Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Distúrbios Gastrointestinais Doenças Doenças do Aparelho Reprodutor Doenças e Tratamentos

Síndrome da Boca Ardente – O que é, Causas e Tratamentos

Síndrome da Boca Ardente – O que é, Causas e Tratamentos que você não pode ignorar. Além disso, síndrome da boca ardente, também chamada de síndrome da ardência bucal, caracteriza-se pela sensação de queimação na mucosa oral e/ou língua. A sensação de boca que arde pode começar sem uma razão aparente e pode persistir por meses ou mesmo anos. Além de boca ardente, pode ter um gosto metálico ou boca amarga, muitas pessoas relatam de haver a boca seca, mas geralmente o exame da mucosa da boca revela uma quantidade de saliva normal. A dor pode ser muito grave e pode causar depressão e ansiedade por a dor crônica. Então, confira Síndrome da Boca Ardente – O que é, Causas e Tratamentos.

Tipos da Síndrome da Boca Ardente: A Síndrome da Boca Ardente costuma ser dividida em três tipos:

Tipo 1 (35%): caracterizada por dor diária, com ausência de dor pela manhã, piora no decorrer do dia e sintomas variáveis à noite, sem associação com alterações psiquiátricas. Ocorre mais em deficiências nutricionais e diabete .

Tipo 2 (55%): dor constante, desde o acordar e ausência de sintomas à noite. Estas pessoas frequentemente têm alto grau de ansiedade.

Tipo 3 (10%): dor intermitente, intercalado por dias livres de dor e sintomas, que ocorre em locais não-usuais como assoalho da boca e parede posterior da orofaringe, existindo relação da dor com o tipo de alimento ingerido e alérgenos.

Causas da Síndrome da Boca Ardente: Após muitos estudos, foi possível concluir que a maioria dos casos de Síndrome da Boca Ardente ocorre em mulheres que estão na pós-menopausa. Contudo, existem outros fatores desencadeadores da Síndrome da Boca Ardente, como:

  • Danos aos nervos responsáveis pelo paladar e dor;
  • Secura bucal, que pode ser decorrente do uso de alguns fármacos ou desordens, como a síndrome de Sjögren e diabete;
  • Candidíase oral;
  • Deficiências nutricionais;
  • Refluxo gástrico;
  • Próteses mal ajustadas ou alergias a materiais odontológicos;
  • Ansiedade ;
  • depressão .

Em mais de metade dos pacientes, a dor surge espontaneamente, sem que haja um fator precipitante. Cerca de um terço dos indivíduos acometidos relatam o início de um tratamento dentário, doença ou uso de certo fármaco, em associação com o surgimento da ardência. A Síndrome da Boca Ardente comumente afeta mais uma região da cavidade oral, sendo mais frequente no terço anterior da língua, no terço anterior do palato duro e na mucosa do lábio inferior.

Sintomas da Síndrome da Boca Ardente: Muitos pacientes relatam que a interferência da Síndrome da Boca Ardente durante a noite atrapalha a qualidade do sono. Outras manifestações da Síndrome da Boca Ardente incluem:

  • Formigamento ou sensação de dormência na boca ou na língua;
  • Dor que se intensifica durante o dia;
  • Aumento de sede;
  • Xerostomia;
  • Alteração do paladar, com sabor metálico ou amargo.

Tratamento Para Síndrome da Boca Ardente: Somente o médico está apto a indicar a melhor estratégia de tratamento. O tratamento dependerá do tipo de Síndrome da Boca Ardente apresentado pela pessoa. A meta na Síndrome da Boca Ardente secundária deve ser dirigida para o tratamento do fator causal local (também deve haver avaliação do dentista para melhor conduta da conservação dentária, prótese e aparelho dentário) ou da doença sistêmica que a ocasiona (diabete por exemplo) e a suspensão de medicamentos suspeitos (como os inibidores da ECA). Este tratamento direcionado para a a origem da Síndrome da Boca Ardente leva, tipicamente, a uma boa resposta.

A cura da Síndrome da Boca Ardente primária, no entanto, permanece indefinida, a despeito das tentativas com vários tipos de medicamentos. A resposta variável ao tratamento clínico é, provavelmente, devida aos múltiplos mecanismos que originam a Síndrome da Boca Ardente idiopática. As estratégias estudadas incluem benzodiazepínicos, antidepressivos, capsaicina tópica, ácido alfalipóico, reposição hormonal, anticonvulsivantes, técnicas de bio feedback para modificar hábitos para funcionais.

Pessoas que apresentam alterações psicológicas devem procurar um psiquiatra que pesquisará relação entre o aparecimento dos sintomas e fatos ocorridos na época, como situação de estresse intensa, perda de ente querido, medo de câncer, etc

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.