Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Doenças Saúde Sintomas

Esclerodermia – Causas, Sintomas e Tratamentos

Esclerodermia – Causas, Sintomas e Tratamentos que devemos conhecer. Além disso, a Esclerodermia é uma doença inflamatória crônica do tecido conjuntivo que envolve alterações na pele, nos vasos sanguíneos, nos músculos e nos órgãos internos. A Esclerodermia é um tipo de doença autoimune, um problema que ocorre quando o sistema imunológico ataca e destrói tecidos saudáveis do corpo por engano.

Existe Dois Tipos de Esclerodermia:

  • Esclerodermia Localizada: A Esclerodermia Localizada geralmente afeta apenas a pele das mãos e do rosto. A Esclerodermia Localizada se desenvolve lentamente e raramente se espalha pelo corpo ou causa complicações sérias.
  • Esclerodermia Sistêmica: Também chamada de Esclerodermia Sistêmica, este tipo de Esclerodermia pode afetar grandes áreas da pele ou órgãos, como o coração, os pulmões e os rins. Existem dois tipos principais de Esclerodermia Sistêmica: doença limitada (síndrome CREST) e doença difusa.

Causas da Esclerodermia: A causa da Esclerodermia é desconhecida, as pessoas com a Esclerodermia têm um acúmulo de colágeno na pele e em outros órgãos do corpo. Esse acúmulo leva a surgimento dos sintomas da Esclerodermia.

A Esclerodermia disseminada pode ocorrer com outras doenças autoimunes, incluindo lúpus e polimiosite. Nesses casos, a Esclerodermia é chamada de doença mista do tecido conjuntivo.

Sintomas da Esclerodermia: Os primeiros sintomas da Esclerodermia iniciam nas mãos e após meses ou anos passam para o rosto, deixando a pele endurecida, sem elasticidade e sem rugas, o que também faz com que seja difícil abrir completamente a boca. Confira abaixo, outros sintomas da Esclerodermia:

  • Perda de cabelo;
  • Rigidez da pele;
  • Pele anormalmente clara ou escura;
  • Espessamento da pele, rigidez e endurecimento dos dedos, das mãos e do antebraço;
  • Pequenos nódulos brancos abaixo da pele que às vezes liberam uma substância branca;
  • Feridas (úlceras) na ponta dos dedos das mãos ou dos pés;
  • Pele do rosto rígida e repuxada.

Problemas respiratórios podem ser resultado de cicatrizes da Esclerodermia nos pulmões e também podem incluir:

  • Tosse seca;
  • Falta de ar;
  • Respiração ofegante.

Os Sintomas da Esclerodermia nos ossos e nos músculos podem incluir:

Problemas da Esclerodermia no trato digestivo podem incluir:

  • Inchaço após as refeições;
  • Constipação;
  • Diarreia;
  • Dificuldade para engolir;
  • Refluxo do esôfago ou azia;
  • Problemas para controlar as fezes (incontinência fecal).

Complicações da Esclerodermia: As principais complicações da Esclerodermia são:

Essas complicações aparecem após anos de desenvolvimento da Esclerodermia, e ocorrem principalmente na forma sistêmica da Esclerodermia.

Diagnostico da Esclerodermia: O diagnóstico e tratamento precoces e adequados da Esclerodermia podem minimizar os sintomas e diminuir a possibilidade de danos orgânicos irreversíveis, mas uma vez que a Esclerodermia apresenta sintomas semelhantes aos de outras doenças autoimunes, o diagnóstico diferencial entre elas pode se tornar difícil.

O diagnóstico da Esclerodermia exige uma boa história clínica, um exame físico bem feito, estudos de sangue e vários outros exames especializados, dependendo dos órgãos afetados pela Esclerodermia.

Tratamento da Esclerodermia: Não existe tratamento que leve à cura da Esclerodermia. Como já referido as formas limitadas à pele podem ter regressão espontânea após alguns anos. Já a Esclerodermia sistêmica é uma doença de evolução lenta, mas permanente. O tratamento da Esclerodermia tem como objetivo aliviar os sintomas e reduzir a atividade da Esclerodermia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.