Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças

Síndrome da Morte Súbita Infantil – O que é, Causas e Prevenção

Síndrome de Morte Súbita Infantil – O que é, Causas e Prevenção desta condição que tem assustado e afetado boa parte da população. Além disso, a Síndrome de Morte Súbita Infantil, ou Síndrome de Morte Súbita do lactente (também conhecida como “morte do berço” ou Sids, da sigla em inglês), não é uma doença específica.

Trata-se de um diagnóstico que os especialistas dão quando um bebê aparentemente saudável morre sem explicação. Quando nem os médicos nem a autópsia conseguem explicar a causa da morte, ela é classificada como Síndrome de Morte Súbita.Não está claro se a Síndrome de Morte Súbita ocorre durante o sono ou nos períodos de transição entre sono e vigília, que se sucedem durante a noite. O que se sabe é que o pico de incidência está entre 2 e 4 meses de idade, que é mais comum em meninos, colocar a criança para dormir de barriga para baixo (em pronação) aumenta sobremaneira o risco e a ocorrência depois dos 6 meses de idade é rara. Então, confira mais sobre a Síndrome da Morte Súbita Infantil – O que é, Causas e Prevenção:

O que é a Síndrome de Morte Súbita Infantil: A Síndrome de Morte Súbita Infantil repentina e sem explicação de bebês durante a noite assombra a humanidade desde épocas bíblicas.

Define-se Síndrome de Morte Súbita Infantil quando bebês com menos de 1 ano de idade são encontrados em seus berços sem vida, sem causa que explique a morte, depois de cuidadosamente investigados o local, o histórico médico e familiar.

Além disso, o exame pós-morte não evidencia nenhuma causa clínica para o óbito. Não existe uma explicação para o falecimento do bebê. Não há sinais de sufocamento, nem de engasgo.

É importante destacar que a Síndrome de Morte Súbita Infantil não é um sinal de negligência dos pais. Essa forma de Síndrome de Morte Súbita não é causada por vacinações nem é contagiosa. Bebês e crianças que tiveram contato recente e próximo com um bebê falecido não correm nenhum risco.

Também não existem evidências de que a Síndrome de Morte Súbita Infantil tenha algum fator hereditário. O risco de uma família que já teve um caso de Síndrome de Morte Súbita Infantil ter um novo episódio com um segundo filho é de apenas 1%.

Causas da Síndrome de Morte Súbita dos Bebês: Embora não exista explicação concreta para a Síndrome de Morte Súbita Infantil, alguns estudiosos acreditam que ela tem relação com uma anomalia no tronco cerebral, responsável pelo controle da respiração.

A Síndrome de Morte Súbita também pode decorrer de alterações na frequência cardíaca e na respiração enquanto a criança dorme, devido a problemas no sistema autonômico da criança. Distúrbios no coração também aparecem em algumas pesquisas.

Como acabamos de referir, para ser considerada Síndrome de Morte Súbita Infantil, o bebê falecido não pode ter nenhuma causa identificável de morte. Isso não significa, porém, que a Síndrome de Morte Súbita Infantil não tenha uma causa. Com certeza tem, nós é que ainda não conseguimos identificá-la.

Entre as teorias mais aceitas atualmente, uma tem ganhado bastante destaque. Imagina-se que a Síndrome de Morte Súbita Infantil ocorra por um atraso na maturidade do tronco cerebral do bebê, área do sistema nervoso central que controla a respiração, os batimentos cardíacos e a pressão arterial.

Fatores como colocar a criança para dormir de barriga para baixo, asfixia por compressão das vias aéreas, inalação exacerbada de gás carbônico, hipertermia causada pela compressão do rosto do bebê contra o travesseiro ou problemas causados por conta do nascimento prematuro são as principais causas para esse tipo de Morte Súbita Infantil.

A teoria da imaturidade do sistema nervoso central é corroborada pelo fato da Morte Súbita ser mais comum em bebês prematuros ou com baixo peso ao nascimento.

Sintomas da Síndrome de Morte Súbita dos Bebês: Deve se evitar os fatores citados acima para garantir a segurança do bebê durante o sono. Deve-se conferir, regularmente, várias vezes durante o descanso do bebê, como anda a respiração.

Crianças acometidas por esse problema apresentam sinais de dificuldade para respirar que pode evoluir para uma asfixia. A criança pode ficar com a pele roxa e fazer barulho ao respirar, o que aponta para um quadro de dificuldade na respiração.

Prevenção da Síndrome de Morte Súbita dos Bebês: Além da posição “dormir de costas, com a cabecinha lateralizada”, a chupeta parece ser um fator de proteção. Isso mesmo. Bebês que a utilizam para dormir têm uma incidência menor da Síndrome de Morte Súbita. Para a prevenção devem ser adotadas as seguintes medidas:

  • Não agasalhar excessivamente e manter o quarto ao redor de 22º C;
  • Não usar colchões e travesseiros muito macios;
  • Jamais expor o bebê à fumaça de cigarro;
  • Evitar que o bebê durma de barriga para baixo ou de lado, dar preferência à posição supina;
  • Dormir no mesmo quarto, mas sem compartilhar o leito com a criança;
  • Não tomar bebidas alcoólicas nem fumar durante a gravidez.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.