Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

Os 10 Sintomas da Dermatite de Estase

Os 10 Sintomas da Dermatite de Estase

Revisado por

Graduado em Ciências da Nutrição!

Especialista do Dicas de Saúde

Os 10 Sintomas da Dermatite de Estase
4.8 (95.17%) 149 voto[s]

Os Sintomas da Dermatite de Estase que não devemos ignora. Alem disso, a dermatite de estase é uma condição da pele que geralmente encontrada na perna. Ela surge a partir da insuficiência venosa crônica. Este problema de pele se desenvolve quando há a circulação sanguínea lenta nas veias das pernas. Consequentemente, existe o estase ou a estagnação do sangue na parte inferior da perna.

Construído de fluido extracelular na parte inferior da perna durante um período de tempo, que irrita a pele, causando comichão, erupções cutâneas, e outros sintomas de dermatite. Dermatite de estase ocorre comumente em pessoas de meia idade e idosos.

As mulheres são mais afetadas que os homens. História da TVP ou superficial presença de varizes é a característica comum. Então, confira Os 10 Sintomas da Dermatite de Estase.

  • Pele da região afetada quente e com presença de vermelhidão;
  • Descamação da pele, deixando-a com um aspecto mais escuro e com coloração castanha;
  • Feridas e úlceras na região afetada pela doença;
  • Coceira frequente (que pode se agravar durante a noite ou períodos de descanso);
  • Falta de circulação de sangue na região inferior das pernas, como especialmente, nos tornozelos;
  • Surgimento de infecções bacterianas;
  • Irritação;
  • Acúmulo de fluídos corporais na região;
  • Inchaço frequente (que também pode aumentar durante a noite, assim como a sensação de ardência);

Diagnóstico da Dermatite de Estase: O diagnóstico da dermatite de estase é feito por um dermatologista através da observação clínica dos sintomas.

Tratamento da Dermatite de Estase: O tratamento para dermatite de estase tenta diminuir o acúmulo de sangue na parte inferior das pernas. Os pacientes devem ter cuidados como proteger as lesões com gases para evitar infecções e, quando possível, elevar as pernas para evitar o acúmulo de sangue.

Se as úlceras se apresentarem de forma muito agressiva, podem ser realizados enxertos de pele para regenerar o tecido afetado.

0/5 (0 Reviews)

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.