Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos Sintomas

Rinite Alérgica – Causas, Sintomas e Tratamentos

Rinite Alérgica – Causas, Sintomas e Tratamentos que todos devem saber. Além disso, a Rinite Alérgica é um quadro de inflamação das mucosas da cavidade nasal causada por uma reação exagerada do sistema imune a partículas alérgenas do ar. A Rinite Alérgica, é uma inflamação das membranas nasais que se caracteriza por espirros, congestão nasal, prurido nasal e rinorreia, em qualquer combinação. Embora a Rinite Alérgica em si não seja fatal (a menos que seja acompanhada de asma grave ou anafilaxia), a morbidade da condição pode ser significativa.

Causas da Rinite Alérgica: Pessoas que apresentam outras doenças alérgicas, como asma, dermatite e conjuntivite alérgica, possuem um maior risco para rinite de origem alérgica. Outros fatores de risco para Rinite Alérgica incluem histórico familiar, frequentar locais úmidos e abafados ou viver em regiões com muita poluição do ar.

Principais Causas da Rinite Podem Ser:

  • Alergia à poeira, ácaros, descamação da pele dos animais, pólen das árvores ou das flores, poluição e fumaça.
  • Infecção viral ou bacterina nas vias aéreas.

Várias substâncias presentes no meio ambiente são alergênicas, mas as principais e predominantes são a poeira, o pólen e alguns alimentos.

A poeira doméstica é a principal responsável pela Rinite Alérgica. Esta poeira tem vários componentes, como restos de pelos de animais, descamação da pele humana e de animais e restos de insetos, bactérias, fungos e ácaros. Os ácaros são microrganismos que se adaptam muito bem ao ambiente domiciliar e proliferam com facilidade em temperatura ambiente e locais úmidos. As proteínas existentes no corpo e nas fezes dos ácaros são extremamente alergênicas em pessoas com predisposição à Rinite Alérgica.

O contato com pólen é outra causa bastante comum de Rinite Alérgica, que ocorre em geral na primavera e no início do outono, quando o pólen transportado pelo ar se encontra em níveis maiores. A alergia alimentar é menos frequente e, em geral, causa outros sintomas além da Rinite Alérgica, que afetam também a pele e o sistema gastrointestinal. Embora qualquer alimento possa causar uma reação alérgica, os mais comuns são laticínios, ovo, glúten e frutos do mar.

Sintomas da Rinite Alérgica: Os sintomas da Rinite Alérgica incluem espirros, coriza nasal, entupimento nasal, lacrimejamento e coceira nos olhos, nariz e palato (céu da boca). A ocorrência de sinusite também é frequente, caracterizando um quadro de rinossinusite (rinite + sinusite). Sintomas e tratamento). Outros sintomas comuns são dor de garganta, rouquidão, tosse e diminuição do paladar e olfato.

Dois sinais típicos da Rinite Alérgica são a acentuação das linhas das pálpebras inferiores (sinal chamado de linhas de Dennis-Morgan) e o escurecimento da pele abaixo dos olhos, tipo uma olheira. A foto acima ilustra bem esses dois sinais. A Rinite Alérgica em algumas pessoas pode ser sazonal, ocorrendo apenas em determinadas épocas do ano. Entretanto, muitos pacientes apresentam um quadro quase constante de Rinite Alérgica, como numerosos episódios ao longo de todo o ano. Estes geralmente são aqueles que ficam expostos a alérgenos constantemente, seja em casa ou no trabalho.

Se o paciente convive em um meio onde está exposto ao alérgeno de forma frequente, a tendencia é de que os sintomas fiquem cada vez piores e cada vez mais uma menor quantidade de alérgeno seja capaz de desencadear as crises. Algumas pessoas se tornam tão sensíveis que outros fatores podem passar a desencadear a rinite, como exposição ao frio, fumaça ou cheiro forte.

Tratamento de Rinite Alérgica: O tratamento dos pacientes portadores de Rinite Alérgica é composto por três pilares principais: higiene ambiental, medicamentos e imunoterapia.

Higiene Ambiental: A forma mais simples de se prevenir de crises de Rinite Alérgica é evitando o contato com a substância que desencadeia os sintomas. Isso nem sempre é tão fácil. Carpetes, cortinas, tapetes e bichos de pelúcia podem armazenar poeira e ácaros, e não devem fazer parte do quarto. Os ambientes da casa devem estar sempre bem ventilados e ensolarados. De preferência, a limpeza deve ser feita com pano úmido. Também devem ser evitados produtos de limpeza, tintas, perfumes, fumaça do cigarro e inseticidas.

Prevenção: Muitas vezes, os sintomas podem ser prevenidos evitando o contato com os alérgenos conhecidos. Esta é, na verdade, a única forma efetivamente comprovada contra as crises de Rinite Alérgica.Medicamentos: Anti-histamínicos (antialérgicos), descongestionantes nasais e corticosteroides são medicamentos usados para tratar uma crise Rinite Alérgica. Medicamentos à base de corticosteroides aplicados no nariz são prescritos para tratamento a longo prazo, e tem o objetivo de melhorar a respiração nasal e evitar ou amenizar as crises. Como todo medicamento pode apresentar efeitos colaterais e a dose varia individualmente, procure o médico para indicar o tratamento correto.

Imunoterapia: Vacinas antialérgicas também são uma opção para casos em que não houve melhora com as medicações e uma alternativa para casos em que não se pode evitar contato com o alérgeno. Ela está indicada se o teste cutâneo ou sanguíneo comprovar o alérgeno. Nesse tratamento, são aplicadas em injeções ou gotas sublinguais com quantidades controladas da substância para que o organismo deixe de ser hiper reativo a ela. O objetivo é que, no passar do tempo, as crises se reduzam e a pessoa consiga até suspender as medicações.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.