Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Diabetes Dicas de Saúde Dicas Variadas

Os 5 Tipos de Adoçantes Para Substituir o Açúcar

Os Tipos de Adoçantes Para Substituir o Açúcar são ideais para você avaliá-los e escolher o melhor para seu consumo. Além disso, mesmo com vários tipos, ele é um perfeito substituto do açúcar nas refeições dos diabéticos.

Somente algumas gotas de adoçante podem ser suficientes para adoçar uma bebida. Eles podem ser naturais ou produzidos com substâncias artificiais e são indicados para quem tem uma dieta restrita de açúcar ou de calorias. Entretanto, é necessário moderação na hora de utilizá-los. Consumir adoçantes causam a impressão de que, por serem lights, podem ser consumidos à vontade. E aí que o perigo se esconde, pois elas podem favorecer o ganho de peso. Veja agora detalhes sobre as opções do produto e escolha o de sua preferência. Então, confira Os 5 Tipos de Adoçantes Para Substituir o Açúcar:

Sacarina: Esse Tipo de Adoçante Para Substituir o Açúcar é a versão mais antiga do adoçante, sendo derivada de um ácido que vem do petróleo; isso lhe confere um sabor residual amargo e metálico. Não contém calorias e pode ser tranquilamente consumido por diabéticos, mas seu alto teor de Sódio faz com que ele não seja indicado para hipertensos.

Stévia: É considerado por especialistas como a melhor de Tipos de Adoçantes Para Substituir o Açúcar, pois é uma  boa opção para a saúde. Ele não contém açúcar ou calorias, é 100% natural, sem qualquer componente artificial em sua formulação.

Por não possuir valor calórico nem induzir mudanças na glicose sanguínea, o stévia pode ser utilizado com tranquilidade como opção para pessoas que necessitam reduzir o peso ou apenas se preocupam em mantê-lo, bem com por diabéticos, tanto tipo 1 como tipo 2.

Não produz cáries, nem é calórico, tóxico, fermentável ou metabolizado pelo organismo. Hoje em dia é usado como adoçante de mesa e na fabricação de gomas de mascar, balas, bombons, bebidas, gelatinas, pudins, sorvetes e iogurte dietéticos.

Ciclimato: Esse Tipo de Adoçante Para Substituir o Açúcar é bastante utilizado no setor alimentício, estando presente em preparações como refrigerantes zero, sucos, doces e sorvetes. Possui um sabor mais agradável e pode ser usado por quem tem diabetes.

É igualmente um adoçante sintético derivado do petróleo, bem como a sacarina, e um dos mais baratos do mercado. Provém do ácido ciclo hexano sulfâmico, derivado do petróleo, não possui calorias e pode ser usado por diabéticos, mas é contraindicado para hipertensos, por conter Sódio.

Sucralose: Ele é o único derivado da cana-de-açúcar e modificado em laboratório, sendo utilizado como Tipo de Adoçante Para Substituir o Açúcar (do qual tem um sabor muito similar) em diversos produtos, entre eles adoçantes.

Entretanto, não contém calorias, não causa cáries e não eleva a glicemia, podendo ser consumido por diabéticos, gestantes e hipertensos. Essa versão possui um sabor de doçura até 600 vezes maior do que o açúcar tradicional.

Acessulfame-K: O Tipo de Adoçante Para Substituir o Açúcar em questão, é um sal de Potássio sintético produzido a partir do ácido acético e tem o poder de adoçar de 180 a 200 vezes mais que o açúcar, além de apresentar sabor residual semelhante à glicose.

Ele é absorvido pelo organismo, porém não é metabolizado, ou seja, é eliminado do jeito que é ingerido, não causando o acumulo de glicose no sangue. Essa versão é segura e resiste a altas temperaturas, podendo ser usadas em diversas preparações para forno e fogão. Não é recomendada, entretanto, para pacientes hipertensos e portadores de doença renal.

Fique de Olho: A utilização sem orientação e em excesso desses Tipos de Adoçantes Para Substituir o Açúcar pode, por exemplo, gerar ou até agravar o excesso de peso já existente, o que dificulta um controle metabólico adequado do diabetes.

O seu consumo também aporta outros efeitos adversos como contribuir para complicações clínicas como retinopatia, neuropatia e Nefropatia diabética, bem como outras comorbilidades dessas doenças.

Apesar de alguns edulcorantes possuírem algumas propriedades benéficas, como não provocar cáries, combater osteoporose e auxiliar na perda de peso, não se pode esquecer o fato dos dados bibliográficos serem muitas vezes contraditórios e muitos dos estudos terem sido efetuados em animais, sendo, ainda inconclusivos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.