Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos Sintomas

Esclerose Múltipla – Causas, Sintomas e Tratamentos

Esclerose Múltipla – Causas, Sintomas e Tratamentos que poucos sabem. Além disso, a Esclerose Múltipla é uma doença progressiva do sistema nervoso central que afeta o movimento, a sensação e as funções corporais. Os sintomas variam consideravelmente na natureza e gravidade, tornando a condição difícil de diagnosticar em alguns casos. Não há cura, mas o tratamento pode ser efetivo no gerenciamento de sintomas.


A verdadeira incidência de Esclerose Múltipla na Nova Zelândia é incerta, mas as estimativas atualmente variam de 25 a 70 casos por 100.000 neozelandeses. As pessoas podem herdar uma susceptibilidade à doença. Cerca de 10% das pessoas com Esclerose Múltipla também possuem um parente próximo com a doença.

O que Causa Esclerose Múltipla: Se você tem Esclerose Múltipla, a mielina em seu corpo fica danificada. A mielina é a camada protetora que cobre as fibras nervosas em todo o sistema nervoso central.

Pensa-se que o dano é o resultado de um ataque pelo sistema imunológico. À medida que seu sistema imune ataca mielina, causa inflamação. Isso leva a tecido cicatricial ou a lesões. Toda essa inflamação e tecido cicatricial interrompe sinais entre o cérebro e outras partes do seu corpo. Não está claro o que pode causar o ataque do sistema imunológico.

Esclerose Múltipla é Hereditário: O Esclerose Múltipla não é hereditário, mas ter um pai ou um irmão com Esclerose Múltipla aumenta seu risco ligeiramente. A genética pode desempenhar um papel. Os cientistas identificaram alguns genes que parecem aumentar a susceptibilidade ao desenvolvimento de Esclerose Múltipla. Os pesquisadores acham que poderia haver um gatilho ambiental, como um vírus ou toxina que desencadeia o ataque do sistema imunológico.

Sintomas de Esclerose Múltipla: Pessoas com Esclerose Múltipla experimentam uma ampla gama de sintomas. Devido à natureza da doença, pode variar muito de uma pessoa para outra. Os sintomas podem mudar de gratidão de ano para ano, de mês para mês, e mesmo de dia para dia. Dois dos sintomas mais comuns são a fadiga e a dificuldade de caminhar.

Cerca de 80 por cento das pessoas com Esclerose Múltipla relatam ter fadiga. A fadiga que ocorre com a Esclerose Múltipla é mais do que sentir-se cansada. Pode tornar-se debilitante, afetando sua capacidade de trabalhar e executar tarefas diárias.

A dificuldade em andar pode ocorrer com a Esclerose Múltipla por vários motivos:

  • Dormência das pernas ou dos pés.
  • Equilíbrio de dificuldade.
  • Fraqueza muscular.
  • Espasticidade muscular.

A fadiga abrandadora também pode contribuir para o problema. A dificuldade em andar pode levar a lesões devido à queda.

Outros sintomas bastante comuns de Esclerose Múltipla incluem:

  • Distúrbios da fala.
  • Tremor.
  • Questões cognitivas envolvendo concentração, memória e habilidades de resolução de problemas.
  • Dor aguda ou crônica.

Tratamento de Esclerose Múltipla: Nenhuma cura está disponível para Esclerose Múltipla, mas existem várias opções de tratamento. Se você possui uma Esclerose Múltipla de recidiva-remitente (RRMS), você pode escolher um dos medicamentos que modificam a doença. Esses medicamentos são projetados para retardar a progressão da doença e diminuir sua taxa de recaída.

Os fármacos que modificam a doença auto-injetáveis ​​incluem glatirâmer ( Copaxone, Glatopa) e interferões beta, tais como:

  • Avonex.
  • Betaseron.
  • Extavia.
  • Agradável.
  • Rebif.

Os medicamentos orais para RRMS incluem:

  • Fumarato de dimetilo ( Tecfidera ).
  • Fingolimod ( Gilenya ).
  • Teriflunomida ( Aubagio ).

Os tratamentos de infusão intravenosa para RRMS incluem:

  • Alemtuzumab (Lemtrada).
  • Natalizumab ( Tysabri ).
  • Mitoxantrona (Novantrone), que é apenas para Esclerose Múltipla grave.

Os fármacos que modificam a doença não são eficazes no tratamento da Esclerose Múltipla progressiva. Seu médico pode prescrever corticosteroides, como a metilprednisolona (Medrol) e a prednisona (Deltasone) para tratar as recidivas. Outros tratamentos podem aliviar seus sintomas e melhorar sua qualidade de vida. Como a doença é diferente para todos, o tratamento depende dos sintomas específicos. Para a maioria das pessoas, é necessária uma abordagem flexível.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.