugar o sangue do hospedeiro.

Diagnóstico: Essencialmente clínico. Com o auxílio de uma lupa pode-se confirmar a presença dos ácaros ou de seus ovos.

O mais importante é pelo menos uma vez ao ano consultar um ginecologista, tendo você tido relações sexuais protegidas ou não. Faça exames preventivos como de hemograma completo, transvaginal e papanicolau a cada 6 meses para saber se alguma doença está aparecendo em seu sangue.

Quanto mais você se cuidar, mais cedo você identificará a doença e mais chances terá da cura total. Quanto mais prevenida e precavida você for, melhor será para você e para todas as pessoas com quem você compartilha momentos íntimos.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.