Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Doenças Doenças e Tratamentos

Síndrome de Arnold Chiari – O que é, Sintomas e Tratamentos

Síndrome de Arnold Chiari – O que é, Sintomas e Tratamentos
5 (100%) 1 vote

Síndrome de Arnold Chiari – O que é, Sintomas e Tratamentos mais adequados para lidar com esta condição. Além disso, a Síndrome de Arnold Chiari ou Chiari, descrita há pouco mais de 100 anos, geralmente se refere à herniação da parte inferior do cérebro, ou seja, das amígdalas cerebelosas e da parte inferior do cerebelo, através do forame magno para o canal vertebral.

Para casos de Síndrome de Arnold Chiari II e III, a explicação está na tração para baixo que afeta a medula espinhal, causada por diversas malformações da coluna, como a mielomeningocele. Já em relação à Síndrome de Arnold Chiari I, outras causas vem sendo apontadas, tais como: os conflitos na circulação de líquido cefalorraquídeo ou o tamanho reduzido da fossa posterior que contém o cerebelo.A Síndrome de Arnold Chiari tipo 1 é uma mal formação do crânio que acontece na altura da junção entre o pescoço e a cabeça. Ocorre quando uma parte do encéfalo chamada de cerebelo, entra no canal vertebral. Esta deformidade está relacionada a um problema na circulação do líquido céfalo-raquidiano (líquor).

Este líquido envolve todo o sistema nervoso central, no crânio e no canal vertebral e, quando há um distúrbio da sua circulação, pode ocasionar uma série de sinais e sintomas. A Síndrome de Arnold Chiari pode aparecer também em pessoas que não apresentem qualquer deformidade, como resultado de outras doenças, no entanto, a forma mais comum é a congênita e acomete principalmente as mulheres.

A Síndrome de Arnold Chiari pode aparecer também em pessoas que não apresentem qualquer deformidade, como resultado de outras doenças, no entanto, a forma mais comum é a congênita e acomete principalmente as mulheres.

Sintomas da Síndrome de Arnold Chiari: Os sintomas da Síndrome de Arnold Chiari costumam aparecer na fase adulta entre a terceira e quarta décadas de vida e os mais comuns são: dor cervical, dor de cabeça intensa, fraqueza muscular, dormência ou alteração da sensibilidade nos membros e dificuldade de equilíbrio.

A Síndrome de Arnold Chiari do tipo I tipicamente é assintomática durante a infância. Quando há a presença de sintomas, caracteriza-se por cefaleia, dor de garganta, deambulação instável.

Na Síndrome de Arnold Chiari II pode ser encontrada uma mielomeningocele lombar ou uma herniação tonsilar abaixo do forame magno. Isso pode levar a paralisia abaixo do defeito espinhal.

A Síndrome de Arnold Chiari do tipo III está ligada a uma encefalocele occipital, contendo uma diversidade de tecidos neuroectodérmicos anormais. Neste tipo são observados os sintomas descritos no tipo I e II, além de déficit neurológico.

O tipo IV da Síndrome de Arnold Chiari, posteriormente descrito, caracteriza-se pela ausência de desenvolvimento cerebelar, sendo este tipo incompatível com a vida. Outras duas condições que comumente encontram-se relacionadas com esta desordem são as síndrome de Ehlers-Danlos e de Marfan.

Síndrome de Arnold Chiari Tipo I: Geralmente, os sinais podem ser observados durante a infância, entre estes existem:

  • Dificuldade de movimento ou falta de coordenação olho-mão;
  • Formigamento e dormência nas mãos e nos pés;
  • Uma forte dor no pescoço que se estende para baixo junto com uma dor no peito;
  • Gagueira, tontura e visão borrada ou dupla;
  • Dificuldade para engolir que às vezes causa vômitos e asfixia;
  • Curvatura anormal da coluna e respiração anormal;
  • Perda de controle da bexiga (incontinência);
  • Zumbido em um ou ambos os ouvidos.

Tratamentos Para Síndrome de Arnold Chiari: Essa doença exige o acompanhamento com neurocirurgião, para que o tratamento cirúrgico seja indicado no momento oportuno, quando aparecem evidências da deterioração neurológica, progressão dos sintomas que se tornam incapacitantes e piora das alterações na Ressonância Magnética.

A cirurgia é feita através de uma incisão na parte de trás da cabeça e do pescoço sob anestesia geral e visa a descompressão das estruturas nervosas e o restabelecimento da circulação do liquor. Essa cirurgia geralmente apresenta ótimos resultados.

Este artigo foi útil?
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie este post)
Loading...

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie este post)
Loading...

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.