Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

Mastocitose – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Mastocitose – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos e muito mais é o que você vai aprender a partir de agora, então continue conosco e desvende tudo sobre a Mastocitose, doença essa que é tão perigosa. Além disso, a Mastocitose abrange diversas doenças que acometem os mastócitos, que são células pertencentes ao grupo dos glóbulos brancos (responsáveis por combater as infecções de nosso organismo) e têm como função produzir moléculas em resposta à presença de substâncias alérgenas, levando o paciente a uma reação alérgica.

A Mastocitose acontece após uma mutação no DNA desses mastócitos, que passam a se multiplicar descontroladamente e têm suas funções alteradas – a mutação mais comum ocorre em um gene chamado KIT e está presente em mais de 90% dos casos. Essa superprodução leva ao acúmulo dos mastócitos com problemas nos tecidos e alguns órgãos, mas a pele é o mais afetado de todos.

O que é Mastocitose: A Mastocitose é um conjunto de alterações provocadas pela presença em número anormal de mastócitos . Este grupo de desordens frequentemente afetam a pele, mas pode ser localizado em qualquer outra parte do corpo, tais como o sistema digestivo, ossos e tecido conjuntivo.

Os mastócitos são encarregados de participar de reações imunológicas e inflamatórias, contêm histamina e outras substâncias químicas que, quando liberados para o tecido circundante causando várias reações incluem dilatação dos capilares, inchaço e prurido desenvolvimento. Muitas vezes, quando uma ferida ou cicatriz de apreciar uma sensação de coceira na mesma, que é causada pela presença aumentada de mastócitos e de libertação de histamina por si só no processo de cicatrização.

Tipos de Mastocitose: A Mastocitose é um termo que abrange diversas patologias caracterizadas pelo acúmulo de mastócitos na pele, com ou sem comprometimento de outros órgãos e tecidos, especialmente na medula óssea e no trato gastrointestinal. Pode ser dividida em:

  • Mastocitose cutânea (MC): mais comumente observada durante a infância e costuma surgir precocemente. Nos adultos, normalmente aparece entre os 30 a 40 anos de idade.
  • Mastocitose sistêmica (MS): caracteriza-se pelo acúmulo de mastócitos em outros órgãos e tecidos. Costuma aparecer a partir dos 30 anos de idade, podendo ser progressiva e até levar ao óbito.

Houve progresso nos estudos da etiopatogenia dessa doença nos últimos anos, com a evidenciação de mutações gênicas específicas. Consequentemente ao progresso no conhecimento da oncogênese, do crescimento e da diferenciação dos mastócitos, houve uma melhor compreensão da hiperplasia patológica dessa célula, embora ainda não tenha sido completamente elucidada.

Diagnóstico da Mastocitose: É comprovado pelo níveis altos de histamina ou prostaglandina D2 na urina de 24 horas, colhida logo após a crise e pelo aumento dos mastócitos nas lesões cutâneas (histologia).

Causas da Mastocitose: A causa pela qual se produz a Mastocitose é desconhecida. Afeta igualmente homens e mulheres e é mais frequente em pessoas de raça branca. A Mastocitose cutânea geralmente ocorre em crianças e uma pequena proporção torna-se sistêmica. A Mastocitose sistêmica é típica dos adolescentes e adultos. Em algumas situações esta matocitose pode se tornar maligna e se denomina leucemia de mastócitos.

Sintomas da Mastocitose: Um só Mastocitose não causa sintomas. As manchas e nódulos podem provocar prurido, particularmente se forem arranhados ou coçados. A coceira pode piorar com as mudanças de temperatura, contato com a roupa ou outros materiais, ou com o uso de alguns fármacos como fármacos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs). O consumo de bebidas quentes, alimentos condimentados ou álcool e a prática de exercício também podem piorar a coceira. Ao coçar ou arranhar as manchas, pode ocorrer urticária e fazer com que a pele apresente vermelhidão.

A vermelhidão é comum. Úlceras pépticas também podem se desenvolver porque há produção excessiva de histamina, o que estimula a secreção de ácido gástrico em excesso. As úlceras podem causar dor no estômago. Também podem ocorrer náuseas, vômitos e diarreia crônica. O abdômen pode aumentar se o fígado e o baço funcionarem mal, provocando o acúmulo de líquido dentro do abdômen. Se a medula óssea for afetada, o resultado pode ser dor nos ossos.

Podem ocorrer reações disseminadas. Na Mastocitose sistêmica, as reações disseminadas tendem a ser graves. Essas incluem reações anafiláticas e anafilactoides ( Anafilactoide versus anafilática), que provocam desmaios e uma queda na pressão arterial que pode ser fatal (choque). Estas assemelham-se às reações anafiláticas, mas não são desencadeadas por um alérgeno. A Mastocitose sistêmica pode afetar a medula óssea, e até 30% dos adultos com Mastocitose sistêmica desenvolvem câncer, especialmente leucemias mielocíticas. A expectativa de vida pode ser reduzida para estas pessoas.

Histopatologia da Mastocitose: O mastócito normal apresenta núcleo redondo ou ovalado e citoplasma com grânulos. Não se observa nucléolo. Uma típica lesão de UP revela a presença de mastócitos em toda a papila dérmica, estendendo-se e adentrando a derme reticular. No Mastocitose, os mastócitos têm citoplasma abundante e preenchem as dermes papilar e reticular, podendo atingir a derme profunda e o tecido celular subcutâneo. Não ocorre atipia celular. Na Mastocitose difusa ocorre infiltração mastocitária na derme papilar e reticular alta. Nas lesões nodulares, em placa ou infiltradas, a microscopia costuma ser semelhante à do Mastocitose solitário.

Tratamento Para Mastocitose: Os sintomas gerais das Mastocitose ocorrem com a degranulação dos mastócitos, pelo que é importantíssimo insistir ao paciente e a sua família sobre a necessidade de seguir os conselhos do Caderno de informação do paciente com Mastocitose, evitando todas aquelas situações ou substâncias reconhecidas como indutores desta degranulação mastocitária.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.