Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças Doenças e Tratamentos

Rubéola – O que é, Sintomas e Tratamentos

Rubéola – O que é, Sintomas e Tratamentos com vacina. Além disso, a Rubéola, também chamada de sarampo alemão ou de sarampo de três dias, é uma infecção viral contagiosa mais conhecida pela sua erupção cutânea distintiva. A Rubéola não é o mesmo que o sarampo, embora as duas doenças compartilhem algumas características, incluindo a erupção cutânea vermelha. No entanto, a Rubéola é causada por um vírus diferente do sarampo e não é tão infecciosa nem geralmente tão grave como o sarampo.

A vacina contra o sarampo-caxumba e a Rubéola (MMR), geralmente é administrada às crianças nos brasil duas vezes antes da idade escolar, é altamente eficaz na prevenção da Rubéola. Devido ao uso generalizado da vacina, os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) declararam a rubéola eliminada nos brasil, mas adverte os pais para garantir que seus filhos sejam vacinados para evitar o ressurgimento.Causas da Rubéola: A causa da Rubéola é um vírus que passou de pessoa para pessoa. Pode se espalhar quando uma pessoa infectada tossir ou espirrar, ou pode se espalhar por contato direto com secreções respiratórias de uma pessoa infectada, como muco. Também pode ser transmitida de uma mulher grávida para o feto através da corrente sanguínea.

Uma pessoa com Rubéola é contagiosa a partir de 10 dias antes do início da erupção cutânea até cerca de uma ou duas semanas após a erupção cutânea desaparecer. Uma pessoa infectada pode espalhar a doença antes que a pessoa perceba que ele ou ela tem.

A Rubéola é rara no brasil porque a maioria das crianças recebe uma vacina contra a infecção em uma idade precoce. No entanto, ocorrem casos de Rubéola, principalmente em adultos adultos não vacinados. A doença ainda é comum em muitas partes do mundo. A prevalência de Rubéola em outros países é algo a considerar antes de ir para o exterior, especialmente se você está grávida.

Uma vez que você teve a doença, você geralmente é imune permanentemente. Algumas mulheres com Rubéola experimentam artrite nos dedos, pulsos e joelhos, que geralmente dura cerca de um mês. Em casos raros, a Rubéola pode causar uma infecção no ouvido (otite média) ou inflamação do cérebro (encefalite).

No entanto, se você está grávida quando contraiu Rubéola, as conseqüências para o feto podem ser severas. Até 90 por cento dos bebês nascidos de mães que tiveram Rubéola durante as primeiras 12 semanas de gravidez desenvolvem síndrome da Rubéola congênita. Esta síndrome pode causar um ou mais problemas, incluindo:

  • Retardo de crescimento
  • Cataratas
  • Surdez
  • Defeitos cardíacos congênitos
  • Defeitos em outros órgãos
  • Retardo mental

O maior risco para o feto é durante o primeiro trimestre, mas a exposição mais tarde na gravidez também é perigosa.

Sintomas da Rubéola: Os sinais e sintomas da Rubéola são frequentemente tão suaves que são difíceis de notar, especialmente em crianças. Se ocorrerem sinais e sintomas, eles geralmente aparecem entre duas e três semanas após a exposição ao vírus. Eles geralmente duram cerca de dois a três dias e podem incluir:

  • Febre leve de 102 F (38,9 C) ou inferior.
  • Dor de cabeça.
  • Nariz cheio ou escorrendo.
  • Inflamados, olhos vermelhos.
  • Nódulos linfáticos alargados e macios na base do crânio, na parte de trás do pescoço e atrás das orelhas.
  • Uma erupção cutânea fina e rosa que começa no rosto e se espalha rapidamente para o tronco e depois os braços e as pernas, antes de desaparecer na mesma seqüência.
  • Dor nas articulações, especialmente em mulheres jovens.

Tratamentos da Rubéola: Nenhum tratamento encurtará o curso da infecção por Rubéola, e os sintomas são tão leves que o tratamento geralmente não é necessário. No entanto, os médicos geralmente recomendam o isolamento de outros – especialmente mulheres gravidas – durante o período infeccioso.

Se você contrair Rubéola enquanto está grávida, discuta os riscos para o seu bebê com o seu médico. Se você deseja continuar sua gravidez, você pode receber anticorpos chamados globulina hiperimune que pode combater a infecção. Isso pode reduzir seus sintomas, mas não elimina a possibilidade de seu bebê desenvolver a síndrome de Rubéola congênita.

O apoio de um bebê nascido com síndrome da Rubéola congênita varia de acordo com a extensão dos problemas da criança. Crianças com múltiplas complicações podem requerer tratamento antecipado de uma equipe de especialistas.

Prevenção da Rubéola: Vacinação é o meio mais seguro e eficaz de se prevenir Rubéola. A vacina da Rubéola é recomendada para todas as crianças. Normalmente, é aplicada em bebês de 12 a 15 meses, mas algumas vezes é administrada antes e durante epidemias. Uma segunda vacinação (reforço) é aplicada rotineiramente em crianças entre quatro e seis anos. A tríplice viral é uma vacina combinada que protege contra sarampo, caxumba e Rubéola. Já a vacina tetra viral protege também contra catapora.

Efeitos Colaterais da Vacina: A maioria das pessoas não experimenta nenhum efeito colateral da vacina. Cerca de 15% das pessoas desenvolvem Febre entre sete e 12 dias após a vacinação e cerca de 5% das pessoas desenvolvem uma erupção cutânea leve. Alguns adolescentes e mulheres adultas experimentam dor nas articulações temporárias ou rigidez após receber a vacina. Menos do que um milhão de doses causa uma séria reação alérgica.

Nos últimos anos, como o número de crianças com diagnóstico de autismo aumentou – sem uma explicação clara – preocupações generalizadas sobre um possível vínculo entre a vacina MMR e o autismo. No entanto, extensos relatórios da Academia Americana de Pediatria, do Instituto de Medicina e dos CDC concluem que não existe um vínculo cientificamente comprovado entre a vacina MMR e o autismo. Além disso, não há benefício científico para separar as vacinas.

Essas organizações observam que o autismo é freqüentemente identificado em crianças com idade entre 18 e 30 meses, o que acontece sobre o tempo em que as crianças recebem sua primeira vacina MMR. Mas essa coincidência no tempo não deve ser confundida com um relacionamento de causa e efeito.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.