Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

Xerodermia – O que é, Sintomas e Tratamentos

Xerodermia – O que é, Sintomas e Tratamentos desta doença que muitos desconhecem. Além disso, a Xerodermia é uma manifestação que causa coceira intensa, principalmente nas pernas, e pode evoluir para escoriações e inflamação na pele. A principal causa da Xerodermia é a falta de hidratação da pele. Como idosos e crianças têm menos lubrificação natural na área, sofrem mais. A pele normal é mantida húmida por uma substância oleosa produzida pelas glândulas sebáceas – o sebo – Composto por gorduras, o sebo lubrifica a pele, mantendo-a macia.

Pessoas que sofrem de Xerodermia não possuem essas glândulas, e por isso necessitam ter alguns cuidados especiais com a sua pele a fim de a conseguirem manter hidratada e por conseguinte, evitarem as crises de prurido.

Causas da Xerodermia: A principal causa da Xerodermia parece ser genética e gera uma inadequada umidade da pele, originada pelo mau funcionamento das glândulas que fabricam o sebo e que normalmente a mantém lubrificada e macia. A pele normal é mantida úmida por uma substância oleosa produzida pelas glândulas sebáceas – o sebo – composto por gorduras, o sebo lubrifica a pele, mantendo-a macia, mas isso não ocorre na pele com Xerodermia.

No início da Xerodermia a pele pode apresentar-se apenas enrugada, mas à medida que a doença evolui passa também a apresentar uma notável descamação.

Sintomas da Xerodermia: No início da Xerodermia a pele pode apresentar-se apenas enrugada, mas à medida que a doença evolui passa também a apresentar uma notável descamação. Os principais sinais e sintomas da Xerodermia estabelecida são pele severa ou moderadamente ressequida, sensação de prurido e/ou picadas intensas, que pode ser localizada ou generalizada, com maior incidência nas pernas e nos braços.

Essas áreas podem evoluir para escoriações e hiperpigmentação cutâneas, se forem coçadas repetidamente. A pele como um todo pode adquirir um aspecto áspero e ocorrerem fissuras que podem se infectar.

Sintomas mais observados de Xerodermia:

  • Curto tempo debaixo do sol pode causar queimaduras e a ferida permanece durante semanas.
  • Presença de pigmento preto na pele.
  • Envelhecimento prematuro nas áreas expostas ao sol.
  • pele excessivamente seca.
  • 15%~20% dos pacientes apresentam degeneração do sistema nervoso.
  • Cegueira em razão de lesões nos olhos ou de cirurgias na região ocular.
  • Perda de audição (relacionada com a degeneração do sistema nervoso).

Tratamentos da Xerodermia: Não existe tratamento eficaz, estando recomendada a proteção solar, mediante o uso de vestuário de cor clara e aplicação sistemática de filtros solares, com índice de protecção elevado (SPF ³50), evitando a exposição á radiação solar, especialmente na montanha e na praia. As lesões oculares podem ser prevenidas ou corrigidas mediante o uso de lágrimas artificiais ou transplantes de córnea.

Estes doentes deverão ser periodicamente examinados por um médico dermatologista, a fim de se efectuar o rastreio precoce de eventuais lesões malignas ou pré-malignas. As lesões malignas devem ser prontamente excisadas cirurgicamente e as pré-malignas tratadas através de electrocoagulação, crioterapia com azoto líquido, ou aplicação tópica de 5-fluouracilo.

Como abordagem profiláctica tem sido utilizada a administração oral de retinóides – acitretina – de modo contínuo ou intermitente, bem como de b-caroteno, com resultados favoráveis. Dado o tipo de hereditariedade, estão desaconselhados os casamentos consanguíneos entre familiares de doentes com xeroderma pigmentosa.

Como prevenir a Xerodermia? 

  • Tomar bastante água. A hidratação interna é muito importante!
  • Não tomar banhos muito quentes. A água deve ser apenas morna e o banho rápido. E quando for necessário tomar mais de um banho por dia, não se deve usar sabonete no
  • segundo banho.
  • Hidratar a pele com cremes e óleos adequados, com a pele ainda úmida, após o banho.
  • Não usar esponjas e evitar talcos e/ou perfumes.
  • Preferir as roupas largas, de algodão.
  • Usar sabonetes neutros e glicerinados.
  • Usar umidificador de ambiente em casa.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.