Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Dicas de Saúde Doenças

As 12 Principais Causas das Disfunções Sexuais Femininas

As 12 Principais Causas das Disfunções Sexuais Femininas
Gostou do post? Avalie!

As Principais Causas das Disfunções Sexuais Femininas são muitas e bastante relevantes. Além disso, A saúde sexual é um estado de completo bem-estar físico, emocional, mental associado à sexualidade e não só à ausência de doença ou enfermidade” (OMS, Organização Mundial de Saúde). As mulheres podem apresentar alterações ou perturbações no seu ciclo de resposta sexual surgindo as dificuldades ou Disfunções Sexuais que impedem a vivência de uma vida sexual satisfatória e gratificante.

As causas que podem estar na origem ou contribuir para Disfunções Sexuais Femininas, podem ser orgânicas, psicológicas ou mistas. Problemas de saúde físicos e psicológicos, uso de medicamentos, tabagismo, problemas afetivos ou de natureza relacional, falta de experiência sexual e de conhecimento do corpo, traumas sexuais, assim como fatores sócio econômicos e profissionais, podem refletir-se de forma negativa na resposta sexual. As Disfunções Sexuais Femininas podem ser desencadeadas por causas orgânicas e, muitas vezes agravadas pela sua repercussão emocional. Veja também Como Homens Comuns estão conseguindo durar Mais de 30 Minutos na Cama usando as mesmas técnicas dos Atores Pornôs…

Uma disfunção pode ser primária, se coincide com o início da atividade sexual e secundária se foi adquirida ao longo do tempo. Pode ser generalizada, se está presente em qualquer circunstância, ou situacional, se está presente apenas em determinadas circunstâncias. Confira As 12 Principais Causas das Disfunções Sexuais Femininas:

Desejo Sexual Hipoativo: Consiste na diminuição ou ausência total de desejo sexual. A mulher não manifesta interesse por atividades sexuais ou eróticas preliminares e não sente desejo de iniciar a atividade sexual, podendo ocorrer o evitamento do contacto físico íntimo.
Alterações hormonais, doenças endocrinológicas, toma de determinados medicamentos ou fatores psicológicos tais como depressão ou perturbações da ansiedade, podem contribuir para a diminuição do desejo sexual.

Insegurança: Psicólogos dizem que o acesso livre a materiais sexuais como revistas, vídeos ou internet – pode tanto estimular as fantasias sexuais quanto fazer com que a mulher entre em conflito com seus limites morais e psíquicos, gerando medo de não corresponder às expectativas do parceiro. Essa insegurança pode gerar uma falta de interesse pelo sexo, podendo causar a inibição do desejo sexual ou DSH (Desejo Sexual Hipoativo).

“Essa é umas das Disfunções Sexuais Femininas mais frequentes entre as mulheres”, conta os especialistas. Outros fatores desencadeadores de segurança podem ser a falta de consideração do parceiro e decepções amorosas anteriores. Para todos os casos, uma psicoterapia ou terapia sexual deve ser feita.

Uso de Medicamentos: Alguns remédios também podem afetar a libido das mulheres e causar Disfunções Sexuais Femininas. O uso de anticoncepcionais, por exemplo, está fortemente relacionado ao problema, dizem algumas linhas de estudo. Alguns tipos de pílula anticoncepcional são feitas com um tipo de progesterona sintética chamada ciproterona. Esse hormônio interfere na produção de testosterona, reduzindo-a, podendo assim reduzir discretamente também a libido.

Dispareunia: Dor persistente na zona genital ou pélvica durante as relações sexuais. Embora a dor seja experimentada com maior frequência durante o coito, também pode ocorrer antes ou após a relação sexual. Determinados problemas orgânicos como inflamações ginecológicas, fatores relacionais, conflitos psicossexuais, são algumas das causas que podem contribuir Disfunções Sexuais Femininas.

Problemas no Relacionamento: Brigas entre o casal, rotina sexual afetada e falta de discutir o relacionamento são fatores que podem causar Disfunções Sexuais Femininas e levar ao DSH e ao vaginismo. Nesse caso, a melhor solução é sentar e conversar com o seu parceiro a fim de descobrir a verdade raiz das disfunções.

Perturbação do Orgasmo: A perturbação do orgasmo consiste na dificuldade ou incapacidade persistente ou recorrente de atingir o orgasmo, após uma fase normal de excitação sexual.

Algumas doenças neurológicas, alterações hormonais, uso de determinados fármacos, álcool e consumo de algumas drogas, a idade (jovem) e atitudes negativas em relação à atividade sexual, são alguns dos fatores que podem influenciar negativamente a fase orgástica.

Menopausa: A menopausa é uma fase muito relacionada as Disfunções Sexuais Femininas. Ela sinaliza o fim do período fértil da mulher e os ovários entram em falência, produzindo menos hormônios, inclusive reduzindo a síntese de testosterona, que apesar de ser um hormônio masculino, também circula no corpo da mulher e está relacionado à libido feminina.

Fatores Psicológicos: Diversas questões podem estar envolvidas na forma como a mulher lida com o sexo. Uma delas é a autoestima: quando a mulher se sente mal com seu corpo, certamente terá dificuldades com sua libido, já que o sexo envolve a exposição total do seu corpo. Com a autocrítica elevada, ela vai para o sexo se medindo, se comparando e a probabilidade de sua libido desaparecer é alta.

Além disso, fatores como ansiedade, insegurança e conflitos com o parceiro também podem contribuir para Disfunções Sexuais Femininas.

Parceiros “Apressadinhos”: O companheiro que não respeita o tempo da mulher para alcançar a excitação sexual ou mesmo o orgasmo, que geralmente é maior, pode gerar Disfunções Sexuais Femininas como DSH, dispareunia (dor durante o ato sexual sem motivo aparente) e vaginismo. “Isso inclui aqueles parceiros que abrem mão das preliminares ou gostam apenas de recebê-la, mas não de fazê-la, e partem para a penetração logo de cara”, relatam os psicólogos. Veja também Como Homens Comuns estão conseguindo durar Mais de 30 Minutos na Cama usando as mesmas técnicas dos Atores Pornôs…

Fatores Sociais: A educação rígida gera crenças falsas em relação ao sexo oposto, sexualidade, masturbação e orgasmo. Muitas mulheres que acreditam nisso se sentem culpadas, ficam preocupadas demais e não conseguem chegar ao orgasmo.

Traumas: Medos e tabus inconscientes, traumas em relações sexuais anteriores, abuso ou violência podem provocar um transtorno de excitação (frigidez), DSH ou dispareunia. “O momento do ato sexual revive o trauma, não sendo prazeroso para a mulher e podendo causar o efeito contrário, como dores ou sentimento de repulsa”. A portadora desse problema deve procurar um profissional especializado a fim de que ele a ajude a superar o trauma, eliminando junto com ele as Disfunções sexuais Femininas.

Vaginismo: Dificuldade da mulher em tolerar a penetração, devido à contração involuntária, recorrente ou persistente, dos músculos do períneo adjacentes ao terço inferior da vagina.

Este artigo foi útil?
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie este post)
Loading...

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie este post)
Loading...

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.