Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

Linfoma de Burkitt – O que é, Sintomas e Tratamentos

Linfoma de Burkitt – O que é, Sintomas e Tratamentos desta condição. Além disso, o Linfoma de Burkitt uma forma rara e agressiva de linfoma não-Hodgkin. O linfoma não-Hodgkin é um tipo de câncer do sistema linfático, que ajuda seu corpo a combater infecções.

O Linfoma de Burkitt é mais comum em crianças que vivem na África subsaariana, onde está relacionada ao vírus Epstein-Barr (EBV) e à malária crônica. O Linfoma de Burkitt também é visto em outros lugares, incluindo os Estados Unidos. Fora da África, o Linfoma de Burkitt é mais provável de ocorrer em pessoas com sistema imunológico comprometido.

Tipos de Linfoma de Burkitt: Há três tipos de Linfoma de Burkitt que são: esporádicos, endêmicos e relacionados à imunodeficiência. Os tipos diferem por localização geográfica e as partes do corpo afetadas.

Linfoma de Burkitt Esporádico: O Linfoma de Burkitt esporádico ocorre fora da África, mas é raro nas outras partes do mundo. Às vezes é associado ao EBV. Ela tende a afetar o abdômen inferior, onde o intestino delgado termina e o intestino grosso começa.

Linfoma de Burkitt Endêmico: Este tipo de Linfoma de Burkitt é mais freqüentemente visto na África perto do equador, onde está associado a malaria crônica e infecção por EBV. O osso facial e a mandíbula são mais freqüentemente afetados. Mas o intestino delgado, rins, ovários e mama também podem estar envolvidos.

Linfoma de Burkitt Relacionada a Imunodeficiência: Este tipo de Linfoma de Burkitt está associado ao uso de drogas imunossupressoras, como aquelas usadas para prevenir a rejeição de transplantes e para tratar HIV e AIDS.

Causas do Linfoma de Burkitt: uma forma rara e agressiva de linfoma não-Hodgkin. O linfoma não-Hodgkin é um tipo de câncer do sistema linfático, que ajuda seu corpo a combater infecções.

O Linfoma de Burkitt é mais comum em crianças que vivem na África subsaariana, onde está relacionada ao vírus Epstein-Barr (EBV) e à malária crônica. O Linfoma de Burkitt também é visto em outros lugares, incluindo os Estados Unidos. Fora da África, o Linfoma de Burkitt é mais provável de ocorrer em pessoas com sistema imunológico comprometido.

Sintomas do Linfoma de Burkitt: O Linfoma de Burkitt pode causar febre, perda de peso e suores noturnos. Outros sintomas do Linfoma de Burkitt variam de acordo com o tipo.

Linfoma de Burkitt Esporádico: Os sintomas do Linfoma de Burkitt esporádico incluem:

  • inchaço abdominal
  • Distorção dos ossos faciais
  • Suor noturno
  • Obstrução intestinal
  • Tireoide alargada
  • Amígdalas alargadas

Linfoma de Burkitt Endêmico: Os sintomas do Linfoma de Burkitt endêmico incluem inchaço e distorção dos ossos faciais e um rápido crescimento dos gânglios linfáticos. Os gânglios linfáticos alargados não são macios. Os tumores podem crescer extremamente rapidamente, às vezes dobrando seu tamanho dentro de 18 horas.

Linfoma relacionado ao HIV: Os sintomas do linfoma relacionado ao HIV são semelhantes aos do tipo esporádico.

Fatores de Risco do Linfoma de Burkitt: O Linfoma de Burkitt é mais propenso a afetar as crianças. É raro em adultos. A doença é mais comum em homens e pessoas com sistemas imunológicos comprometidos, como aqueles que têm HIV ou AIDS. A incidência é maior no:

  • Norte da África
  • Oriente Médio
  • América do Sul
  • Papua Nova Guiné

As formas esporádicas e endêmicas estão associadas à infecção por EBV. As infecções virais transmitidas por insetos e os extratos de ervas que promovem o crescimento do tumor são possíveis fatores contribuintes.

Diagnósticos do Linfoma de Burkitt: Um diagnóstico de Linfoma de Burkitt começa com um histórico médico e exame físico. Uma biópsia de tumores confirma o diagnóstico. A medula óssea e o sistema nervoso central estão frequentemente envolvidos. A medula óssea e o líquido da coluna vertebral são geralmente examinados para ver até onde o câncer se espalhou.

O Linfoma de Burkitt é encenado de acordo com o envolvimento dos linfonodos e órgãos. O envolvimento da medula óssea ou do sistema nervoso central significa que você tem estágio 4. Uma tomografia computadorizada e ressonância magnética podem ajudar a identificar quais órgãos e linfonodos estão envolvidos.

Tratamentos do Linfoma de Burkitt: O Linfoma de Burkitt é geralmente tratado com quimioterapia combinada. Os agentes de quimioterapia utilizados no tratamento do Linfoma de Burkitt incluem:

  • Citarabina
  • Ciclofosfamida
  • Doxorrubicina
  • Vincristina
  • Metotrexato
  • Etoposide

O tratamento de anticorpos monoclonais com rituximab pode ser combinado com quimioterapia. O tratamento de radiação também pode ser usado com quimioterapia.

Os medicamentos de quimioterapia são injetados diretamente no fluido espinhal para evitar que o câncer se espalhe para o sistema nervoso central. Este método de injeção é referido como “intratecal”. Os pacientes que recebem quimioterapia intensiva têm os melhores resultados de tratamento.

Em países com recursos médicos limitados, o tratamento é frequentemente menos agressivo e menos bem sucedido. Crianças com Linfoma de Burkitt têm o melhor prognóstico. A presença de obstrução intestinal requer cirurgia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.