Scroll Top

Como EMAGRECER Definitivamente de Uma Forma Rápida e SAUDÁVEL, Sem Sofrimento e Sem Suar em Academias...

Coloque seu E-mail:

Como Conquistar o homem dos seus Sonhos

Diabetes Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos

Diabetes – Causas, Tipos, Sintomas e Tratamentos

Diabetes – Causas, Tipos, Sintomas e Tratamentos que são importantes que todos saibam. Além disso, a doença que atinge cada vez mais pessoas pode causar sérias consequências à saúde, caso não tratada. São cerca de 250 milhões de diabéticos no mundo de acordo com a Federação Internacional do Diabetes, sendo que 4% deles (10 milhões) estão no Brasil.

O problema, que é considerado uma crise metabólica de origem múltipla, é decorrente da falta de insulina no organismo (tipo 1) ou da incapacidade do corpo de aproveitar o hormônio da maneira correta (tipo 2), causando elevação dos níveis de glicose (açúcar) no sangue. O Diabetes Tipo 1 é considerado uma doença autoimune, ou seja, o próprio sistema de defesa da pessoa ataca as células produtoras de insulina, destruindo-as. Já no caso do tipo 2, cria-se uma resistência á insulina, devido a fatores como sedentarismo e obesidade.

A insulina é responsável por promover a redução de glicose no sangue ao permitir que o açúcar penetre nas células, para ser utilizado como energia. Quando há a falta desse hormônio ou resistência a ele, é diagnosticado o Diabetes.

Diagnóstico: Para detectar a doença, é preciso fazer a dosagem de glicose no sangue, em pessoas com as queixas e os sinais característicos do diabetes. Os valores normais de glicemia em jejum (pelo menos 8 horas) devem estar entre 70mg/dl e 99mg/dl e inferior a 140mg/dl 2 horas após as refeições.

Uma glicemia em jejum de 10mg/dl a 125mg/dl é considerada alterada, necessitando de outros exames para confirmação do diagnóstico de Diabetes. Já um valor igual ou superior a 126mg/dl é detectado o Diabetes.

Tratamento: A doença, infelizmente, ainda não tem cura. Entretanto, há tratamentos que permitem manter uma vida longa e com qualidade. Basicamente, os principais cuidados devem ser:

Alimentação Balanceada: Pessoas com Diabetes devem evitar os carboidratos simples (que fazem a glicemia subir rapidamente), como doces, massas e pães. O ideal é optar pelos alimentos integrais, que liberam a glicose lentamente no sangue, evitando os picos de glicemia. Os carboidratos devem construir de 50% a 60% das calorias totais ingeridas pelos diabéticos.

Exercícios Físicos: Esse é um fator essencial na vida de um diabético e de qualquer pessoa que preze por qualidade de vida, já que ajuda a manter a doença controlada, além de evitar o ganho de peso. Tanto os exercícios aeróbicos quanto os exercícios de força tem mostrado ser eficientes no controle e na melhoria do Diabetes.

No caso do Diabetes Tipo 1, o exercício físico otimiza a utilização da glicemia e reduz a quantidade de injeções ao longo do dia, o que melhora a qualidade de vida desses indivíduos. Já no caso do Diabetes Tipo 2 (não depende da insulina), o principal objetivo da atividade é a melhoria da sensibilidade do receptor ao hormônio.

Os dois tipos de treinamento têm demonstrado efeito significativo de três a cinco vezes por semana, tendo restrição no caso de hipoglicemia, já que os exercícios podem baixar ainda mais níveis de açúcar no sangue.

Em contrapartida, caso o Diabetes esteja descontrolado, com glicemia muito elevada, o exercício pode causar a liberação de hormônios contra-reguladores, aumentando ainda mais a glicemia. Por isso, antes de se arriscar em qualquer modalidade, é melhor conversar com o seu medico, a fim de encontrar as melhores opções.

Reposição de Insulina: No caso Diabetes Tipo 1, há a necessidade de doses diárias de insulina, que serão prescritas pelo endocrinologista. Já para o tratamento do tipo 2 podem ser indicados hipoglicemiantes orais ou, em alguns casos, o controle da alimentação e a prática de atividades físicas são suficientes para controlar o problema.

Não Tenha Vícios: Ingerir bebidas alcoólica não é proibido, mas deve ser de forma moderada e acompanhada de algum alimento, pois o consumo isolado pode causar uma queda da glicemia. É importante ter cuidado com cervejas e bebidas doces ou à base de carboidratos, já que elas podem aumentar a glicemia.

Cigarro e Diabetes também é uma combinação perigosa, já que a sua associação pode elevar em até cinco vezes o risco de infarto – isso porque as substâncias presentes no cigarro ajudam a criar acúmulos de gordura nas artérias, bloqueando a circulação.

Complicações: Manter a doença controlada é importante para prevenir as possíveis consequências da doença, que são:

Retinopatia Diabética: lesões aparecem na retina do olho, podendo causar pequenos sangramentos e, como consequência, a perda da visão – processo irreversível.

Arteriosclerose: níveis elevados de glicose no sangue podem causar o endurecimento e o espessamento da parede das artérias, o que colabora – e muito – para o infarto.

Nefropatia Diabéticas: alterações nos vasos sanguíneos dos rins que fazem com que ocorra uma perda de proteínas pela urina. O órgãos pode reduzir a sua função ou até ter a paralisação total.

Neuropatia Diabética: os nervos ficam incapazes de emitir e receber as mensagens do cérebro, provocando sintomas, como formigamento, dormência ou queimação das pernas, pés e mãos, dores locais e desequilíbrio, distúrbios digestivos e impotência sexual.

Pé Diabético: ocorre quando uma área machucada ou infeccionada nos pés desenvolve uma úlcera (ferida). Qualquer ferimento nos pés de quem é diabético deve ser rapidamente tratada para evitar complicações que podem levar à amputação do membro.

Infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC): acontece quando os grandes vasos sanguíneos são afetados, levando à obstrução de órgãos vitais como o coração e o cérebro. Manter a glicemia controlada ajuda a combater o colesterol, a hipertensão e outros males que podem afetar o coração.

Os Principais Sintomas do Diabetes Tipo 1 e Tipo 2:

Diabetes Tipo 1:

  • Fraqueza;
  • Vontade de urinar diversas vezes;
  • Fadiga;
  • Fome frequente;
  • Sede constante;
  • Náuseas e vômitos;
  • Nervosismo;
  • Perda de peso;
  • Mudanças de humor.

Diabetes Tipo 2:

  • Dificuldade na cicatrização de feridas;
  • Infecções frequentes;
  • Formigamento nos pés e o aparecimento de furúnculos;
  • Alteração visual (visão embaçada).

Os principais tipos de Diabetes são o 1 e o 2, porem, existem outros: gestacional, LADA e MODY (e suas variações) são alguns exemplos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.